terça-feira, 11 de março de 2014

E-mail perfumado

Ano de 2005 - Você não tem e-mail?
Ano de 2014 - Você ainda usa e-mail?

Sofri muito com a pergunta que a todo momento me desferiam em 2005.
Todos os lugares físicos aonde eu ia, todos os telefonemas que eu dava, inevitavelmente me faziam a pergunta: você não tem e-mail?
E não era só a pergunta não. As pessoas me olhavam não acreditando que alguém que tivesse atravessado um possível fim de mundo ( lembram-se de 1999? ) não tivesse e-mail. Pelo telefone a entonação que colocavam no "não tem?", era indescritível.
Era como não ter identidade, personalidade.

Fiz um e-mail para mim. Ou melhor, fizeram.
Foi o meu professor particular de como segurar no mouse e não tremer, numa escola de computação que o fez para mim.
E tive que passar por mais uma humilhação. Ele criou para mim um endereço anapaula71 - que depois de tanto deboche, soube que não era muito apropriado carregar o número 71 no seu endereço de e-mail.
Livrei-me daquele, fiz outro, com muito custo aprendi a anexar uma foto, colocar um link e me iludi achando que estaria feliz no mundo para sempre. 

2014 trouxe-me este outro golpe "Você ainda usa e-mail?"
Como assim? Ainda usa?
Sim uso, mas, por que, não é mais para usar? O que se faz então?

Era um sábado ensolarado e estávamos em um "churrasco em família".
Meu celular estava em cima de uma mesa, quando um sobrinho chegou e pediu se podia ver o aparelho.
Assenti e logo ele me perguntou - "Você não tem zap-zap? Como você faz para falar com as pessoas, ainda manda e-mail, torpedos?"

Eu estava iniciando uma piada, não podia me distrair e respondi rapidamente que sim, usava e-mail, torpedos para falar com as pessoas. Falar não; escrever.
Esforço concentrado para contar bem a piada e o sobrinho insistindo - posso baixar o zap-zap, qual seu e-mail.
Um pouco atrapalhada, dei o endereço virtual que não servia para tal finalidade e ele já foi criando outro. Eu na piada e ele falando a senha do novo e-mail e pronto - "Tia, agora você já tem zap-zap."

Eu bem que me esforcei, mas não me saí bem nem na piada nem no zap-zap.
Acho que não é adequado às minhas necessidades. Quem sabe num futuro...
Desinstalei o tal balãozinho verde.

Ouvi mais algumas vezes a interrogação - você ainda usa e-mail.
Mas, foi uma entrevista para jornal que fez realmente eu me sentir uma estranha:

"No e-mail, você manda a mensagem, não sabe se a pessoa leu. E ainda assim foi possível tanta coisa com e-mail.
A coisa está ficando mais em tempo real, mais pessoal.
... no fim das contas, isso vai tornar a vida das pessoas mais fácil."

 Jan Koun, criador do app comprado pelo Facebook ( o tal do zap-zap ).

Sentindo-me um ser pré-histórico, respirei fundo e dei a volta por cima.
Se pensam que sou ultrapassada só porque mando e-mails, vejam só a minha modernidade: acordo todas as manhãs com o cheiro de morangos frescos sendo exalado do meu celular. Duvida que celular tem cheiro? Ei, em que época você está?
Ah! E se preferir acordar com cheirinho de café, também tem.
Agora me diz, sou moderna, não?!


Tudo que escrevi acima é mentira. Sou despertada pelo cheiro do café vindo do coador de pano mesmo. Agora é sério, celular já pode ter cheiro.
Entregam no Brasil. Conheça aqui!

Vou é mandar um e-mail perfumado pro meu sobrinho e aí ele vai sentir o que é modernidade!

20 comentários:

Jussara Silva disse...

Ana Paula, as vezes eu acho que estou completamente ultrapassada com todos estes aplicativos que brotam todo dia, e eu não dou conta de saber o que são. Rsrs. E olha que eu lido com sistemas de informação no meu trabalho.
Adorei o post.
Bjos.

Moro em um Kinder Ovo disse...

Para não dar muito trabalho para o Tico e Teco, eu divido com o marido algumas funções "tecnológicas". Assim, quando chega para mim já vem mais mastigadinho. E conta aí, tem gente de azul tristinho esta noite??

Rovênia disse...

(Risos) Uso muito email, amiga! Acho que sou desatualizada também! :)

Agora, celular com cheirinho é demais ...

✿ chica disse...

Adorei te ler e imaginar teu sobrinho apavorado com tua antiguidade,rs...Eu nem sei oque é zap-zap e no meu celular do tempo da pedra, só imagino cheiro de, ou melhor, nem imagino cheiro de nada, pois sei que dele nada diferente sai.Nem fotos faz!Imagina!!

Se saísse algo pediria um cheiro de anestesia pra me fazer dormir...Insônia das brabas! bjs,chica

Tina Bau Couto disse...

Eu no momento estou com um pé no passado e outro no presente, sem tempo para o futuro.
Aderi a tal mensagem sem custo via celular com função eficiência de telegrama, o zap me abriu contatos direto e online com pessoas Brasil e mundo afora. Me deliciei esses dias tocando com um casal de amigos q estava na fila de um dos parques da Disney.
E sido usando e-mail e ñ tenho retorno de quem o aposentou e tenho dos muitos q usam, entrei na rede das fotos q as pessoas competem no número de seguidores e curtidas e economizam nas legendas e comentarios, ainda mando cartas; flores e meu celular tem cheiro de tempero de eu manusear enquanto cozinho.
Vi por ai uma lente p fotos q se prende a máquina e tenho tirado uma de antenada. Essa nova do cheiro é novidade. Mas duvido tenha algum cheiro de perfume pessoal em pena de cocar de índia baiana.

Ana Bailune disse...

Mentira? É a mais pura verdade! Qualquer dia, nos materializaremos na frente das pessoas quando quisermos falar com elas. E quem não fizer isso, ouvirá: "Você ainda não tem teletransporte?"

Calu B. disse...

Rsrsrs, esses jovens nos deixam atarantadas com todos as modernidades supersônicas que vão surgindo do dia pra noite, Ana.
Aqui em casa são os filhos que põem todas estas traquitanas no meu cel e, sim eu também ainda uso email e mando torpedos:)
Bjos,
Calu

Beth/Lilás disse...

Pois é, a cobrança tecnológica está a cada dia pior e tem gente que não quer perder uma última novidade e como isso se endividam até a alma e às vezes, o pior acontece, ou seja, mal compra o aparelho modernoso e vem um bandidinho e o leva na mão grande como tem acontecido com os jovens cariocas.
Também prefiro escrever pelo email.
beijos cariocas


Anne Lieri disse...

Email perfumado? Esse eu nunca vi!...rss...Ana, sou igualzinha a vc,mas acho que mais resistente a inovações. Acho que celular é pra telefonar e não pra mandar emails e foto se tira com maquina fotografica...rss...texto mais que bom! bjs,

manofernandes disse...

Ana Paula, excelente postagem. Continue mesmo do seu modo que funciona melhor. Essa do cheirinho, kkk.
Beijo,
Manoel - Blog do Óbvio

Cristi@ne disse...

Oi Ana Paula, legal vc comprar o livro do Bob pra ela, compre o primeiro que é Um Gato de Rua chamado Bob ela vai amar... já estou lendo o segundo ;)
Ah e essa de modernidades...já viu? se a gente não entra nesse mundinho ficamos para trás e ainda alvos de zueiras kkkkkk

Bjinhos
Cris

Bianca disse...

Confesso que eu só uso e-mail hoje em dia no trabalho. o whatsapp me ajudou muito a manter contato com amigos que moram longe, inclusive fora do Brasil.
Ainda não tinha visto essa de celular com cheiro, não tem mais o que inventar hehe.
Beijos

Bianca disse...

Confesso que eu só uso e-mail hoje em dia no trabalho. o whatsapp me ajudou muito a manter contato com amigos que moram longe, inclusive fora do Brasil.
Ainda não tinha visto essa de celular com cheiro, não tem mais o que inventar hehe.
Beijos

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

kkkkkk como assim vc não tem Whatsapp Ana? kkkkk tá muito pré histórica na era do e-mail kkkkkk, filhos e sobrinhos estão anos luz na nossa frente, está muito dificil resistir a tecnologia no mundo de hoje, a gente é visto quase como um homem das cavernas quando desconhecemos algo, ainda bem que vc já me contou que existe celular com cheiro kkkkkkk obrigado! E bom descanso, volte logo com tudo no lugar! Bjossssss

Vane M. disse...

Oi, Ana, tudo bem se não puder me visitar, passei para deixar meu apoio e meu carinho. Beijo, que as coisas se resolvam logo! ;)

Luma Rosa disse...

Oi, Ana Paula!
Gostei mais do nome que deu ao aplicativo :D
Gostei do cheirinho de alecrim. Bom para diminuir a dor de cabeça.
Noutro dia falei para uma amiga que não se usa mais e-mail para tratar assuntos pessoais e ela também se exaltou: "Como assim?". Para mim, e-mail tem sinônimo de trabalho e espero que não seja abandonado. Eu teria um desprazer enorme, se esse tempo real, se torna pessoal no trabalho.
Espero que tudo se resolva logo por aí!
Beijus,

Patricia disse...

Menina, como vc é moderna!
Nem sabia dessa história de celular com cheiro. kkkk
Bjs e boa semana!

Luma Rosa disse...

Vim do blogue da Lihzianne. Fui convidá-la para o Bookcrossing Blogueiro. Será que ela vai fazer pelo menos um sinal de fumaça? (rs*)
Beijus,

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Ana
Eu me considero normal dentro d anormalidade e a filha falou que tem outras 'veinhas' que não fazem o que faço...
Nem me incomoda não saber tudo que rola por aí...
Tem tantos modos de comunicação mas vejo que, em casa, as conversas são todas pontuadas pelos celulares e seus recursos... els só os largam pra comerem... rs...
Bjm fraterno e quaresmal

Carmem disse...

Olá Ana, amei sua escrita, seus temas, seu blog.
Amei, ri aqui sozinha, e, o que vale, sozinha em casa, não em espaço público, onde o desconforto talvez fosse existir, porque me revi um bocadinho em algumas coisinhas. Será que estou ultrapassada também?! ai de mim, que acho que estou mesmo: nem sei o que é isso do zap, filha! Mas não conta pra ninguém, que não vale a pena.
bjo