sábado, 15 de julho de 2017

A doçura dos blogs

Não estou em minha casa. Há uma semana que estamos na roça, na fazenda e hoje pela primeira vez, abri a lata de açúcar.
Deixei a água do café borbulhar um pouquinho mais que o necessário, só para demorar no reparo.
Reparei docemente no objeto que, nesta casa da fazenda, serve como pegador, medidor do açúcar.
Metade de uma pequena cabaça.


Fui preenchida pela doçura que os blogs me trazem.
Blogs? Você deve estar estranhando a conexão fazenda-blogs.
Mas é exatamente isso: nas minhas andanças pelos cantinhos virtuais dos blogs, através dessa doce partilha, conheci a moça que depois de assistir a um filme ( Ida ), fez certa manhã, uma chuvinha de açúcar sobre o pão com manteiga; de outro canto, a moça disse não ter paciência para finas chuvinhas de açúcar, afinal é uma ariana com ascendente em áries, e então faz um mergulho da sua bolacha lambuzada de manteiga direto na lata de açúcar. E ainda tem a moça que quando vai à padaria, utiliza um pacotinho e meio de açúcar e fica sem saber o que fazer com a metade do pacotinho que fica. Não quer desperdiçar, então dobra-o cuidadosamente e o recoloca na cestinha com a esperança de que um próximo cliente, vencendo indagações e medo de envenenamento, utilize de seu meio pacotinho, gentilmente deixado ali.
Voltando ao café, titubeei em despejar sobre o líquido fumegante o açúcar acomodado na cabacinha. Peguei colher, me senti segura. Ficou bom.
Beberiquei debruçada na janela da cozinha e o pensamento correndo por entre pastos, plantações, amigos cultivados nos blogs e vontade imensa de escrever.





10 comentários:

Tina Bau Couto disse...

Assim...
Meto também o pão não no açucareiro pq ñ cabe
Mas direto no saco
:)
Já imaginas que vou atrás de ver esse filme né?
Tão linda a moça que quer dividir o açúcar
Uma ideia é colocar na carteira e qd findar o refinado mandar o pacote que de algumas marcas tem mensagens, via correio para as amigas
Adorei o pegador
Aqui o do sal é uma pá de jardinagem mini que uma certa garotinha me deu

✿ chica disse...

Aqui diante do marzão, um sol amigo, cenário que adoro, te leio e me encanto...Linda a colher ,lindas as fotos e o filme deve ser bem. Há tanta doçura nos blogs quando bem sabemos circular por eles...

Adorei a foto do açúcar derramando...Tudo lindo, como nem espero outra coisa ao entrar aqui... bjs praianos salgados, mas com ponta de açúcar! chica

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

Que postagem linda e interessante. Senti o cheiro do café que minha mãe fazia, lá na zona rural. Divino!
Abraços, uma noite abençoada e um amanhecer feliz.

Pandora disse...

Um post que aqueceu como um bom café!

Bia Hain disse...

Uma doçura de post, Ana!
Confesso que não sou muito afeita à dias na roça, rsrsrs, um ou dois dias para mim é mais que o suficiente quando é o caso, rsrsrs.
Ainda assim amo capturar essas simplicidades em qualquer lugar que remetem ao aconchego dos tempos em que havia a avó ou o avô para acolher na porta de casa, para reunir a família em torno da mesa no domingo... foi isso que me fez lembrar a colherzinha rústica.
Eu ainda gosto muito de passear pelos blogs embora esteja constatando melancolicamente a ausência lenta dos amigos que estão se indo. Onde mais podemos ler sobre as belezas contidas em divagações sobre açúcar?
Abraços!

Cristiane Marino - Mulheres em Círculo® disse...

que doçura de post!
Bjs

JAN disse...

Café feito com açúcar.
Postagem feita com afeto.
Minha sobremesa predileta.

BJK
JAN

Graça Pires disse...

Não vi esse filme, mas gostava de ter visto. Assim como gostei desta crónica adoçada com açúcar e carinho.
Uma boa semana.
Um beijo.

Luma Rosa disse...

Escreve menininha, escreve!!
Eu aqui tentando voltar à doçura dos blogues. Faz falta!!
Beijus,

Lucinalva disse...

Boa tarde, Ana Paula
Linda postagem, abraços.