quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Escrever à mão

Em tom de brincadeira, o professor que falava na reunião escolar, disse que aquela escola ainda mantinha valores antigos como o de escrever a mão.
É algo que precisa mesmo ser falado e imagino que será, ou até já existe, escolas fazendo suas publicidades com essa marca "aqui ainda escrevemos à mão; aqui não se usa mais lápis e caneta".
Há países que já vem abolindo a letra cursiva. Há inúmeras pesquisas a favor do manuscrito e seus efeitos no cérebro e outras tantas que defendem o uso da digitação sem prejuízo algum.
E você, qual a sua opinião?

Caso tenha cinco minutinhos disponíveis, ajude numa pesquisa que é bem gostosa de responder!
A pesquisa é da Viviane do blog semreservas.com.br.

Clica aqui para responder.

10 comentários:

✿ chica disse...

Ainda escreve( ou melhor,rabisco) à mão! Gosto e ando sempre com uma caderneta pra possíveis ideias e inspirações, feitas à mão em qualquer lugar! Já respondi a pesquisa! bjs, chica e lindo dia!

Tina Bau Couto disse...

Manuscritos
Letras cursivas
Assinaturas (nome completo e não rubrica)
Remetem ao nome, as letras, a noção de maiúsculas e minúsculas, nomes próprios, desenhar, pois letras são desenhos que todos que escrevem sabem fazer
Valores e significados diversos há na prática do escrever a mão, a lápis, caneta, fazer cartaz com piloto ou guache
Arte
Tradição
Personalidade
Treino e desenvolvimento de habilidades motoras
Algo a mais porque não, tipo, de tanto que não são estimulados e desafiados a nada manual e tantas outras coisas, breve os antigos terão um currículo mais extenso e ricos que os moderninhos clica clica

O advento da borracha não é mais usado, traço em cima das palavras, corretor
Acho que nesse objeto em desuso, a borracha, por exemplo, há como em muitos outros poesia, referências e paralelos, com a educação, a prática, a atenção, tudo levado por tabela pra vida

Vou lá na pesquisa e pra fechar segue um contar que amo e achei ilustraria seu apontar

O Fabricante de lápis falou com cada um de seus lápis dizendo:
- Existem cinco coisas que você precisa saber antes de eu lhe enviar para o mundo. Sempre se lembre delas e você se tornará o melhor lápis que você pode ser.
- Primeira: Você poderá fazer muitas grandes coisas, mas só se você permitir-se estar seguro na mão de Alguém.
- Segunda: Você experimentará um doloroso processo de ser afiado de vez em quando, mas isto é exigido se você quiser se tornar um lápis melhor.
- Terceira: Você tem a habilidade de corrigir qualquer mal entendido que você puder ocasionar.
- Quarta: A parte mais importante de você sempre estará do lado de dentro.
- Quinta: Não importa a condição, você deve continuar a escrever. Você deve sempre deixar uma marca clara e legível não importa o quão difícil a situação.
Todos os lápis entenderam, prometendo lembrar-se sempre, e entraram na caixa compreendendo completamente o propósito do seu Fabricante.

Bia Jubiart disse...

Jamais abandonarei meu lápis ou caneta rsrsrsr.
Paula, fui lá e respondi, achei a pesquisa muito interessante.

Bjooooooo.

Portugalredecouvertes disse...

poderá parecer incrível mas um lápis ou caneta já se tornam tão foram de jeito ! como pode ser se o que sabemos hoje aprendemos com eles! somos mesmo mal agradecidos, colocamos de parte quem nos ajudou a fazer um texto, a corrigir uma ideia, a registar um pensamento para memória futura, a escrever uma carta de amor...
assim desprezamos algo que foi muito nosso amigo, mas ainda podemos considerar um lápis como um objeto que nos permite escrever como se de um desenho se tratasse, uma espécie de obra de arte...
os lápis bem merecem um pouco do nosso carinho:)

Poesia do Bem disse...

Como professora ainda escrevo á mçao, registros das crianças, planos de ula, recadinhos, os diários de classe mesmo algumas coisas burocráticas que poderiam ser digitadas já que são cópias hehe, poesias são as únicas coisas digitadas no meu blog. heheh Bjs

Lourdinha Vilela disse...

Eu agora resolvi passar todos os meus escritos da telinha para um caderno bem bonito que comprei. Não existe a facilidade de buscar a imagem apenas num clic, então saio a procura de revistas e vou recortando ou em outras, eu mesmo tento desenhar para ilustrar cada página. Tem sido um trabalho prazeroso. Apenas acho que nunca vou acabar se levar em conta a dinâmica das postagens pelo PC. É muito bom escrever à mão.
Grande abraço.

Beth/Lilás disse...

Acho lindo escrevermos a mão e eu já tive uma letra linda, ganhei um concurso até de melhor caligrafia.
Hoje, sinto até dificuldade para escrever e se for por muito temp, meus dedos até doem. Uma pena!
Um abraço carioca.

Greyce disse...

Meus colegas riem: minhas duas dissertaçoes de mestrado, escrevi a mão para depois digitar. Sempre faço isso. Escrever com papel e lápis é muito mais produtivo, para mim,pois reflito muito mais.
Bjo

Mi F. Colmán disse...

Eu admiro demais quem consegue escrever à mão, por falta de hábito de tanto digitar e também por estar com um problema de coordenação motora, vejo que minhas redações nos vestibulares e no ENEM serão catastróficas para os corretores! rs.
Sempre escrevi à mão só na escola, acho a digitação muito mais prática, na hora do erro é muito mais simples apenas consertá-lo do que, muitas vezes, ter que começar tuuudo de novo.
Não sei como os escritores de outras épocas conseguiam escrever livros e livros desse jeito.
É por isso que admiro tanto quem consegue.

Rivotril com Coca-Cola

Mi F. Colmán disse...

Em tempo: lembrei do meu caderno de gratidão. Portanto, não é só na escola que faço uso do manuscrito, porém, são ilegíveis! Muitas vezes preciso reler, focar, para poder entender o que escrevi. hahahaha!