quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Ser presente

Presenteei uma amiga. Ah... logo as crianças sentirão como é imenso presentear alguém!
Foi um presente sem datas. Veio a vontade de presentear, o momento estava propício e eu lhe comprei um livro, que há muito tempo ela queria.

A encomenda chegou, trazendo livros de escola, um livro para mim e o da amiga.
Separei um papel de presente bem bonito e na hora que eu fui fazer o embrulho, eu abri o livro pois percebi que haviam fotos nele.

Não consegui embrulhar o presente; aliás eu usei o presente da amiga.
Mas confessei tudinho à ela em extensa carta!

Eu, até então, não conhecia absolutamente nada a respeito do livro, da autora, da história que a motivou a escrever.
Comecei olhando as fotografias do livro e aquilo aguçou a minha curiosidade e de repente eu estava fazendo a leitura de toda aquela intensa história.

O livro é o "Para Francisco" da Cris Guerra.
Cris estava grávida de sete meses quando seu marido morreu repentinamente e a escrita foi a maneira que ela encontrou para dizer ao filho quem era o pai que ele não conhecera.

É tudo tão simples, tão cotidiano como fazer um ovo cantarolando, como a troca de e-mails entre o casal para se desejarem um bom-dia, porém ela escreve com tanta sensibilidade, com tanta poesia que essa leveza foi um chacoalhão, um estrondo necessário ouvir.

Como há coisinhas acontecendo no nosso dia a dia, tão simples como um copo de água que nos é oferecido e a gene esquece de acrescentar poesia neste gesto.

Ler o livro assim, sorrateiramente, foi um colírio a refrescar o olhar.

Escrevi tudo isso, com meu pedido de desculpas à minha amiga e disse-lhe que na verdade, foi ela quem me deu um presente!

Nesta semana de dias chuvosos e sem a aparição solar por aqui, chegou em meu whatsaap um bom dia com essa foto:


Era de meu marido em um de seus locais de trabalho.

Ele olhou, fez uma pausa, fez uma fotografia e me enviou com um bom dia.

É estar presente, encurtar a distância daquela manhã, oferecer poesia em forma de imagem, enfim é tanta coisa, é tão imenso essa forma de cultivar o amor, o companheirismo.

Todos os dias temos poesia, delicadezas derramadas sobre nós. Precisamos trazer frescor ao olhar, aos ouvidos e precisamos oferecer também esses delicadezas.

Não deixe de enxergar um pequeno detalhe no seu dia. Ofereça também!

7 comentários:

  1. Confesso que fiquei arrepiada... Lindo demais e esses pequenos gestos fazem nossos dias mais bonitos. A leitura faz bem ,massa presentes inesperados, sejam quais forem alegram demais! Lindo presente ganhaste pelo watsaap! ganhaste a luz solar entrando por esse vitrô! Adorei te ler e tudo ver! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana Paula,
    que linda história você contou aqui!
    Nunca li o este livro da Cris, mas conheço bem a história, e já li
    o livro que ela escreveu com a Leila Ferreira, que é minha escritora preferida.
    A forma linda, simples de escrever dela, me encanta!
    É como se, estivesse conversando com a gente.
    O nome do livro é;Que ninguém nos ouça.
    Uma história linda, entre a Cris, e a Leila.

    Sobre o gesto lindo do seu marido,achei lindo!
    Mostrando seu carinho e cuidado com você.
    Vivo isso, com meus filhos. Sempre me surpreendem com uma mensagem linda,
    uma paisagem...
    Um grande abraço, deus cuide de ti.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde primaveril, querida amiga Ana Paula!
    Você escreveu com tanta delicadeza que é para ler e reler, meditando profundamente no conteúdo tão bem escrito e que eu gosto de meditar sempre sobressaindo a gentileza... delas eu sempre procuro falar e partilhar. Tão imprescindíveis!
    Tenha uma Estação nova abençoada e feliz, amiga!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  4. Uma história muito bela, Ana Paula. Não podemos andar distraídos. A qualquer hora há alguém que se lembra de nos dar um mimo… E já é tanto…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. É preciso reolhar, mudar o foco, ver a beleza em cada dia

    ResponderExcluir
  6. Aninha, vir aqui é sempre um bálsamo, porque encontro luz, inspiração para as belezas da vida, que vem sempre desses gestos de simplicidade, da beleza da natureza...
    As vezes somos bombardeados e contaminados com tantas notícias ruins, e tantos gestos mesquinhos, que não percebemos o essencial...
    Fico sempre encantada com seus gestos de doçuras...
    Beijos doces,
    Ju

    ResponderExcluir
  7. Olá Ana Paula
    Linda postagem, a arte de surpreender encanta a vida. Bjs querida.

    ResponderExcluir