quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ângulos, paralelas, perpendiculares


Ângulos, paralelas, perpendiculares...
Há quem bem os calcule
Isso a vida não me ensinou
Bem sei que quando um ar gélido
invade minhas narinas
e as frestas da janela de meu quarto são invadidas
por pálidos raios de sol
é inverno.

Enquanto ângulos, paralelas e perpendiculares
são calculados lá fora
o aroma do café invade minhas narinas
a xícara fumegante mistura sua fumaça
aos raios vívidos de sol
que clareiam a cozinha
é primavera

Entre ângulos, paralelas e perpendiculares
Bem sei que posso não mais saber
a estação em que estou
A vida me ensinou que ângulos, paralelas e perpendiculares
às vezes não deixam os raios de sol
nos despertar

Ana Paula


Às enormes cidades, que crescem desenfreadamente, e a cada dia engolem o raios de sol.

11 comentários:

✿ chica disse...

LIndo e tão verdadeiro! beijos,chica

Su disse...

bom dia moça...

uma realidade nua e crua, que às vezes tenta nos "concretar", mas sejamos mais fortes... o céu, o sol... estão bem alí na imagem... vamos olhar pra eles sempre e deixar com que eles nos tragam as "estações"...

obrigada pela dica dos livros do Itaú, já pedi os meus. Beijokas bem grandes!!!

Su.

Tina disse...

Legal!!!

Que ainda que com tantos ângulos, paralelas e perpendiculares, o gosto pelo sol, pelas estrelas, pela chuva, pela terra, pelo que está la fora, ali bem perto ou bem longe, não se apague, que a imaginação, a busca, o poético, o lúdico, o romantismo, a vidinha de interior esteja presente em nossas vidas, na de nossos filhos, netos...que se passe de geração a geração a alegria e beleza das pequenas coisas, sem botão, sem conectividade, sem paralelas, ângulos e perpendiculares, coisas da natureza, do coração, do passado, do contato, da liberdade...

Cheiro de terra e alegria de balanço pra vc
:)

Patricia disse...

Lindo!

Bom dia!!
bjs

Débora disse...

Oi Aninha!
Verdade...Ângulos, paralelas e perpendiculares fazem parte de nossa vida, de nosso cotidiano.Concordo com as palavras sábias de Tina, não podemos perder o doce gostinho que tem as cosias simples da vida!
Um forte abraço e um lindo dia!
Obrigada pelo carinho de sempre! Amei a mensagem que me enviou!

Imac by Artes disse...

Ana Paula querida!
Você é demais!!! Que lindo!
Meu filho mora em São Paulo e me diz isso, que dissestes com tanta poesia.
Quando entrei em seu cantinho, minha filha mais velha estava aqui e leu sua postagem de ontem ficou emocionada.
Abraços e um dia radiante pra ti.

Ivani disse...

Adorei Ana.
Você tem um olhar bem poético sobre detalhes que me passam ao largo. Os ângulos, paralelas e perpendiculares da vida nunca me deixaram com vontade de fazer uma poesia.
Tá vendo porque nem todos são poetas?
Obrigada pela dica do Itaú, já me cadastrei.
Beijos primaveris.

PS.: aqui, do ângulo de meu quarto vejo um telhado de um galpão abandonado, repleto de pombas. Ai. . . deve ter piolhinhos por lá!
Cadê a minha poesia? Se fosse você já estava procurando rimas rsrsrsrs

Patricia disse...

É Ana, não é um tema fácil pra mim, tb me sinto super bem sem carro.
Qdo morava aí em SP, apesar de morar na ZL, me virava super bem de metro, lotação e ônibus. Mas para quem dirige isso é a morte, né? rs
Ano que vem vou tentar, pelas meninas principalmente, super esse medo.

MÃE DO GUI disse...

Ana,

Eu amei, achei lindo seu texto e concordo...A gebnte cada vez menos vê o céu, as estrelas, cada vez mais predios, mais construções!!!

Bjo Jana

Mãe da Tonton disse...

super lindo, mas ainda assim adoro cidade grande com sua correria e loucura... hehe
beijoosssssss

Mãe da Tonton disse...

por sinal: Uma maravilhos primavera para ti!!