terça-feira, 20 de maio de 2014

Os blogs estão morrendo?

Não, eu não acredito nisto.
Então, primeiramente, eu quero me desculpar pelo título. Ele foi intencional e sensacionalista, numa tentativa de atrair comentários.
Vários blogs dos quais participo estão festejando três, cinco, surpreendentes dez anos de existência e é isso que me faz acreditar que não estão morrendo.
Mas, há algo de estranho acontecendo, algo subterrâneo, obscuro. Ou sou só eu que estou tendo essa percepção?
Pode ser uma impressão errada, pessimista ou restrita aos meus círculos virtuais. Sinto que algo de ruim está acontecendo...

"... Depois de pegar o jeito, Nietzsche foi capaz de digitar com os olhos fechados. Os jornais publicaram a notícia de que o grande pensador estava de volta às suas atividades, mas um amigo próximo, o compositor Heinrich Köselitz, notou uma mudança no seu estilo de escrever. O texto de Nietzsche estava mais sucinto, "telegráfico". Em uma troca de correspondências, Nietzsche reconheceu: "Você está certo. Nosso equipamento de escrita toma parte na formação de nossos pensamentos." *

Com esta frase começo a reflexão pela vertente do copo meio vazio.
Não acho que a troca das nossas ferramentas de escrever - do papel e lápis para as telas e teclados - estejam influenciando demasiado a nossa escrita; acredito que o tipo de plataforma, de "rede social"que escolhemos possa estar influenciando nossas palavras, ou melhor nossa escrita compartilhada.
A grande maioria das redes socias, especialmente o facebook, é uma plataforma com restrição de caracteres e dispositivos como o curtir e o gostar do Instagram que suprimem palavras e limitam elaboração. Há também facilidades por lá, como marcar as pessoas, que é uma forma rápida de chamá-las, o que não acontece ( ainda ) nos blogs.
Muitos por lá ficam. Há os que circulam bem por vários ambientes; há os que misturam tudo!
Com a chegada dessas redes, os blogs foram deixando de ser novidade e talvez isso esteja afastando as pessoas da leitura mais longa e de comentários.

Olhando o copo meio cheio, ficam os que realmente se identificam com o tipo de interação proporcionada pelos blogs. Quem gosta do exercício da escrita, da leitura, fica.
Sendo otimista, talvez o que esteja acontecendo, seja exatamente o que li lá no blog da Luma sobre o "slow blog" (excelente reflexão) sobre o blogar sem pressa, sem pressão, sem a necessidade de manter-se sempre conectado.
Muitas pessoas podem estar mesmo praticando o slow blog e isso seria muito bom. Não abandonaram, apenas reviram o ritmo em todas as redes sociais.

A partir dos comentários ( vou torcer para que cheguem! ), vamos refletir juntos, chegar próximo a conclusões, abrir-nos a novas possibilidades.
Então, dê sua opinião!

*Pedro Burgos - Conecte-se ao que importa.

28 comentários:

Calu B. disse...

Tenho tido essa mesma visão sobre os blogs nestes tempos de rápidos compartilhamentos pelas redes sociais.Algumas características dadas ao ato de blogar foram se transformando diante dos novos fatos e ganharam sua forma atual: o slow-blog; aquela que não impõe cotidianidade e sim, constância, interação apurada, troca beneficiada,detalhamento e acolhimento.
Particularmente já pratico essa versão a muito tempo sem tê-la definido e somente desfrutado.
vejo que nessa modalidade existe mais flexibilidade na interação e possibilita mais tempo para as leituras/visitas.Gosto disso.Não pretendo migrar para os "faces" existentes, prefiro singrar pelas águas plácidas e amigáveis da blogosfera.
Por aqui, a conversa é sempre boa demais, Ana.
Bjkas,
Calu

✿ chica disse...

Ana Paula, como todos sabem adoro blogar ,estar nesse meio e tomara não acabe nunca!

Estive no FB,mas não consegui, deixei uma conta lá só pra família.

No Instagram, gosto de ver, cada vez mais vejo pessoas postando sobre natureza, céus, isso me encanta!

Crescemos olhando tudo isso!

E, nos meus blogs,vou mantendo as publicações diárias apenas no blog dos céus, nos demais, quando tem BC coletivas, ou quando quero.nada imposto, nada forçado, senão perde TODA a graça e sem ela, não dá pra querer!! beijos,tudo de bom,chica

Luma Rosa disse...

Oi, Ana Paula!
Existe sim uma grande conspiração para calar os blogueiros, principalmente nas falsas democracias. Somente a leitura desenvolve o pensamento e fazê-lo coletivamente dinamiza todo o processo de veicular novas formas de compreender o mundo e melhora do (con)viver.
O facebook é um orkut melhorado e vejo graça em quem antes falava mal do orkut, agora não sai do facebook. O facebook é uma rede social, que o brasileiro não sabe usar e não sou que afirmo isso, foi o próprio Mark Zuckerberg. E percebo que tem piorado cada vez mais por causa da invasão comercial e dos procrastinadores - gente que simplesmente tem preguiça de pensar. Prefiro o twitter que não é uma rede social e sim uma rede de informação.
Se os blogues irão acabar? Isso é pura intriga. Tanto que Evan Williams, criador do blogger e do twitter, lançou o Medium, também uma forma de escrita on-line.
Seu texto está perfeito e não tenho muito a acrescentar. Acredito que quem chega na blogosfera, tem a ânsia de demonstrar "serviço", como uma criança com um brinquedo novo. Com o passar do tempo, adota-se uma postura menos escrava. Penso que o Slow Blog é a forma correta blogar, mas também uma postura de como se conduzir na websfera. Afinal, se temos que provar alguma coisa, que seja para nós mesmos, com alegria, vontade de aprender e compartilhar.
A Zizi postou falando sobre se ausentar do facebook - para também refletir!
Como admiradores dos blogues, temos que defender essa poderosa ferramenta de publicação, que não nos tira espaço para escrever o que realmente pensamos.
Obrigada pela referência!
Beijus,

Gracita Fraga disse...

Olá Ana Paula
Numa visão mais do que simplista eu vejo essa migração para outras redes pela comodidade que elas oportunizam para aqueles que não querem tomar parte do seu precioso tempo elaborando uma postagem pois um bom trabalho requer pesquisa, dedicação e claro maior disponibilidade. Em outras redes o curtir ou compartilhar algo de outrem dá-nos impressão de que a pessoa está presente. Blogar requer disposição para criar e interagir com outros blogueiros. Uma arte que requer um pouco mais do que vontade. É comprometimento com os leitores que passam por nossas salas virtuais à procura de conteúdo e não frivolidades cotidianas. Vamos torcer para que esta ferramenta não sucumba frente às redes imediatistas.
Um carinhoso abraço
Gracita

Tina Bau Couto disse...

Tenho comentários feitos diretamente para mim e velados sobre a inutilidade, o atestado de ter tempo sobrando ou ser coisa de babaca ter um blog.

Ouvi inclusive outro dia, sem tirar nem por o seguinte comentário: - Essa fulana que tá namorando com fulano, faz o que da vida. Eu disse: - É enfermeira! Resposta: - Ah, pelos menos não uma ninguém, sei lá...música, poeta! ... :O
Oi? Hein?
Assim caminha um banda da humanidade amiga Ana, mas existir gente de todo tipo é ímpar nesse quesito e em tantos outros, graças a Deus.

Esse julgamento limitado e preconceituoso com relação aos grandes blogs de moda, culinária e outros é direcionado para essa ser uma ponte para sites e contatos comercias e uso da ferramenta por consideração ao universo de bobos leitores e escritores de plantão do gênero, tipo uma migalha dos famosinhos.

Já me fizeram inúmeras vezes perguntas que tem a pretensão de definir a utilidade e "valor" do meu blog: Quantas visitas diárias? Quantos comentários diários? Você ganha algum dinheiro com ele? Porque vc não faz um perfil no Face?, é muito melhor, mas moderno...

Fazendo uso recente do Whats app e do Instagram já ouvi comentários e declarações de: Não escreva tanta coisa; Por aqui só se manda imagens e abreviações amiga; Deixe para escrever no seu blog que tem gente que gosta de ler, ou grave e me mande o áudio...

E o resumido e as imagens e videos e áudios que são mandados não são lembrados se comentados um dia depois qualquer, pois não são saboreados, não tem na maioria das vezes personalidade, nem comentários, não dar importância é de praxe e de bom tom...que louco isso!!!

Eu não sei se fazer lista de mercado no papel vai ser jurássico ou já é, se anotar em guardanapos é arte dada como lançada por um tal Antônio (com minha devida candura e torcida por suas produções), se ouvir rádio é fora de moda, ouvir e comprar cds, ler livros, escrever em diários virtuais que são os blogs e seguir escrevendo em meu diário agenda de papel, não sei e não muda para mim saber.

Tem muitos que abandonaram seus blogs de nosso contatos comuns, muitos abandonados por ai e nem por isso mortos, pode-se ler e leio as coisas passadas, só não comento.
Tem quem alimenta pouco, alimenta por compromisso e não por gosto seus blogs, quem tem rotinas, quem não tem...

Tem que se muda e te avisa, quem viaja e avisa, quem mantem contato e sempre dá notícias, quem ainda manda cartas, flores, quem olha no olho, que abraça com gosto...

O mundo é assim cheio e vazio, para colher e semear.

Poesia do Bem disse...

Poie eu também estava pensando nisso e percebo que na verdade é o pessoal que não gosta mesmo d eler, já que não vivemos memso num país leitor, dai com a prática de um curtir , nem mesmo um comentário lá no face deixam, e eu teimo ainda em lá deixar apenas uma foto e o link do meu blog Poesia do bem, na tentativa de que as pessoas se interessem mais em ler, mas tem sido uma minoria, e até mesmo amigos blogueiros demoram a visitar. Eu amo ler os blogs, mesmo quando não comento, por falta de tempo, mas corro aqui e ali, e minha primeira coisa a fazer é olhas as atualizações dos blogs que sigo e adoro. Espero que não morram pois eu amo escrever e registrar meus amores e as conquistas da Alice assim como minhas inspirações nos ensaios dela. Aproveito a deixa e convido a todos amigos aqui para os visitar. bjs

Anne Lieri disse...

Ana,adorei o seu texto,disse tudo e mais um pouco do que penso! Os comentarios das meninas complementou,tb assino embaixo! Eu adoro blogar porque adoro escrever e prefiro os blogs ás redes sociais. No Facebook eu passo, nos blogs eu fico, escrevo,pesquiso, leio e comento. É um lazer escolhido e não quero que acabe. Somos os historiadores do futuro. Estamos deixando uma História, um retrato para as futuras gerações e prefiro blogar do que qualquer outra coisa.Amei o debate! bjs,

Maria Luisa Adães disse...

Lamento dizer,

mas há muito que sinto e vejo que os blogs estão morrendo. Acredite nesta triste verdade!

Maria luísa

Maria Luisa Adães disse...

Se relacionam com as facilidades das redes sociais!

E os blogs melhores e a seguir todos os outros, estão morrendo e não é lentamente!

Maria luísa

Maria Luisa Adães disse...

É a primeira vez que encontro alguém a fazer esta pergunta que há mais de um ano me pertence!

Lamento que tudo isto seja verdade!

Maria luísa

Vania Lucia disse...

É ANA, TEM ALGUMA COISA ACONTECENDO MAS, ACREDITO QUE NÃO DEVEMOS NOS INTIMIDAR.
OS BLOGS GERALMENTE TRAZEM INFORMAÇÃO E QUER QUEIRAM OU NÃO SÃO FORMADORES DE OPINIÃO E ISTO NÃO INTERESSA PARA "UNS E OUTROS", QUE CONTINUE ACONTECENDO...
ENTÃO HÁ ESTA ONDA DE DIMINUIR E RIDICULARIZAR OS BLOGUEIROS(AS).
VAMOS EM FRENTE CADA UM FAZENDO O SEU MELHOR, COMPARTILHANDO, DIVIDINDO, INFORMANDO, ENSINANDO...
ESTA ONDA VAI PASSAR, NÓS PRECISAMOS PERSISTIR.
BJS

Roseli Pedroso disse...

Ana, tenho lido muita coisa sobre isso mas posso falar uma coisa? Não vai acabar. É certo que os blogues têm mudado, o leitor tem mudado, mas vejo que os que ficaram estão aperfeiçoando suas escritas e levando a sério o que, de início era algo para adolescentes. Hoje vejo jornalistas,escritores e demais profissionais utilizando dessa ferramenta para um campo de informação sério. Essa questão é a mesma que ouço a respeito dos livros e sua extinção. Não vai mudar. Surgem apenas novas ferramentas que complementam. De qualquer forma, seu texto serve de excelente reflexão sobre o assunto.
Abraço,

Nina disse...

Olá, Ana!
Estou nesse mundo da blogosfera há cinco anos e de lá pra cá muitas, novas e inusitadas redes sociais foram criadas. Acredito que o mesmo acontecerá nos próximos cinco anos, entende? Mas aqueles que realmente curtem essa plataforma, que valorizam a escrita e a interação sólida mais do que imagens ficará e não deixará isso aqui morrer.
Que fiquem os bons! ;)

Beijos,
Blog | Youtube

thalento arnônimo disse...

Sou fã tanto do Blogger como do Facebook. O primeiro uso para escrever, o segundo, para ser lido. Nem os assuntos, nem os estilos se misturam. Os blogs estão morrendo? Acho que já morreram, e daí?

Lúcia Soares disse...

Ana Paula, acho que os bogs não morrerão. Estão mais devagar, sim, pelos motivos que você citou. Seu texto está perfeito.
Confesso que adorava blogar, mas a interação no Facebook é imediata e isso levou as pessoas a ficarem por lá. Gosto muito, mas gostaria de mais interação no próprio blog. Tenho escrito pouco, falta-me inspiração e nosso momento político e social está muito confuso, se eu começar a falar, vou falar só disso e acabarei ficando chata...No blog nós podemos ser mais íntimos uns dos outros e, de verdade, são os blogs que nos apresentam as pessoas com as quais vamos nos identificar.
Meu sincero desejo é que os blogs tenham vida longa!
Beijo.

Claudia disse...

Oi querida!
Vc escreveu o que venho pensando tbe.
Nao acho que vao morrer, mas as pessoas estao mais preguiçosas. As facilidades das redes sociais...tudo rápido. Adorei o link do movimento do blog suave e devagar.
Vejo blogs com mais de mil seguidores e uns cinco comentários.
Meu blog é para meu prazer, unica e exclusivamente! Escrevo porque gosto e me faz bem e porque atraves dele conheço pessoas queridas como vc. Nao pretendo parar nunca!
Ana, vc sempre coloca temas interessantes. Adoro seu blog! Mesmo nao comentando muito, estou por aqui sempre!
Bjks mil

Cristiane Marino disse...

Oi Ana Paula,

eu acho que os blogs não vão morrer não…o que está acontecendo é uma peneira natural, estão saindo aqueles que se encantaram com a novidade, mas não tinham assunto ou disciplina para manter um blog.
Não gosto de facebook, twiter, instagram e etc…nem tenho! Acho que essas redes sociais baseadas em imagens e pouca elaboração acabam se tornando um culto ao hedonismo (com algumas exceções, é claro).
Acredito que o blog é para quem gosta de pensar, para quem quer questionar ou divulgar algo interessante, mas que permita a interação, que traga uma troca que enriqueça a todos.
Vida longa aos blogs e aos blogueiros!
Bjs

Marcilane Santos disse...

Ana, eu concordo quando você diz que as redes sociais estão deixando as pessoas mais limitadas em relação à leitura. Todo mundo hoje em dia quer ter informação, entretenimento e conhecimento de formas muito rápidas, porém estas formas também são bastante limitadas como você bem menciona. Isso com certeza tem causado a redução no número de leitores de blogs ou até mesmo de blogueiros que muitas vezes trocam a plataforma do blog pela rapidez das redes sociais. Só que na minha opinião, é perceptível a diferença do nível de interação dos leitores nas duas formas de publicação. Pois como nas redes sociais há essa pressa para absorver novidades, ocorre que muitos já não têm mais paciência para ler textos longos e fazer reflexões acerca de variados temas; O que já não ocorre nos blogs, pois quem entra em um blog, já sabe que terá que usar de certo tempo para ler com mais veracidade, interagir, refletir, comentar e infelizmente isso não atrai muita gente. Outro fator que também pode gerar esta certa impressão de que os blogs estão morrendo é justamente a falta de tempo, porque há pessoas que em um certo momento da vida dispunham de mais tempo para blogar e que atualmente já não o possui mais. E eu sou um exemplo disso - quando estou de férias sempre visito os blogs amigos, posto coisas novas em meu blog, mas o problema é que quando as aulas retornam eu não tenho praticamente tempo pra nada, nem mesmo para meu blog. Hoje mesmo só vim aqui porque recebi um convite de TINA por email. Ou seja, não é por querer, é realmente por falta de tempo! Eu já postava em meu blog com uma frequência reduzida, já que vai tudo muito de acordo com as inspirações e as coisas que eu realmente desejo publicar, e agora então nem se fala, o bichinho está lá paradinho. :\
Eu gosto muito mesmo de seu blog (e de você muito mais!), seus escritos me despertam bons sentimentos e emoções, e é uma pena não poder passar aqui com mais frequência! O importante é saber que fiz ótimas amizades através do blog e que eu sei que posso contar sempre, que sempre estarão ali torcendo por mim, me incentivando, participando quando podem e é exatamente isso que eu faço! Quero que saiba que eu não me esqueci de você e nem das outras meninas (Tina, AnaVi, Carol, Alê) vocês todas moram no meu coração e entraram em minha vida num momento muito lindo!! Ana, esta semana mesmo peguei no livro Raul Taburim, pense como gostei de ter ganhado ele, e ter recebido aquele bilhetinho seu que guardo até hoje. ^^ Bom, é isso Ana, espero que as pessoas tenham bons motivos para estarem seguindo lentamente pelos blogs afora, mas que isto nunca acabe, pois esta interação é realmente muito prazerosa e bonita!! Beijos no coração e parabéns pela percepção e pelos pensamentos que você teve em relação ao tema!! :*
Ps: Desculpe o enorme texto(ou não) rsrs.

Dama de Cinzas disse...

Rendeu bons comentários... rs.

Sim, acho que algo mudou, as redes sociais roubaram muitos blogueiros para ela, mas quem gosta de escrever mesmo não larga o blog de vez.

Por mim posso dizer que parei de escrever posts semanais porque ando me achando chata e ranzinza demais para ficar reclamando toda semana em posts, então prefiro ficar quietinha, daí se bater uma vontade real eu escrevo. Abandonar de vez eu não vou, mas aquele ritmo frenético de antes também não volto mais. E nada disso tem a ver com redes sociais no meu caso, mas de mim comigo mesma...

Beijocas

Ana Bailune disse...

Olá, Ana Paula.
Uma reflexão importante!
escrever para mim é um ato quase compulsivo, e não tenho tanto tempo assim... procuro ler os outros blogs e comentar também, mas só comento quando realmente LEIO. Não gosto de deixar recados 'colados.'
Tenho cinco blogs e um site no Recanto das Letras, tal a minha compulsão... será que tem cura?
Se os blogs estiverem morrendo, morrerei com eles, e serei uma alma penada a clamar na virtualidade. Mas não sairei deles.

Tina Bau Couto disse...

Marcilane sua fofa e querida: Beijo!

Pitanga Doce disse...

Oi Ana Paula, também já postei algo assim tão "desabafador"! Enquanto lia o teu texto tive que contar nos dedos quantos anos o Pitanga Doce fará no mês que vem e me assustei com a conta de 7 anos.

Olha, no ano passado abri uma conta no facebook por insistência das amigas e algumas, realmente, fecharam seus blogs mas em sua maioria não postavam grandes textos (no tamanho) e sendo assim a nova "rede" dá para o gasto. Fotos, músicas, vídeos e as respostas vêm quase que em simultâneo. Quem escreve porque tem "necessidade", como nós, não vai fechar o blog. Até a área de texto é mais pessoal e você não fica vendo fotos de perfil ou recebendo convites para joguinhos... Sim, os blogs estão diminuindo ou peneirados, como queiram, mas "quem é do mar, não enjoa". Ficarmos privados de textos como os teus e de outros, seria uma pena. Vai! Escreve daí que eu escrevo daqui.

beijos pitangueiros

Moro em um Kinder Ovo disse...

Meu blog foi criado para ser um local onde anotava e registrava o que me interessava. Tinha tão pouco conhecimento deste universo que um dia fui surpreendida com os seguidores. Faço sempre este questionamento mas não por causa dos outros e sim por mim mesmo. Quero continuar? Tenho o que dizer? Quero falar disto ou daquilo? Não posso deixar que a publicação de um posto seja uma obrigação e o Kinder Ovo vai desaparecer no dia que deixar de ser um prazer - para mim. É uma posição egoísta? Pode ser mas eu acredito que se faço porque me deixa feliz vou conseguir espalhar esta felicidade.

Zizi Santos disse...

Oi Ana
vim através do comentário da Luma
Eu acredito que nada morrerá. Sou de um tempo em que escrevíamos cartas e elas ainda existem. Livros? diziam que um dia não haveria mais bibliotecas, e elas ainda são escassas para um público leitor. E por aí vai. Exite gosto para tudo . É evidente que mudanças vão ocorrendo, mas modernidades vão surgindo e sucedendo a outras.
Eu adoro blogar, e sinto muito quando blogueiras que me acompanhavam desde o primeiro dia já estão debandando. A princípio achava que era só comigo, hoje em dia vejo que ocorre com todos.
E penso, ainda bem. Pois assim nunca fica parado, vamos procurando outros meios, outras amigas e novos círculos se forma.
Acho o facebook uma ferramenta espetacular, mas sinto também que muitos não aproveitam como deveria, mas isso é problema deles. Eu dei um tempo. estava viciada em ficar lendo .Agora estou ocupando meu tempo de outra forma. Se fosse hoje, selecionaria um pequeno grupo, como fiz no Instagram. Mas na minha ingenuidade aceitei todos aqueles que pediam amizade (sem saber que era indicação do Face!!!)
Ana, vou parar por aqui. Foi um prazer conhecê-la, e voltarei mais vezes.
bjo Zizi

Suzy Rhoden disse...

Ana Paula, interessantíssima a reflexão! Eu mesma me enquadro nesse grupo 'meio ausente' e pode ter certeza de que isso não está relacionado aos atrativos da rede social (que a cada dia me parece mais superficial, inútil e tediosa), mas por ter adotado uma postura pessoal 'slow'. Não quero ter o compromisso semanal de postar, não gosto de ter um dia fixo, embora continue a produzir 'offline'. É uma espécie de resgate de meu tempo pessoal para usá-los em vivências, sem pressa para vir contá-las aqui: mas guardando-as, para que na hora certa rendam suas histórias. Da mesma forma, não gosto da obrigatoriedade de visitas, assim como não as cobro: amo a liberdade para buscar sem pressa e para sentir o texto que li, e para comentá-lo quando tenho algo a acrescentar e não para somar estatísticas. Escrevo porque AMO escrever, talvez porque me sobrem palavras na mente... Não vou nunca abandonar essa atividade, estou certa disso. E assim como eu e tantos que comentaram aqui, em nosso novo estilo slow, não deixaremos os blogues morrerem.

Eis meus pensamentos. Grande beijo!

Beth/Lilás disse...

Puxa, como eu perdi este post? Não aparece pra mim nas atualizações internas, que pena!
Mas, vou deixar meu pitaco também, afinal são 7 anos de blog e muitos amigos na rede.
Bem, eu estou muito mais nos blogs do que no facebook, pois lá eu só vejo desfile de egos e surpresas desagradáveis, aliás, muitos reclamam do face, mas estão lá o tempo todo, como se estivessem debruçados numa janela desde a manhã até tarde da noite, basta observar a hora que vem abaixo do comentário.
Como eu saio muito, tenho uma variedade de coisas e afazeres no meu dia, quando entro no computador é pra ler bons textos, me atualizar com as notícias, já que não vejo quase tv e para interagir com um ou outro, lembrando aniversários ou compartilhar coisas importantes ou bonitas para o coração, detesto gente que enche a rede de desgraça.
Os blogs vão viver por muito tempo, pois neles podemos colocar textos que traduzem nossos interiores e não frases pequenas que podem ser julgadas por um outro que não nos conhecem profundamente.
Sou mais os blogs, sempre!
beijos cariocas


Graziela disse...

Amo blogs, amo blogar, comentar, participar, interagir.
Minha vida da' uma loucura, nem sempre boa, uma correria que me tira o folego, o sono, a saude. Entao tenho que priorizar e o blog as vezes nao esta' na lista das cinco principais coisas para dar conta mas nem por isso penso em parar, largar ou abandonar. Na, na, ni, ni, nao.
E lhe peco, por favor, nao faca isso tambem nao, amo seus escritos, adoro a forma leve, humorada e gostosa que voce escreve.
Acho que tudo se transforma, se adapta, faz o movimento circular... agora acabar, acabar, sei nao.
Abracos e vamos trocando ideias, figurinhas, palavras e carinho como der e enquanto der.
Gra'

Luís Fellipe Alves disse...

Outro comentário um pouco atrasado. Felizmente meu blog não sofreu meu abandono em troca de outras redes sociais, apesar de 6 longos meses afastado dele e estar utilizando uma rede como o Instagram. Felizmente, também, voltei. Mas já vi muitos outros que foram deixados pela preguiça, pela falta de interatividade e, claro, por outras redes mais rápidas, econômicas e diretas.
É triste! Blogs são espaços construtivos, não pretendo trocá-los.