quarta-feira, 28 de maio de 2014

Nos dias frios


Nos dias muito frios, a mãe tinha um cuidado especial com sua menina.
Banhava-a rapidamente e mais rapidamente ainda a enxugava, o que fazia a menina pensar que aqueles gestos tão apressados eram um descuidado por parte da mãe.
Mas depois vinha a voz suave, lenta e firme para que tudo desse certo e o frio não maltrasse nem mais um segundo a pele de sua menina.
"Segura firme a manga com a mãozinha".
Eram estas as palavras nos dias muito frios que a mãe pronunciava enquanto sobrepunha mais um casaco, ou outro abrigo para aquecer sua criança.
Aconteceu de escapar muitas vezes e a mãe embrabecer. Não com a menina; era com o frio que queria se instalar.
A longa manga enrodilhava feito gato e ia parar lá no cotovelo.
Nunca a mãe estava cansada para subir seus dedos braço acima e puxar de volta a manga comprida.
"Segura firme a manga com a mãozinha".

16 comentários:

Sonia Tolfo disse...

Carinho e cuidado de mãe se manifesta de várias maneiras mas sempre está presente.Fez-me lembrar da minha mãe.
Abraço!
Sonia

Poesia do Bem disse...

Lembro-me com ternura os dias frios em Sampa. Para banhar a Alice só retirava-lhe a roupa quando o chuveiro estava bem quente e só desligava quando puxava-lhe quase com o roupão embaixo d água para evitar o choque, ia colocando tbm as peças aos poucos, meias, legging, calça, touca, luva muitas blusas , casacos e jaquetas, e ainda assim o frio instava em teimar e nos maltratar, dai só um sofá ou uma cama macia com livro, filme ou pipoca para nos esquentar, e o amor em companhia de sopas, carinhos e afagos deixava nossos dias frios , os mais calorosos na alma. De até saudades!

Tina Bau Couto disse...

Ohhh que lindeza!

A menina aqui em pleno frio calor de Salvador colocava toda a mão para dentro dos casacos e segurava fechando a boca da manga na palma das mãos.
Os casacos de linha ou malha que sempre foram herdados muitas vezes eram mais cumpridos que seu braços. Também colocava a danada a parte de baixo sobre os joelhos dobrados e ouvia: Vai estragar o casaco Cristina!. Tenha modos!

Já mocinha ganhou um casaco azul cor do céu de marca: Pakalolo o nome, do namorado hoje marido e sua avó hoje paradinha e calada dizia aos berros ativa do quintal onde lavava as roupas, com sotaque espanhol: Cristina, cadê o casaco da Vacalouca!

✿ chica disse...

Que linda lembrança e até hoje temos que pedir pra que segurem a manga com as mãozinhas por aqui! Lindo de ler, linda foto! bjs,chica

Moro em um Kinder Ovo disse...

Estes carinhos ficam marcados a ferro e fogo na nossa alma e a gente nunca esquece.

.maysa. disse...

Isso descreve a minha mãe e hoje em dia encaixou perfeitamente comigo, pois virei mãe!

Que lindo texto Ana Paula...

Beeijos
Maysa

Li disse...

Puxa, me vi nesse seu post!!! Acho que mães são assim mesmo... Coração transbordando de amor e preocupação... ainda mais nesses dias frios! O Henrique nasceu em junho, fazia muito, muito frio e eu lutava assim para mantê-lo aquecido!!!

Abraços quentinhos!!!

Lívia.

Calu B. disse...

Ana,
assim vc me deixa desidratada diante de tamanha ternura e lembranças que tua prosa-poética ressalta.
Quando nos vemos na fala e nas ações de outro(a) estreitamos os laços que saem direto do coração.
"Segura firme a manga..."
:)bjkas na mãe e na menina.
Calu

Suzy Rhoden disse...

Que delícia de texto, Ana, cheio de uma ternura que quase faz chorar! Me fez lembrar de minha infância castigada pelo frio inclemente do inverno gaúcho. Depois, adulta, veio também a minha menininha, e com ela repito o ritual dos banhos de inverno. São momentos maravilhosos que bem fazes em escrevê-los, para que nunca sejam esquecidos!

Beijos

Nina Sena disse...

nao conhecia isso por que passei infancia no quente amazonas que so tem duas estacoes: quente e mt quente... mas morando hje aqui, sim, entendo bem o carinho da mae da menina porque faco o mesmo hoje ;-)

ternura de texto, Ana. vc sempre, sempre, sempre, me emociona.

Graziela disse...

Sempre tento ensinar isso a todas as criancas que eu conheco.
Que lindo texto como sempre.
Abracos e obrigada pelas visitas.
Gra'

Marli Soares Borges disse...

Ana,
Lindo texto, ternas lembranças, coisas de mãe. E de vó! Já fiz isso tantas vezes, com meus filhos, com os amiguinhos deles, com meus netos... São gestos quase 'atávicos' que a gente faz sem sentir...
Bjs
Marli
Blog da Marli

Cristi@ne disse...

Tão bom puxar a manga da blusa no frio...
Obrigada pelas felicitações do meu aníver, querida.
Bjinhos, abençoada semana...

Nadine Pinto | Fotografia disse...

Mãe é mãe. Fiquei comovida!
Beijinhos

Nanda Pezzi disse...

Quanta ternura e cuidado!! Só amor de mãe <3
Bateu uma saudade tão, mais tão grande da minha...

Um beijão Ana! Amando conhecer aqui!

Nanda

Ana Cecilia Romeu disse...

Que terno este teu texto, Ana Paula!
Aqui no RS tá um friozãooo e essa cena é diária para mim, como mãe, desenrolar o enrolável :)

Beijos!