quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Muito mais que tolerância

Esse texto deveria ter sido escrito no dia da Padroeira do Brasil, o dia 12 de outubro.
Passou e não o fiz.
Agora, após o tema da redação do Enem, retorno a ele.

Tolerância é uma palavra necessária, mas eu, particularmente, não gosto dela.
Lembro-me com nitidez de uma aula de filosofia que tive em minha adolescência ( faz tempo e já falávamos sobre isso ) em que o professor nos conduziu o pensamento para dentro da "tolerância"e na raiz dela encontramos "coisas" negativas.
Infelizmente não consigo me lembrar de cada palavra tão bem colocada àquela época, porém ficou todo aquele esboço.
Tolerar é suportar. É como uma visita detestável: você não gosta da pessoa, do seu cheiro, dos seus modos, da sua conversa, mas tem que tolerar. Talvez só por algumas horas, alguns dias. E enquanto você está ali tolerando, os seus sentimentos, hermeticamente fechados dentro de você, estão vendo todos os defeitos, criticando, até quem sabe odiando e desejando que aquilo acabe o mais rápido possível.
Você não faz nenhum esforço para encontrar o lado bom, algo agradável, algo que acrescente. Você apenas tolera.
Essa é a minha implicância com a tolerância. Ela nos coloca numa espécie de paralisação, até que tudo passe, termine. É por pouco tempo. Eu exerço a tolerância sob o manto da boa educação, mas ela não me modifica.

Respeito envolve admiração, reconhecimento de que há algo bom ali. Uma abertura para que eu olhe para o outro, para que eu encontre no outro, nas suas ideias, palavras, ações algo positivo que possa me acrescentar.

Claro que num mundo onde se arrancam cabeças literalmente, caso se pense diferente, caso tenha-se outra religião que não a estabelecida, tolerância é mais do que adequado e necessário.
Onde pedras são jogadas contra quem expressa a sua crença que é tão diversa da minha, tolerância é de extrema importância.
E daí a importância do tema da redação que envolve, em sua maioria, os jovens.

Fiquemos atentos quando começarem a ser divulgados trechos ou as redações na íntegra para conhecermos o que vai dentro desses jovens. Pode até ser que sejam apenas politicamente corretos para terem boa nota no exame, mas certamente teremos aí um panorama e espero que seja positivo.

E quando eu quero falar de um passo a mais que a tolerância, volto lá atrás no dia da padroeira, no dia de Nossa Senhora Aparecida.

Moramos na região que é caminho para o Santuário de Aparecida e nessa época do feriado há muitos romeiros que caminham distâncias enormes numa expressão de sua fé.
Por morar na região, as notícias locais são mais abrangentes do que as que passam nos noticiários nacionais e talvez por isso muitas pessoas nem ficaram sabendo da tamanha grandeza que aconteceu por aqui.

É comum, devido a esta peregrinação a pé pela principal rodovia que leva ao santuário encontrar barracas que são montadas ao longo do caminho para um apoio a esses romeiros. Água, sombra, descanso. Muitas pessoas das igrejas católicas locais se revezam no voluntariado.

O que dizer de um acampamento estruturado por evangélicos para acolher esses peregrinos?

Eu digo que é algo para além da tolerância.

Em entrevista, os evangélicos de determinada linha, declararam que eles não acreditam em Nossa Senhora, mas eles respeitam a crença dos católicos, eles admiram a força de vontade de quem faz a longa e difícil caminhada e por isso estavam lá na sombra da tenda armada porém num calor insuportável na beira da estrada. Recebiam os fiéis com um abraço, ofereciam massagem nos pés, nas costas, cuidavam das bolhas e os incentivavam a prosseguir.

A tolerância é um necessário começo. O respeito é esse abraço lindo onde você não precisa abrir mão da sua religião, mas pode acolher o outro sem querer muda-lo, sem julgá-lo pela maneira como expressa a sua fé.

Cada vez mais comum encontro de líderes de diversas religiões.
Possamos reconhecer essa diversidade e tudo o que de melhor cada um tem a oferecer.

9 comentários:

Roselia Bezerra disse...

Bom dia, querida Ana Paula!
Oxalá tudo que fazemos pelos diferentes de nossa fé não seja por interesse em conquistar pra nossa fé os do 'outro lado'... seria uma pena grande!
Vamos prosseguindo pois a vida é um grande mistério em termos de tudo e só vislumbramos um pouco cá na terra...
Bjm muito fraterno

A Menina das Ideias disse...

Passei por Aparecida no início do ano quando fui a Campos do Jordão. Não vi os peregrinos, mas gostei muito de saber desse fato entre evangélicos e católicos (o mundo ainda pode ter salvação!). Também tive essa discussão sobre a palavra tolerância durante a faculdade e foi um tremendo choque pra mim, mas é verdade. Por não sabermos respeitar inventamos o conceito de tolerar, mas um modo de sermos falsos.

Bell disse...

O respeito é tudo, porque o que vale mesmo é a fé que depositamos em cada reza e oração.

bjokas =)

Ana Bailune disse...

è como dizem: se você usa a sua religião para condenar a do próximo, está deixando de exercê-la.

✿ chica disse...

Mais umna vez tirando o chapéu pra esse lindo texto que escreveste. Realmente, se formos a fundo pensar, tolerar parece algo que somos obrigados, forçados, mesmo não suportando... Gostei de tuas colocações ,até mesmo com as visitas,rs Tive que lembrar de uma visitinha de uma senhora chata, que vinha todos os anos e se instalava e eu não mais a suportava, apenas tolerava pois era preciso,aff!!!

E esse exemplo dos evangélicos? O que dizer além de aplaudir e aprender o respeito pelo exemplo que deram. Lindo, adorei ,como sempre, te ler!

bjs, chica

JAN disse...

É Ana Paula... tolerância é um perigo sutil e disfarçado de virtude.
Seu texto é muito bom. Vai fundo na questão e me fez refletir muito.

Abração
Jan

Tina Bau Couto disse...

Como vc n tolero a tal palavra
E tantas outras que desqualificam, descaracterizam o uso, o valor, o sentido para as quais são usadas.

E a palavra tem poder, tb creio.
Pedagógico, social, léxico, energético...

Gosto de viver na Bahia e ter em altares santos, guias...
Amei o tema e quero ver redações próximas e alheias.
Acho que respeito é a palavra chave para religião, sexualidade, política.

Enfim, além do abraço e água dos evangélicos, eu ano que vem teria direito a um café religare?

Poesia do Bem disse...

Essa tolerância, a empatia, o respeito a diversidade e a diferença a escolha de cada um afinal temos livre arbítrio.Também não sou católica,e nem comungo da adoração a Aparecida, mas respeitamos a fé de cada um, e devemos fazer sim o abraço da paz, o comungar o mesmo desejo de que a vida tenha mais valorização a chegar até Deus, Jesus nosso caminho, mas ao caminhar para Ele e por Ele abracemos, acolheremos, respeitaremos os pensamentos dos outros. Boa tua colocação

Graça Pires disse...

Talvez eu dê outro significado à palavra tolerância. Para mim é respeito, fraternidade e, quem sabe, saber dar um abraço a quem sofre... Entendo a carga negativa que dá à palavra, mas podemos aceitar os outros como são, mesmo que sejam diferentes de nós...
Uma boa semana.
Beijos.