quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Eu tenho saudade

Recebi por e-mail um convite do Carlos Ferreira, deste blog aqui, para contribuir com um texto sobre saudade, que será o título do livro a ser lançado por ele.
Compartilho aqui minha saudade:

Eu tenho saudade da minha caixa de e-mail com o número 3 em entrada. Era um e-mail de corrente, desses que a gente vai repassando para vários amigos, que eu, a depender do humor do momento, lia de imediato ou deixava para outro dia, mas nunca deixava de ler.
Os outros dois eram mesmo pessoais.
Puxa! Que saudade de e-mails pessoais! Esses, eu os respondia de imediato.
Um antigo prefeito da antiga cidade onde eu morava colocou em prática a lei da "cidade limpa"contra publicidade espalhadas  em postes, fachadas, outdoors. Tenho certeza que todo aquele emporcalhamento descontrolado veio parar na minha caixinha de e-mail.
De meia-calça em spray ( sério mesmo que isso existe? ) à zerar os pontos na minha carteira de habilitação ( mas eu nem dirijo ) à dar mais prazer à minha companheira aumentando o tamanho do meu, deixa pra lá (ei, mas eu sou mulher ). E-mail pessoal, nenhum. Esses outros aí, mais de cinquenta.

Ah que saudades de ligar do celular e falar "oi,tudo bem?", colocando uma exclamação na voz. Hoje eu ligo e falo entre cochichos e colchetes [ oi, você pode falar?].
E é interessante, a pessoa nunca pode falar porque está ou no trabalho ou no trânsito, mas ela pode digitar...
E essa é outra saudade: apertar a tecla número um do meu celular três vezes para aparecer a letra c.
E você ainda manda mensagem? Não acredito. Não tem WhatSapp? Vem então a saudade de colocar crédito no celular e ganhar de bônus 20, 30, 99 sms, torpedos, lembra?
Do orkut nem vou falar, porque faz tanto tempo que nem me lembro mais.
Tenho saudade daquele conceito que era disseminado: o virtual veio para facilitar a vida e dar mais tempo a cada um de nós.
Saudade do tempo em que eu acreditei nisso...

8 comentários:

Poesia do Bem disse...

Nossa o tempo muda, a vida passa, a tecnologia avança e vai deixando lembranças e doce saudade né? bjs

Nidja Andrade disse...

Intensidade de sentimentos ... Lindas demais tuas postagens ! Beijo, boa semana.

Luma Rosa disse...

Nossa, como você se lembra dessas coisas! :) E-mail sempre foi um problema para mim. Nunca olho justo por ter que deletar tanta coisa - Que preguiça! Vira e mexe tem alguém no blogue ou no facebook, pedindo que eu olhe o meu e-mail...
Mandar mensagem e ter um whatsapp, mais dos mesmos que apenas consomem o nosso tempo.
Essa foi uma paulada, Ana Paula: "...a pessoa nunca pode falar porque está ou no trabalho ou no trânsito, mas ela pode digitar..."
Beijus,

✿ chica disse...

Que legal te ler e ver tuas saudades!! Tudo muda mesmo! Eu aqui na praia, tenho saudades do tempo em que praia era apenas mar, água, sol e areia...Hoje, além de gente e mais gente, essas "gentes" precisam de stand up, caiaques, pranchas e tantas coisas mais...

bjs praianos,chica

Janaína de Souza Roberto disse...

São tantas saudades, né?! Eu também sinto falta de tudo isso, inclusive do orkut que eu só podia colocar 12 fotos, lembra disso?
Lembro também na época que eu e meus amigos falávamos "3 segundos" para não gastar crédito... Aaah, tempo, seu danadinho!
Adorei o texto.

Beijocas,
Nina & Suas Letras

Selma Helena. disse...

Oi Ana!

Que delicia teu texto!
Eu sinto saudade do msn. Aquela janelinha subindo com o nome dos amigos de longe, o barulhinho chamando, as mensagens na tela do computados quando deixadas em off...
Beijos!

Tina Bau Couto disse...

Pois é!
Saudade de quando eu também acreditei.
De telegramas, cartões de natal postais, cartas, papo na porta.
Mando emails pessoais e recebo poucas respostas, algumas é a pergunta se tenho zap
Sim, tenho, mas uso email pode ser?
E mando sms. E pelo zap papo por áudio fico meio de bico, e se digo sou a chata. Saudade de quando ter opinião diferente era ter personalidade.
E uso o fixo e falando nele, folheando agendas antigas (uso celular, tablet, note, post its e agenda), nas letras todas com nomes e números apenas de fixos nas de 1991, 92...números com 6 dígitos apenas. Muitos sei de cabeça até hoje.
Saudade de tanta coisa!

Bia Hain disse...

Ana, seu texto ficou moderno e delicioso de se ler... não sou muito chegada a elefones, mas a mensagens por e-mail... confesso que uma em especial, de um remetente em especial, faz meu coração pular tanto!
Esses dias cheguei a instalar o whats app, mas exclui... quem sabe um dia. Ainda sou defensora ferrenha do olho no olho, do toque na pele, de sentir o cheiro de quem está perto... coisas que nenhuma tecnologia é capaz de reproduzir. Um abraço!