segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Diário das coincidências

Diário das coincidências é o título de um livro que ainda não li. Sequer o tenho. Pretendo.
Acho que todos nós temos coincidências que dariam um livro. Alguns prefeririam chamar de acaso, simultaneidade, serendipidade, auspício quando a coisa é boa. Eu já tentei encontrar significados para as coincidências mas, hoje em dia, desisti. Acontecem e pronto. Desfruto desse acaso simplesmente.
Vou arrancar uma página do meu diário e transcrevê-la aqui.
Domingo.

Querido diário,

Hoje, domingo, 18 de setembro, o dia amanheceu ensolarado.
Promessa de um grande dia!
Lavei roupa. Muitas pessoas não lavam roupas aos domingos. Eu, sim. Gosto mesmo de lavar roupa aos domingos.
E foi bem cedo.
Ainda é inverno no calendário. Não lá fora.
Tudo está tão absurdamente florido. Os pássaros piam com alegria. Vi meninas com vestidos estampados, chinelinhos nos pés e ainda por cima olhei a programação do parque perto de casa e sabe quem vai estar lá querido diário?
Barbatuques!
Sim, sim, aquela trupe que faz sons com o próprio corpo.
Eu nunca os vi, só mesmo rapidamente em algum programa infantil e confesso que fiquei mais empolgada do que as crianças!

Pendurei as roupas no varal e de repente, quando olhei, o varal estava todo revirado.
Também estranhei quando vi duas cédulas de dinheiro, uma nota de dez e outra de vinte estendidas na cama do meu filho no rastro de sol que pousava ali.

Fácil decifrar: ele esqueceu dinheiro no bolso da calça; eu esqueci de inspecionar ao colocar para lavar. Após o mergulho espumoso e após o amaciamento, foram resgatadas do varal e postas ao sol.

O parque parecia mesmo um enorme jardim com a alegria e o zunir, o ir e vir de abelhas alegres.
Pegamos um bom lugar e combinamos: se sairmos, perderemos o lugar, então enquanto um vai, o  outro fica.

Diário querido, sabe o que tinha lá?
Geladinho.
Será que é do seu tempo querido diário? Ou será que você conhece como gelinho, sacolé?
Tudo o que sei é que é delicioso!

Olha só diário:




E olha só que coincidência diário: tinha um sujeito na fila atrás de mim que tinha jeito de quem comprava geladinho na vizinhança. Puxei conversa e não deu outra. Não é mesmo que o cara comprava mesmo geladinho?!
Ele até lembrou que os que eram feitos com leite, era mais caro. Eu nem me lembrava disso. Só comprava mesmo de ki-suco!
Lembramos das plaquinhas no portão, nas janelas, todas feitas de papelão.

Ih, esqueci de contar diário. Acredita que eu achei vinte reais no chão enquanto ia comprar geladinho? No meio de toda aquela gente, justo eu que fui achar?

Minha filha disse "nossa que dó de quem perdeu né?"
Eu respondi "não tenho dó nenhuma"
"Nossa mãe"- ela se indignou.

"Esse dinheiro é do teu irmão, tenho absoluta certeza".

Acredita diário que ela não acreditou em mim?
Quando cheguei de volta ao nosso lugar para assistir ao show, perguntei pro meu filho quanto ele ainda tinha de dinheiro. O moleque afirmou ter vinte e cinco reais. Meteu a mão no bolso e tirou duas notas de dois e uma moeda de um real. Então ficou pálido. "Perdi vinte reais".

"Eu achei; aqui está está".

Que coincidência hein diário?!
A própria mãe achar dinheiro no chão e saber que era do filho.
Minha filha perguntou como eu tinha certeza. Essa nota está cheirando a amaciante.

E depois do geladinho, do perdido e achado, depois de uma semana com notícias tão tristes, a leveza da música, os sons saídos do próprio corpo, a alegria do público.
Precisa de explicações diário?!

Barbatuques


10 comentários:

✿ chica disse...

Que linda página do teu diário e deve ter sido maravilhoso lá no parque. E esse show? Devem ter adorado. A coincidência? Adorei e que bom recuperaste o $$ perdido do teu filho... Valeu e muito! E o geladinho? Aqui chamado de sacolé! Tudo muito bom! Momentos que terminaram bem o dia que já havia iniciado bem, com as roupas lavadas e até a graninha dele,rs...O cheirinho do amaciante foi importante! beijos ,ótima semana pra todos vocês! chica

Poesia do Bem disse...

Esse diário foi escrito com muita alegria, lembranças e coincidências boas. Ah! o show amei, o parque saudades, o geladinho aqui se chama dindim e o meu preferido é de coalhada com quikc, que pode ser colocado Ki-suco de morango no lugar.
Tem novidades no blog!
Boa semana com muitas boas coincidências

Bell disse...

Adoro geladinho e adoro ver as meninas com vestidos floridos uma sempre mais linda que a outra.
Adoráveis momentos!

bjokas =)

Tina Bau Couto disse...

Adorei todo contar
Chupei muito geladinho
Esse da foto uma lindeza
Qt aos avisos nas janelas
Ao ser mais popular
Precinho amigo
Cores e sabores
Eu cá sou desse tempo

Para falta de saquinhos
Calor
Ou variar
Podendo suco e o leite da moça camponesa adicionar
Ou só suco mesmo
Comi muito e resolvi ao lembrar fazer
Abafabanca
Conhece?
Sabe o que é?
Na cuba de gelo colocar para gelar
O suco, nescau, suco e leite condensado
Depois copo
Xícara
Ou de mão mesmo
Refrescancia
Sabor de infância

Amara Mourige disse...

Adorei a página do seu diário. Gostaria de ler outras.O geladinho aqui é sacolé. Fiz muito sacolé para meus filhos, mas com frutas batidas no liquidificador. Eles adoravam de manga e coco com leite condensado.
Também lavo roupas aos domingo e sábados. Ana que coincidência boa, né?
Beijos,
Amara

Eliza Maria disse...

Que texto lindo. É emocionante o jeito que você. Eu não sou muito velha, mas faz muito tempo que eu não vejo um "geladinho" na minha frente. Aqui em Natal nós chamamos de "din din". Eu me lembro das plaquinhas de papelão que você falou, tinha uma em cada esquina e de cinco em cinco minutos eu ia com as outras crianças comprar "din din" eu amava o de coco queimado, eu não me lembro muito bem, mas também acho que ele era 5 centavos mais caro que os de fruta, feitos com água. Achei engraçado quando você soube que o dinheiro que você encontrou era do seu filho só pelo cheirinho de amaciante, foi uma coincidência e tanto. Eu adoro quando acontece esses acaso comigo. Eu acho que o que os torna especiais é que eles ocorrem poucas vezes na vida, mas quando acontecem colocam um sorriso gostoso no rosto da gente, sabe.

Muitos beijos (Em especial um para sua futura dentista), Eliza.

Smareis disse...

Boa noite Ana Paula!
Lindamente Escrita à página do seu diário.
Acontece muito comigo de colocar as roupas na máquina e esquecer de inspecionar os bolsos. Depois que minha máquina destruiu um papel importante que estava no bolso da calça do marido, fiquei mais esperta risos. Agora cédula de dinheiro, a máquina lava, enxágua e o dinheiro fica ali todo enroladinho no bolso, mais não rasga.
Esse geladinho aqui se chama sacolé. E é muito gostoso.
Boa sexta-feira
Abraços!

As Mulheres 4estacoes disse...

Oi Ana Paula,
Adorei ler a página do seu diário. Também tenho um, onde escrevo esporadicamente, coisas que me vão na alma.
Nossa fiz tantos geladinhos em casa, hoje compro para o neto, mas com o nome de gelinho. Minha filha diz que bom mesmo era os que eu fazia.
Com certeza por ter sabor de infância.
Um abraço,
Sônia

Graça Pires disse...

"Diário das coincidências". Que ideia feliz. Gostei muito desta página.
Uma boa semana.
Beijos.

Calu B. disse...

Nem precisa achar explicação pros sentires enlaçados, Ana.Cada definição não preencherá os acontecimentos pra lá de afortunados.
Página luzidia de um domingo ainda mais.

Bjo,
Calu