terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Na parede branca


Na parede branca
dedos e mãos
deixam marcas
a julgar pela altura
em que se estamparam
é preciso empregar
o diminutivo:
mãozinha, dedinho

Mãozinhas e dedinhos
que não se diminuíram
em traquinices

Numa geometria
tão apertada
inúmeros passos
inúmeras alegrias
incontáveis risadas
e gargalhadas

A menina-flor
que uma flor ali desenhou
também chorou
e em mil pétalas se desculpou

Olhando para a parede,
que logo será metamorfoseada,
pela branca tinta
não vejo rabisco e sujeira

Vejo a jabuticabeira que não temos
no quintal
Vejo meninos acenando
do alto de um galho
a boca lambuzada de manga
Vejo a menina-flor
num jardim de margaridas
com o amor no coração
brincando de
bem-me-quer, mal-me-quer”
Vejo uma casa avarandada
por onde correm crianças
pés descalços
grito solto

Ouço a corda batendo no chão
e o cabelo amarrado
em laço de fita da menina
dançando feliz no ar

A lata de tinta branca
aguarda:
silenciar todos os retratos ali estampados
ou branquear
para outras travessuras ali brincar?



9 comentários:

✿ chica disse...

Lindo!!!E dá pena de passar tinta branca sobre tantas lembranças...As marcas saem das paredes,mas ficam no coração...beijos,lindo dia,chica

Patricia disse...

Lindo!!
bjs

Imac by Artes disse...

Que linda postagem!
Fui lendo e imaginando as cenas,
senti integrada nelas...Amei!
Abraços! Um dia lindo e abençoado pra ti.

Tina disse...

Qd passo pelo prédio onde passei minha infância ouço meu pé batendo no pular elástico, o barulho de encaixar a bola no baleado, o um dois três e já, zerinho ou um, vejo meu cabelo amarrado em laço de fita, ai depois de passar por lá td fica branco outra vez e passo a ouvir o som dos carros e listar mentalmente minhas tarefas e compromissos :)

mfc disse...

Um poema que é um encanto de imaginação e ternura!
Que a tinta branca espere e que a alegria desse sorriso te possa deixar a prosseguir no sonho lindo.

Débora disse...

Assino embaixo do comentário de Chica...Nas paredes podem ser dadas várias demãos de tinta, porém as marcas das lembranças ficam no coração.
Bjão
Débora

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, faz parte, né? hehehe! Estou torcendo para a próxima travessura pós tinta branca (a tinta branca tornou-se a vilã da história, rs.).

Seu texto está muito gostoso de ler e com muita criatividade. Veja esta:
"e em mil pétalas se desculpou"
Não é genial essa tirada sua?!
Muito legal e "real" essa postagem.
Beijo.
Manoel.

Lola disse...

ai que coisa mais gostosa acordar e ler um oema assim.. para começar o dia bem..Beijõesssssssss! saudade dos nossos papos mais frequentes

Coisas da Vida disse...

Olá Ana!!
Lindo poema!
Espero que branquear para outras travessuras ali brincar! Um dia esta fase passa e as paredes vão sentir saudades
das suas estampas.
Beijos!