sexta-feira, 13 de junho de 2014

Alô alô responde







Orelhões em São Paulo voltam a ter fila. Fila para fotografá-los!
Todas as fotos acima foram tiradas ao longo da Avenida Paulista - SP.
Quando eu fotografei, pensei em um texto para o blog fazendo um trocadilho dos smartphones que fotografam orelhões e a pergunta "quem ainda tem um cartão telefônico, ou quem ainda usa um orelhão?". O tempo passou, eu não escrevi e isso foi ótimo porque eu estaria sendo incorreta e injusta com os orelhões.
Neste tempo li uma matéria no jornal que tinha a seguinte frase: "Minguantes, orelhões de São Paulo fazem menos de duas ligações por dia".
Eu imaginava que não fizessem nenhuma...

A média para a maior capital do país é de uma a duas ligações diárias; exceção vai para a Rodoviária Tietê que contabiliza até cinco chamadas feitas em seus orelhões.
E há um outro orelhão recordista de chamadas que fica próximo a uma das unidades Fundação Casa, instituição para reabilitação de menores. Lá há um ponto de táxi em frente a um orelhão e o motorista do táxi relatou que sempre vê mulheres, geralmente chorando, usando o orelhão, seja para comunicar a boa notícia da liberação do parente menor de idade e solicitar que se traga documentos e roupas, ou para dar a má notícia de que nada se conseguiu.

Usei muito orelhão no tempo das fichas com duração ilimitada e filas quilométricas; depois vieram as fichas DDD, os cartões telefônicos, a minha insistência em não ter celular e procurar um aparelho telefônico público que funcionasse ou estivesse inteiro e agora apenas fotografando orelhões. Acho que faz muito tempo que não utilizo um.

Esses da Paulista foram repaginados para a Copa. O das duas últimas fotos tinham sido vandalizados e quebrados; não sei se arrumaram. Ainda bem que a foto foi feita a tempo. Achei-o muito criativo.

No Rio e em Florianópolis já estão testando outras funções para o orelhão como o wi-fi.

E o fotógrafo Cássio Vasconcelos clicou um cemitério de orelhões na Freguesia do Ó.


E você,  tem um cartão telefônico na carteira. Ou faz ligações de orelhões a cobrar?
Conta aí para a gente o que acha dos orelhões terem outras funções?

15 comentários:

Ana Bailune disse...

Bom dia! Muito bacana esse texto.
nossa, faz um século que não uso (ou vejo, ao vivo) um orelhão! estes são muito interessantes, e acho que enfeitam a cidade.
Bom dia pra você.

✿ chica disse...

Muito usei os orelhões.Quando morava fora, nas viagens, bah! Muito mesmo!

Hoje, se por acaso preciso, ligo a cobrar. Adorei esses orelhões bem enfeitadinhos! Se fossem em poa, não mais existiriam.Aqui o povo é diferente...

beijos,tudo de bom,chica e um lindo fds!

Karina disse...

Oie!!!

Preciso dar uma passeadinha na Paulista!!!!

Já usei e de vez em quando uso, sabe porque? A doida aqui ama tanto celular, que esquece de carrega-lo junto e na energia também! :S

Tenho um smartphone, e depois de 1 ano que me acostumei a por para carrega-lo a noite, pois antes meu velho companheiro a bateria durava a semana inteira e dai só carregava nos finais de semana!Chegava final de semana, saia sem ele e dai usava orelhão! No outro dia sai de casa para ir na padaria e uma senhora perguntou onde tinha um orelhão e eu não sabia responder! E olha que moro ali desde que nasci!

Beijos!

Anne Lieri disse...

Nossa,que orelhões mais lindos! Fiquei até com vontade de telefonar!...rss...muito legal sua postagem,Ana Paula! bjs,

Dama de Cinzas disse...

Em pensar que enfrentei muita fila de orelhão. Fora os bate boca por conta da demora, era muita confusão. E hoje em dia é isso... rs. Como as coisas mudam.

Beijocas

Suzy Rhoden disse...

Ana Paula, eu poderia dizer que há séculos não uso um orelhão, para deixar bem clara a distância entre mim e eles atualmente rsrsrs Mas me foram muito úteis nos tempos de estudante morando longe da família... Depois, com a chegada dos celulares, passei por todas as fases que você passou, resistindo a me modernizar. Bem, ainda resisto, juro de pés juntos que não preciso do último lançamento... até tê-lo nas mãos e decidir que não consigo mais sobreviver sem ele! rsrsrs
Lindos os orelhões, que sobrevivam ao vandalismo... será? Tomara, pois estão mesmo muito belos, muito Brasil.

Deixo-te um beijo, desejando um lindo fim de semana!

Vania Lucia disse...

Ah! Lindos! Super divertidos e devem ter dado um charme a mais na Av. Paulista...
Devia ter sido mais divulgada a criatividade é sempre uma arte e estes orelhões são lindos e muito significativos.
Amei.
Bjs

A BETI disse...

Orelhões repaginados, mto dez!
Vendo as fotos lembrei de uma cidade, onde os orelhões são todos relacionados a fauna brasileira, como por ex: onça, tucano,capivara, etc. Uma linda cidade, Guaíra no Paraná.
Quanto a outras funções acredito q seja interessante, tudo que venha para o bem da humanidade que aconteça.
Um mega fds para vc!
Bjssssssssssssssssssssssss

Clara Lucia disse...

Ana, já usei muito tanto as fichas quanto o cartão. Mas o celular já predomina nas ligações. E o fixo também. Demorei a me render ao celular, mas é uma mão na roda, né?
Não tinha me dado conta de que quase não são mais usados...
E esse cemitério, que agonia ver isso!
Beijos

Calu B. disse...

OI Ana,
achei o máximo a decoração temática dos orelhões da Paulista.Sou adepta da reciclagem cidadã e quero mesmo que repaginem o uso dos orelhões que a meu ver ainda tem utilidade sim.
Boa semana.Bjkas,
Calu

Moro em um Kinder Ovo disse...

Amei os orelhões temáticos e seria bom se as pessoas ajudassem a preservá-los. Eu sou do tempo que, para fazer uma ligação, precisava da ajuda de uma telefonista. Fiquei traumatizada e hoje procuro usar o telefone somente para o necessário. Acomodada, fico esperando que as pessoas me chamem e quase nunca os utilizo.

Tina Bau Couto disse...

Lindos esses orelhões estilizados. Tirei foto em um qd fui ai em Sampa.
Uso qd vez os daqui no shopping, qd esqueço em casa o celular, qd estou a fim de ser retô, já usei p tirar foto, para ensinar ao filho, satisfazer o desejo do sobrinho...

Tenho cartões japoneses levados no tempo das fichas por uma amiga p escola

Amei o post
Deu vontade de blogar
Vou lá :(

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Que legal Ana, adoro essas artes que só aparecem em Sampa, saudades imensas da capital paulista afff Bjossss

Graziela disse...

Que lindo esses orelhoes. Nao tinha visto nada sobre.
Usei muito de ficha tambem e ainda uso, eventualmente mas uso.
Infelizmente as pessoas nao conseguem cuidar do que e' publico/ nosso e muito menos preservar e valorizar a arte.
Abracos
Gra'

Filha de José disse...

Oi Ana.
Legal demais este post.
Muita criatividade nos orelhões em São Paulo.
Aqui em JF não vi nada assim...
Se eu estivesse lá também os fotografaria.

Lembro do tempo das fichas telefônicas.
E depois dos cartões. Quando estes chegaram veio a moda das coleções.

Dia desses, num evento que participei em São Paulo, tirei uma foto num orelhão, querendo registrar uma coisa rara.

rs.

Abraço.

Ana Virgínia