segunda-feira, 16 de maio de 2011

Adormecer




Adormecer

Meu coração se enternece
olhando-os assim
adormecidos
exalando tranquilidade
no barulhinho da respiração

Quero cobrí-los
com o manto das estrelas
iluminando as faces coradas
por um dia de traquinagens

Trago nuvens a repousar
suas cabecinhas
para que tenham sonhos macios

A lua com sua esplêndida e prateada luz
conduzirá os passos brincantes
das crianças do mundo
para um mundo de igualdade

Ainda há pequeninos
sendo acolhidos pelos braços da cidade
num colo de concreto
ainda assim o luar pode conduzí-los
aonde não há classificação, competitividade
aonde as palavras são irrelevantes
porque é o coração que fala
e o seu idioma é o amor

Adormecidos na igualdade
Despertarão somente quando os pássaros
escorregando pelos raios de sol
trouxerem a sinfonia da aurora
para as camas gris
para as camas estreladas

Um canto trazendo a melodia
lá daquele mundo dos sonhos
onde não existem diferenças

Um canto anunciando
um alvorecer e um adormecer
embalados pelos braços do amor

Fiz esta postagem ontem no blog da minha filha e ela pediu que postasse aqui também.
As belas palavras - braços da cidade e colo de concreto - encontrei num blog de uma pessoa que mesmo sem conhecer, já admiro pela sensibilidade. Vale conferir.


2 comentários:

Renata disse...

que delícia de foto!!

Ivani disse...

Crianças lindas, que ficam ainda mais lindas dormindo.
Porque será? sempre gostei de ver crianças dormindo.
Elas transmitem mesmo essa paz que voce citou no seu belo poema.
E mesmo as que dormem em colo de concreto são bonitas e sonham o sonho dos puros.
É a sociedade que os corrompe, como disse alguém que não me lembro quem. Belas crianças, beijos.