sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Obrigada porteiro

Estava a passear com o cachorro, quando paramos em uma árvore.
Ele, bem, já sabem.
Eu para admirar o florescer de uma belíssima orquídea.




A árvore que abrigava a orquídea fica de frente para um edifício.
De repente, ouvi o destrancar do portão e um homem uniformizado veio em minha direção.
O porteiro.
Preparei-me para a reprimenda, para uma bronca, palavras difíceis...
As pessoas andam um tanto indispostas com cachorros.

"Muito obrigada por a senhora parar aqui para admirar! Fui eu que amarrei aí na árvore e fui cuidando e olha só, ficou bonita né?!

Devolvi-lhe o meu melhor sorriso e o parabenizei. Disse que eu não levo o menor jeito com as plantas, nem feijão no algodão brota.
Ele riu e despediu-se.
Voltou a sua rotina de porteiro entre vidros escuros e falas por equipamentos eletrônicos.
Aquele homem invisível mostrou-se na beleza de uma orquídea.

Voltei lá na árvore no dia seguinte. Sabia que ele trabalhava dia sim, dia não, portanto não estaria.
Fotografei.
Revelei.
Acenei para o vidro escuro, ele abriu.
Disse-lhe que ele tornava o caminho das pessoas mais bonito.
E entreguei-lhe um envelope.


Dias depois passei pelo mesmo caminho segurando uma sacola pesada.
Não havia mais orquídeas.
A pressa, o peso, passei rápido apenas percebendo a ausência.
Já há uns bons passos a frente, uma mão toca meu ombro.

"A senhora viu que maldade? Arrancaram com as mãos as flores.
Ainda bem que a senhora me deu aquele presente. Obrigado.
Que gente má né?

Seguimos.



10 comentários:

Érika Oliveira disse...

Que lindo!!

✿ chica disse...

Tocante,Ana! Que bom que fotografaste ec deste pra ele! Pena pelos que arrancam... Credo! beijos praianos,chica

Poesia do Bem disse...

Que coisa linda é ter gente sensível pelo caminho, que ama o verde que semeiam esperanças. Triste mesmo ver a maldade dos homens, e que bom tiveste esse gesto de benevolência a revelar a foto assim se guarda pra sempre, mais no coração. Tem novidades no Poesia

Graça Pires disse...

Muito sensível este texto. A amabilidade dos outros deve ser retribuída.
Há sempre quem goste de estragar...
Uma boa semana.
Beijos.

Cristiane Marino - Mulheres em Círculo disse...

Quanta beleza Ana!
A da orquídea, a do senhor que cuidou dela e a sua por apreciar e dar-lhe essa lembrança...e compartilhar isso conosco.
Fiquei emocionada!
Bjs
P.S. Fiquei muito feliz por saber que gostou do filme!

Érika Oliveira disse...

Oi Ana Paula! Acabei de ver seu comentário no meu blog! Super obrigada pela indicação do filme e do movimento! Beijuss

Calu B. disse...

Menina,
que presença linda e em parceria; ações singelas que enfeitam os dias.Este porteiro não desistirá, logo outra orquídea irá aparecer para deleite de todos que tiverem olhos amáveis como os teus.

Por aqui, em minhas caminhadas com Thuco, tbém há uma jóia dessas numa árvore quem tem florescido minhas manhãs.
Um presente, neh!

Bjkas,
Calu

Bia Hain disse...

Eita, que eu pensei que estava curada da fragilidade e já vieram milhões de lágrimas de novo aos meus olhos, kkkk! Que sensibilidade!
Sabe, é desse tipo de gesto que falo, daquele que observa o outro e devolve sua delicadeza gratuitamente, pelo simples impulso natural de ser gentil.
Quem arrancou não sabe o que é valorizar o princípio do cuidado, tão raro hoje em dia. Aprendi com livro Tempo de Esperas o valor de cultivar um jardim e a vê-lo como o cultivo a si mesmo. Tenho sentido falta disso no mundo em geral... a percepção do que valoriza o outro e além, a iniciativa de fazê-lo, pois não adianta parar na percepção. Pensar diariamente em como tornar o mundo do outro também mais bonito.
"Nem feijão no algodão brota" hahaha, olha, eu também já me senti assim, mas não desisti e hoje meus bonsais são a prova de que é possível. Não desista do cultivo de algo, e me conta depois. :)
Obrigada pela partilha do gesto inspirador!
Abraços!

As Mulheres 4estacoes disse...

Olá Ana,
Gosto muito da forma como escreve, do seu olhar sensível descrito com palavras.
Infelizmente há quem tire as plantas, talvez para replantar em sua casa e felizmente há ainda quem as plante, para levar beleza a quem passa por elas.
Um abraço,
Sônia

Li disse...

Que lindo!!! Falta esse carinho nos dias de hoje! Linda história, linda a sua atitude...
Beijos! Ah, obrigada por participar lá no blog... Acho que é a única que passa por lá! Pelo menos sei que não falo sozinha!!! Beijos!!!