sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Desculpe, não vou

Chegou por e-mail o convite para o Impeachment de Dilma, desculpe, não vou.
Consultei o calendário para dar suporte à minha cisma e estava lá: domingo, 15/03.
O site da previsão do tempo não consultei; talvez seja um domingo de sol e ficará bonito as grandes praças, avenidas, tomadas de gente de cima a baixo no mapa do Brasil. E com toda essa beleza, não sentirei orgulho dessa vez.
Acho fantasioso imaginar que saindo às ruas teremos logo a seguir um outro alguém. Talvez um dos nanicos, aqueles dos 1% nas pesquisas, ou o terceiro colocado, ou a oposição e aí tudo ficará melhor. Nada disso, assume o vice e...?
Chega de corrupção, estará escrito em cartolinas, canelão pilot azul, preto ou vermelho. Chega, chega mesmo, mas quando parte do próprio governo uma medida drástica para reduzir custos e um tanto de sacanagem, como por exemplo o seguro desemprego, a maioria contra. Não queremos corrupção, mas fazemos as nossas pequenas, diárias, o "se vira nos trinta".
Haverá selfies, muitas selfies solitárias com o rosto pintado de verde e amarelo, com os amigos, as selfies diferentes tiradas com a GoPro.
Mesmo assim não irei. Na outra gigante manifestação, que se deu pelos vinte centavos e acabou se mostrando numa vitrine de pedidos: saúde, educação, mais educação.
O que é mais educação?
Falamos mal, reclamamos e o que fazemos pela educação? Ao menos na reunião da escola vamos?
Desculpe, mas eu não vou.
Nauseei com o que li pelo meu computador nas últimas eleições. Será que guerra define?
E muitos felizes por terem rompido com amigos, família, marcando o Natal com os similares de militância.
Eu precisei ir à escola do meu filho meter a boca, brigar mesmo, rodar a baiana. Nada disso foi preciso. O diretor confirmou - "É, eu estou tento problemas com os professores sabe? A maioria é formada na USP e aí né, eles estão mesmo empolgados.
Empolgados não. Eles deveriam ensinar cidadania, voto, política, formação do Congresso, das Câmaras e eles estão simplesmente, como disseram alguns adolescentes, "fazendo lavagem cerebral a favor do PT"
E eu achando que isso só ocorria na universidade. Ou, no último ano do ensino médio, quando eles já podem votar. Agora fazer isso no oitavo ano? 
Mesmo assim, sendo contra tudo isso, não vou.
Não me foi ensinado política, não tive pais envolvidos, vou indo, a duras penas, tentando compreender.
Será bonito o domingo, faça chuva ou sol. Mas, e os baderneiros? O spray de pimenta, bala de borracha, depredação. Vai ou não ter?
Gostaria que me chamassem, em São Paulo, para um manifestação em prol de renascimento do rio Tietê. Crise hídrica, nome pomposo, iminência de racionamento, algo assim, cinco dias sem água e dois com, com um rio de corta a cidade com águas podres. Estou saturada de vídeos fofos mandados para jornais locais com crianças fofas ajudando mamãe a economizar água. Temos sim que fazer a nossa parte, mas e a companhia de água e abastecimento. Faz vídeos fofos de todas as perdas que ela têm, e que gira em torno de 40% de água tratada, potável? E tentam colocar a culpa somente em nós? E ainda pedem que rezemos, esperando um milagre?

Democracia é isso - goste ou não, votou ou não, está aí e temos que gerenciar todas as crises que ainda virão.
Tomara, torço para eu estar errada quanto à minha cisma. 

10 comentários:

Marcílio Godoi disse...

Perfect!

✿ chica disse...

Eu também não vou! Não acredito que entrando o vive, algo mudaria! O povo foi quem votou, não me incluo! NÃO VOTEI NELA!

A coisa tá danada, feia mesmo! Mas enquanto as coisas não mudarem DRASTICAMENTE a corrupção rodará soltinha e feliz da vida, rindo dos trouxas que ainda perdem domingos, tem paredes nas casas enfeiadas, vidros de bancos, lojas, quebrados, ônibus incendiados, etc...

Não compactuo com isso de modo algum. BADERNA pura isso!
Temos que colocar nosso grito onde pode haver retorno: nas casas com nossos filhos e netos, fazendo ver o que temos pela frente e que NUNCA gostaríamos de ter que assistir a isso! Assim, eles poderão pensar e repensar para o futuro! bjs, tudo de bom,chica

Tina Bau Couto disse...

Imperfeições, incoerências, incompetências
Indagações
Indignação
E zero de esperança, sendo verde a cor predominante de nossa bandeira
Bandalheira
Cegueira
Interesses pessoais como carro chefe
Não obrigada

Sua crônica apartidária eu assim visualizei é nesse quesito e na escrita perfeita
Triste concordar e ver concordâncias distintas

Votaria em você :)

Pandora disse...

Você estão no luco com 5 dias sem e 1 com! Aqui em casa é 1 só para 5 sem kkk e somos considerados sortudos, tem gente que tem conta e não tem água!

Estou cansada dessa turma contra Dilma... A maior parte das criticas não tem nem mesmo base real... PSDB/PT e todos os outros partidos... A cultura politica brasileira é que devia mudar! Estou cansada! E sinceramente me recuso a defender partido na minha sala de aula, o bom de ser professora de história é que explico logo a origem do termo aos 6º anos que tem Grécia como conteúdo e com os 7º anos eu já peço para eles lembrarem... já estão ensaiados, já sabem que politica tem haver com forma como o cidadão se relaciona com os assuntos de interesse público vai além de partidos!

Ah, Ana que bom que a professora de História é querida pela Julia, confesso que fiquei orando para que fosse assim kkkk Que inveja dela que tem a Julia como aluna!!! Espero que ela continue amando, o sexto ano é maravilhoso... Egito, Mesopotâmia, Grécia, Roma.... meus conteúdos favoritos \o/

Luma Rosa disse...

Oi, Ana Paula!
Se for provado que o tesoureiro do PT usou o dinheiro do Petrolão para a campanha da Dilma, não precisará de Impeachment, seu mandato será cassado. Isso se obedecerem a lei federal nº 9.504, de 30 de setembro de 1997.
Acho que os insatisfeitos devem ir às ruas exercer o direito de protestar. Só não vou pq vou para o meio do mato.
:)
Entendo o seu ponto de vista, quando diz que os outros manifestos em nada adiantaram e também pq as informações estão confusas por causa dos partidos que querem forjar culpas e defender intereses.
Tem aquela a dúvida, se a Dilma cair, entra o último presidente. Quem é o último? Se for pedido impeachment duplo, entra o Lula. Se pedir triplo, entra o FHC... Esse diz que não quer mais governar o país, mas pode escolher por direito alguém para substituí-lo. Que irá acontecer?
Fico torcendo pela saúde da Dilma e do Lula. Já pensou se um deles morre?
Do jeito que é esse país, será um passo para o vilão virar herói.
Bom descanso!
Beijus,

Estela Vidal Ribeiro disse...

Olá, Ana! Não estou aqui para defender ninguém, mas é triste acompanhar essa questão do impeachment. Ela foi eleita pelo povo democraticamente. Numa eleição cheia de brigas, com um país dividido. Corrupção? Sim, tem bastante. Tira a Dilma assume o vice e a corrupção? Continuará la. Próxima eleicao entra outro e a corrupção estará lá tambem. A verdade é que não temos para onde correr. Vc disse bem quando falou que a corrupção comeca em nós. Concordo plenamente! E o pior é que não vejo saída nem tao cedo. Como professora não vejo a educação como salvação da nossa pátria, pois poucos estão realmente preocupados em melhorá-la. Vejo pais transferindo o dever de educar, professores oprimidos por um sistema educacional falho, e a coisa vai ficando assim. Algumas melhoras, mas ainda falta muito! Também não vou as ruas protestar pura e simplesmente por não acreditar que vá mudar significativamente alguma coisa. Uma pena não conseguir acreditar que este país um dia vá mudar...
Beijo

querendoserblogueira.blogspot.com.br

Poesia do Bem disse...

Eu também não vou Ana, e concordo plenamente com vc, temos que fazer sim nossa parte, mas o governo também, e superarmos as crises, tomara consigamos. bjs e tem texto importante no blog

ReltiH disse...

UN EXCELENTE PLANTEAMIENTO.
UN ABRAZO

Ana Bailune disse...

Parabéns! Também não vou participar dessa manifestação hipócrita e sem propósito, já que a Dilma está lá, eleita pela maioria do povo - e a maioria dessa maioria, seria tão corrupta quanto ela, se tivesse a chance. Não vou porque eu prefiro TRABALHAR.

Rovênia disse...

Olá, Ana,
São tantos erros que é difícil saber por onde começar. Tenho perdido a esperança de ver melhoras, embora saiba que pensar assim já é uma derrota. Vamos de grão em grão, como diz a minha avó.

:)