domingo, 25 de setembro de 2011

Preguiça de mãe


Ora vamos
deixes de aninhar-te
em meus olhos
Não ouves a cantoria da passarinhada?
Sou mãe, preciso despertar...

Apure apure
deixes de mandriice
e me deixe despertar
O primeiro raio de sol
há tempo flamejou na janela
Vejas o clarão
tão apressado para entrar...

Ora vamos
não sentes o aroma do café
exalando do bule da vizinha?
E eu ainda nem pus a água a aquentar
nem a água fria a me despertar...

Ligeiro ligeiro
deixes de benquerença com meus olhos
cesses o teu acalanto
Sou mãe, não posso aqui ficar
a mandriar...

Chegues pertinho
quero te segredar:
se tu, preguiça, apressar-te a partir
para um outro cantinho do planeta
chegarás a tempo de um ofurô quentinho
e olhos puxadinhos a te esperar
e uma noite inteira de luar...

Votando preguiçosamente...
Acalentada pelo carinho dos
amigos que aqui encontrei!
Beijos

9 comentários:

✿ chica disse...

Lindo poema e que bom te ver de volta! Estava com saudades! beijos,linda primavera! chica

Claudia disse...

Ai que bom que vc voce voltou!
Adorei o post.
Grande beijo, querida.

Débora disse...

Amei o poema Ana!
Mais ainda poder estar aqui a ler...
Saudades!!!
bjão

Imac by Artes disse...

Que delícia de poema!
Preguiça de mãe é momentânea...
Abraços minha querida! Uma semana
abençoada pra ti.

Ivani disse...

Ô coisa boa! que delicia ver você aqui de novo.
Seu poema está lindo, manda essa preguiça andar e levanta pra receber os aplausos.
Estou feliz que tenha voltado Ana querida.
Beijos, muito bem vinda.

Angi disse...

Amei,amiga!
e amei que voltaste, mesmo que aos poucos!
beijocas nossas, estávamos com muitas saudades!
Angi

Su disse...

que lindo esse poema... li devargazinho pra absorver cada palavrinha lindamente escritas...

que bom que você voltou...

beijinhos no coração, todos floridos com as mais belas flores da primavera!

Su.

Patricia disse...

Q lindo poema!!
Fico muito feliz em te ver de volta, senti muita falta das suas lindas palavras.
bjs

Marcelja e Degani disse...

Que delicadeza, que Blog lindo! Quanta doçura nas suas palavras, poemas belíssimos. Parabéns! Marcia.