terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Não mexe aí

Essa é a frase, que nós adultos, mais falamos para as crianças desde que chegamos ao Rio de Janeiro - "Não mexe aí."
As crianças são bem boazinhas. Mas sabe como é, uma novidade, algo nunca antes visto. Sempre bom manter a vigilância.

Nosso sobrinho gentilmente nos cedeu o apartamento que divide com um colega de faculdade e foi se arranjar em outros cantos.

O skate deixado num canto da varanda foi o primeiro alvo do "não mexe aí". Nunca tiveram um skate tão próximo de suas mãos e pés. Natural quererem subir ali. Mas...
Tombo, braço quebrado, nem pensar.

Depois minha filha encontrou um pandeiro e outros instrumentos de percussão.
"Não mexe aí. Não pode fazer barulho, olha os vizinhos".

Depois destes impactos iniciais, comportaram-se de maneira excelente.

Numa tarde, após um descanso, meu filho foi tomar um banho, a menina ainda dormia, eu olhava para o teto, marido comia alguma coisinha.
Foi então que meu olhar saiu do teto e foi para debaixo da cama.

Ora, ora, o que eu encontro. Uma caixa com um megafone.
Esses universitários são mesmo surpreendentes.
Imediatamente ocorreu-me uma ideia: fotografar o objeto.
Sei lá, pode aparecer um concurso de fotos de megafone, nunca se sabe.

Chamei o marido e expus minha ideia.
Marido já foi se agachando e tirando o objeto da caixa.
Eu fui preparando a máquina fotográfica. Queria um bom enquadramento, com boa luz.
Marido disse que era muito pesado o tal megafone.
E então aconteceu.

Marido quis testar o tal.
Empurrou um botão.

O menino que estava no banho, saiu pelado escorrendo água por tudo. A menina acordou gritando. Marido se sacudia como nunca antes eu tinha visto. 

O tal botãozinho ativou uma sirene de caminhão de bombeiro da mais alta potência.
Era uau uau uau na escala mais alta dos decibéis.
O pior é que com o impacto do susto, marido não conseguia desligar o botão.

Assim que o silêncio se fez presente, não por completo, porque era perfeitamente possível ouvir o coração de cada um qual um pandeiro, começamos a rir.

Marido tremia, eu não parava de rir, mas a foto saiu!


Não mexe aí menino!



13 comentários:

Gracita disse...

Boa noite Ana Paula
Que o verdadeiro sentido do natal esteja sempre presente em teu dia a dia e que a esperança esteja sempre presente te auxiliando na concretização dos teus sonhos. Que no próximo ano os teus sonhos sirvam de inspiração para realizar e sentir que a vida é um presente iluminado que Deus nos deu. Que este seja o natal do renascimento do amor fraterno. Que possamos caminhar unidos em 2014 e que os laços de amizade que nos uniu se fortaleçam a cada novo dia. Obrigada pelo carinho e amizade que você tão generosamente me concedeu em 2013.
Um feliz e abençoado natal e um ano novo de vitórias e conquistas.
Beijos com meu carinho e minha sincera amizade
Gracita


Tina Bau Couto disse...

Ri solto a medida que li e imaginei a situação.
Que susto!
Que barulheira!
Que graça!

Adoro mexer e mixiricar, ouço do marido essa frase e hj digo pra Zaion, já disse mto pra Paulinho.

Beiiiiiijos falado pelo megafone ou sem, tenho fama de ter engolido um :)

Júlia disse...

Oi mãe,que susto viu! Dessa vez quem mexeu não fui eu rs rs,acordar com aquele barulho foi horrível achei que fossem invadir a casa!!!

Beijos da Júlia sua filha

Alê Lemos disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Estou espantada dos seus filhos não terem falado isso pra vcs por vingança. eu fazia essas coisas com meus pais e minha avó. Uma vez qdo saíamos da igreja ela bancava a santa com as amigas carolas criticando uma vizinha q falava mt palavrão. Eu fiquei revoltada (tinha uns 7 anos) e disse: mas vó vc fala muito palavrão tb! Pra que né? Ela tomou esporro das amigas e eu tomei um belo sermão.

Alê Lemos disse...

ameaçou-me com criolina e tudo (pra lavar a minha boca) e como está a sua visita ao Rio? O pai da Pandora odiou a cidade kkkk prefere São Paulo.

Marly de Bastos disse...

Nao somente as crianças devem ouvir "não mexa aí!"
Um custo que provocou história, isso é o que importa! Claro e a foto saiu, embora os corações também quase sairam kkkkkkkkkkkkkk
bjkas doces

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, me deu um ataque de risos que ninguém entendia o que estava acontecendo. A cena não me saia da cabeça e desopilei o fígado mesmo. Ri mais ainda por causa da atitude adulta do "Não mexe aí" e a bomba estourar justamente na mão adulta.kkk! Cadê moral para o resto.
Adorei isso aí, Ana Paula.
Beijo,
Manoel

Beth/Lilás disse...

kkkkkkkk Rachei de rir aqui sozinha.
Fiquei imaginando a cena do casalzinho fazendo suas trapalhadas.
E se fossem os meninos hein?
Gente grande também apronta viu!
beijos cariocas

Luma Rosa disse...

Ha ha ha!! Morri de rir porque sei bem como é a tal sirene. Aqui em casa tem um megafone igualzinho que meu filho usa nos shows da banda. No verão passado, uma vizinha do outro prédio gritava chamando os filhos da janela do apartamento. Os filhos não saiam da piscina que é mais ou menos 300 metros da janela. A mulher berrava o dia todo e aquilo foi irritando. Eu peguei o megafone e coloquei na potencia máxima e gritei: "Compra um megafone" - Repeti 3x. Aquilo virou piada e sempre que ela aparecia na janela e chamava os filhos, a vizinhança gritava em coro "Compra um megafone". A farra não durou dois dias... rs.
Eu estou aqui com dó dos seus filhos!! Tadinhos!! Que susto!!
:D
Boas festas e feliz 2014!!

Lacorrilha disse...

Ahahaha, o que eu me ri a bom rir.
Um Natal muito feliz para a maltinha aí de casa.

Flávia Brito disse...

Ahhhh como sempre vir aqui é sinônimo de boa história e diversão, saudades de vir aqui mais vezes. Vim mesmo para desejar um lindo Natal e que o próximo ano seja de muuuuuito tempo livre... rsrsrs. Beijos grandes!

Moro em um Kinder Ovo disse...

Estes meninos que cresceram (mas continuam com alma de moleque) são os mais terríveis. E a curiosidade faz a gente cometer estes erros.

Ângela disse...

Feliz Natal e Próspero Ano Novo.
As palavras podem ser as mesmas, mas os sentimentos e a sinceridade são sempre renovados e crescentes.
Beijo, e até 2014
Ângela