sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Ana, cadê você?

"Ana, cadê você?"
Essa pergunta foi-me deixada no meu instagram por uma querida que tive o prazer de abraçar!
Estou ausente e ausente de todo o mundo virtual que é também uma extensão nossa. Já não há separação entre mundo real e virtual.k
É fácil verificar essa não separação: sempre associo algo com alguém da web. Uma foto, um livro, filme, situações. A gente de postagens, comentários, estilos, enfim, isso é muito bom.
Quero oferecer uma resposta, não só à minha amiga que deixou a pergunta, mas também a tantos outros amigos daqui.

Estamos na reta final para os vestibulares.
Sim, estamos, no plural mesmo.


Lembro-me de alguns anos atrás eu pegar o elevador com um casal e sua filha. Eu, logo cedo a levar o cachorro para a rua e eles, logo cedo a levar a filha para os estudos. Mas isso era sábado e domingo.
E numa dessas conversas de elevador, fiquei sabendo que a moça tinha aulas aos finais de semana também. Estava se preparando para o vestibular.
No decorrer daquele ano, trocamos várias impressões sobre o vestibular, entristeci quando soube que a moça foi internada no dia do Enem para cirurgia de apendicite e me alegrei quando por fim, por outros caminhos, ela ingressou na faculdade.

Esse ano, a mãe da menina me viu num domingo cedo acompanhando meu filho que segurava apostilas. Tudo o que ela já havia passado, agora estava na minha vez.

" É um período de entrega, de doação total nossa ( mães ). Eles precisam do nosso apoio, de uma forma silenciosa, meio que nos bastidores."

Foi uma troca, um bom conselho na verdade.
Entrega, doação, suporte...

A foto acima são das apostilas para outubro e novembro. Lembra as antigas listas telefônicas de páginas amarela na grossura. Páginas e páginas que devem ser consumidas em apenas dois meses.
Milhares de exercícios, resoluções online.

Além de silêncio para máxima concentração, o notebook aqui de casa é amplamente utilizado.
E essa é a minha resposta para a pergunta.

Na verdade, uma parte da resposta. A outra se divide em levar uma fruta, água, castanha, preparar o almoço para quem estuda literalmente 15 horas por dia e precisa aumentar isso em mais uma hora.

Vocês devem estar achando um absurdo estudar 15 horas diariamente.
Eu também.
E gostaria muito, imensamente que nosso sistema de ingresso em universidades tivesse uma mudança radical.

Meu filho está debaixo de meus olhos e eu consigo cuidar-lhe dentro do possível.
Há muitos estudantes com ele que vieram de outros estados, deixaram família para sonhar o mesmo sonho de muitos.
Ao mesmo tempo que é admirável e eu os admiro por tamanha dedicação, é insano. Não há tempo para absolutamente nada.
Há muitas garotas e garotos vivendo, como diz meu filho, na base do café e energéticos e talvez os pais nem saibam...

Aos meus amigos blogueiros, meu pedido de desculpas por não conseguir fazer essa troca que nos faz tão bem ao interagir, ler, comentar.

Não quero abandonar esse espaço, então desculpas por eu não conseguir estar presente em seus blogs. Não é egoísmo, eu até poderia fazê-lo pelo celular mas confesso que não consigo.

Bem, e tudo isso que meu filho está fazendo agora, se repetirá no próximo ano, porque o vestibular para ele ainda é um treinamento pois ele não concluiu o ensino médio.

Não desistam de mim! Um beijo!

11 comentários:

Pandora disse...

Estudar 15 horas por dia, 7 dias por semana e depois que o tempo passa a gente se pergunta "como conseguimos?". Boa sorte para vocês, força e equilíbrio, essa é uma fase muito tensa da vida. Estou aqui desejando coisas boas para vocês!!!

✿ chica disse...

Uma fase complicada essa e dentro em breve viverei com Neno por aqui...Aplausos pela dedicação tão indispensável...E desde já. na torcida pelo meu amiguinho querido,que parece ontem, andava apenas nos seus TRILHOS... bjs praianos pra ti e todos! chica

Ana Bailune disse...

Dedicação de mãe que zela de verdade é assim.
Espero que ele passe bem!

Poesia do Bem disse...

dicação, leitura e estudo, Realizar sonhos! Deus abençoe, saudades

Cristiane Marino - Mulheres em Círculo® disse...

Oi Ana Paula, admiro sua dedicação à família! Sentimos sua falta.

Nós não quisemos que nosso filho fizesse vestibular antes de terminar o ensino médio, só agora no terceiro ano ele vai prestar, mas sem pressão para entrar. Se entrar OK, mas no ano que vem ele vai concluir seus estudos de alemão, fazer a prova de proficiência e vai fazer cursinho. Ele sabe o que quer, ama engenharia e sonha em fazer uma pós graduação na Alemanha.

Na Faculdade de Medicina, quando eu cursava, nenhum aluno que entrou muito jovem conseguiu concluir o curso. Foram desistindo...É importante dar tempo para que a maturidade emocional alcance a maturidade intelectual.

A vida passa muito rápido, é insano ver um jovem literalmente internado em casa sem poder viver. Tudo tem seu tempo.

Desculpe a curiosidade, vocês exigem que ele entre direto do ensino médio? Por que tanto sacrifício?
Bjs

Graça Pires disse...

Minha Amiga, esteja onde precisa de estar... O resto é resto.
Uma boa semana.
Um beijo.

Vane M. disse...

Ana, desistir de você? De jeito nenhum!!!!!
Eu já passei por essa fase e sei a correria que é. Hoje minha filha está no último ano de análise de sistemas, e daqui pra frente, se quiser cursar outra coisa, já me considero com minha parte feita, rsrsrsr!
Concordo contigo, é tanta pressão, tanto desgaste - está aí o caso da moça que sofreu com a apendicite - e tão jovens... tudo bem que não sou a favor do protecionismo, mas sinceramente, essa correria vestibulanda não ilustra quem será um aluno dedicado ou quem terá sucesso em sua vida profissional. Portanto, é sim um sistema injusto!
De qualquer forma, desejo que o empenho leve à vaga tão almejada!
Estou te esperando! ;)
Abraços!

Graziela disse...

Ana, tudo bem?
Espero que tudo esteja mais calma e que você volte com força total para seus escritos, que eu adoro.
Se cuida e abraço nas crianças
Beijinhos
Grá
* te entendo mas estou com saudades de vocês, dos seus escritos, das fotos, dos comentários.... da Ana Paula.

Filha de José disse...

Ana... também sinto saudade deste espaço. De postar no meu, de visitar os amigos.
A minha falta de tempo é por outros motivos.

Bom vestibular para o seu menino.

Bjo

Vane M. disse...

Oi, Ana, como vai? Hoje estou passando para desejar boas festas, que seu novo ano traga boas surpresas e momentos inesquecíveis. Gosto muito de você! :) Abraços, tudo de bom!

Calu B. disse...

Ana,
Deixo aqui meus desejos de um Natal carregado de momentos felizes pra vc e família, pontuados na alegria e no amor. Feliz Natal!

Bjo nas crianças.Bjo pra ti.

Calu