quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O lar que habitaremos

Era ficção científica, imaginação fértil, como tantas outras coisas que hoje são realidade.
A maioria sensacional, útil. As grandes evoluções da tecnologia, não apenas de computadores, nas pesquisas, ciências. 
Mas há uma conquista que eu não gostaria que acontecesse. É difícil expressar que não  é desmerecimento do trabalho, do empenho.
Falo da conquista de outros planetas. Dos cientistas, astrônomos tão dedicados a isto. Não deve ser mal, errado. Há méritos e frutos em tantos anos de dedicação.
O problema nào está neles e sim em nós.
Assim como a internet revolucionou e nós é que muitas vezes damos destino incorreto ao uso dela, a possibilidade de conquista de outros planetas corre o mesmo risco.
Eu não gostaria que o ser humano tivesse a possibilidade de ir morar lá sei onde.
Destruímos dia a dia o nosso planeta Terra e seria diferente com os demais?
Sucateamos nosso ninho e agora poderíamos abandoná-lo e viver melhor?
Desculpem cientistas, mas não levem não gente, nós os humanos para lá.
A não ser que vire realidade a regeneração feita por nossas próprias mãos aqui, tornando isso aqui, nossa casa, nossa morada o que ela já foi antes, aí pode-se até pensar...

Muitas vezes desanimo, desanimo mesmo, acho que não vai ter jeito. E de repente me vejo acreditando novamente, mas acreditando que é aqui, os pés na terra que podemos fazer e revolucionar.

Ontem por uma sugestão virtual, cheguei a um vídeo que me disse muito, que me mostrou e reinaugurou esperanças.
É um vídeo de Sebastião Salgado ( 16 min ) e poderia ser um excelente relato sobre fotografia e um dos maiores fotógrafos do planeta. É mais, é além.
É possível sim, aqui mesmo.

8 comentários:

✿ chica disse...

Ana Paula. Esse vídeo é maravilhoso e faz pensar... E ERA ficção científica a invasão de humanos em outro planeta. Também acho que não deveriam poder pisar lá, sem antes ter deixado o nosso em condições bem diferentes das que nos encontramos. Aqui em Poa, hoje ainda foi comentado nos jornais dos lixos e mais lixos amontoados nas nossas águas... Pena.,Não aprendem...Será que lá seria diferente? Não creio! bjs, tudo de bom,chica

Poesia do Bem disse...

O vídeo é lindo e eu admiro muito o trabalho do Sebastião salgado. Um texto reflexivo.

Tina Bau Couto disse...

Pois é
Em fotos
Em fatos
Lindo e triste

Sou uma menina de Marte
Sinto pesar de que irão invadir meu planeta
#chateada
Vou mandar uma mensagem para Marvin o Marciano fazer alguma coisa
O planeta vermelho não merece ser destino e vítima de seres pouco evoluídos que não cuidam nem de seu planeta pra qto mais do dos vizinhos
E tenho dito

Moro em um Kinder Ovo disse...

Se ainda não aprendemos a cuidar do nosso quintal é melhor que fiquemos por aqui mesmo. Ontem vi uma reportagem que mostrava uma brasileira selecionada para uma destas tentativas de habitar outros planetas. Achei ela meio velha para tal empreitada uma vez que a passagem é só de ida.

Ana Bailune disse...

Tomara que haja ETs. E tomara que eles sejam territoriais e bairristas.

Vania Lucia disse...

Concordo com você, Ana Paula. Quem somos nós para ir bisbilhotar outros planetas se não conseguimos manter o nosso. Que possamos nos organizar como uma grande família humana antes de nos metermos na vida de outros com certeza mais evoluídos que nós...
Beijinhos

Bia Hain disse...

Olá, Ana! Interessante seu ponto de vista. Certamente o investimento e o tempo gasto em estudos dessas possibilidades poderiam ser aplicados em formas de sustentabilizar o nosso planeta e sobretudo, o pensamento humano. Um abraço!

CÉU disse...

Do lado bem de dentro do coração.
Muito reflexivo, no mínimo.

BFS.