sexta-feira, 29 de maio de 2015

Tempos de escola

"Mãe, você sente falta da escola? "
No olhar receptivo, nos ouvidos atentos, senti que não seria apenas uma resposta longa, dessas em que há três ou quatro linhas para se escrever.
Antes mesmo que eu começasse a responder, Bernardo, meu filho, completou sua pergunta:
"Ontem eu estava com o Gustavo num jogo on line só que estava chato e nós começamos a conversar.  O Gustavo entrou na faculdade esse ano e eu 'tava' reclamando que a escola é muito chata, que deve ser muito legal a faculdade e ele disse - cara, você ainda vai sentir muita falta da escola; você pensa que é chato, mas é o melhor tempo da tua vida.

Meu filho já tinha a resposta, mas de alguma forma, queria a minha.

"Mesmo eu não sabendo quem é Gustavo, ele deu a melhor resposta! Tinha todas as chatices que são comuns em qualquer tempo, para qualquer geração: o professor mais legal do mundo, o mais chato de todos, o que passava muita tarefa, o bonzinho que lhe acrescentava pontos na média; colegas insuportáveis, colegas maravilhosos. Manhãs ou tardes que pareciam nunca acabar, férias que nunca chegavam e depois resolviam voar.
Provas, trabalho, recuperação, dever de casa, ensaiar quadrilha, educação física para espairecer da sala de aula.
Só que quando a gente está nisso tudo, que se parece com um turbilhão e é mesmo, não dá para fazer ideia de que vamos sentir falta de tudo isso. É um mundo, é um tempo bom, mesmo com as coisas desagradáveis que acontecem. Tudo com o que precisamos nos preocupar se resume a esse universo, a escola. Não há a responsabilidade do sustento do lar, de alimentar filhos, ter suas roupas limpas e tantos outros mundos que vão surgir.

Ouviu-me e silenciou. Talvez guarde como semente o que eu e Gustavo dissemos. Talvez deixe a semente adormecida para só depois plantá-la. Talvez já comece a sentir sopros diferentes.

Ontem chegaram eufóricos da escola contando sobre a nova moda na escola ( tão velha, eu diria... ) a nova brincadeira do copo que anda, que agora se chama Charlie Charlie.

Passam-se os anos, a loura do banheiro talvez mude a cor do cabelo, copos que andam são substituídos por lápis que giram e assim segue até que a saudade daqueles velhos tempos lhe sopre.


12 comentários:

Tina Bau Couto disse...

Sentindo ocheiro do pó do giz no sopro do apagadonr de madeira
Vendo a névoa
As carteiras
Cadernos
Colegas
Professores
Os chatos e insuperáveis eu não sabia, foram os que mais me ensinaram e incentivaram a ser melhor
Lembranças
Permanências
Um gostar e saber era a melhor fase quando a vivi e hj ratifico, sabendo que o lá vivido e aprendido além das disciplinas, é recheio e bordas de quem sou
A faculdade uma extensão, sem a graça, a leveza, a poesia da Escola

Volto pra responder ao Bernardo

✿ chica disse...

Que coisa como tudo se repete! As brincadeiras ,as chatices pensadas, os conselhos, as advertências de que quem está na escola está na melhor fase da vida e muito há de nela lembrar! Adorei ler e parece só mudam os endereços,rs bjs, chica

Lúcia Soares disse...

Falo isso muito, Ana Paula. O tempo de estudante é o melhor da vida. Principalmente se levarmos em conta que é um tempo onde o único compromisso de verdade que temos é o de passar de ano. Melhor ainda se levando a sério e aprendendo muito.
Quanto a essa "brincadeira" Charlie, Charlie", andam dizendo que não é coisa boa, melhor verificar. Eu, como não tenho filhos nem netos nessa idade, não sei de nada concreto.
Beijo e bom fim de semana.

Cintia Fumagalli disse...

Oi Ana Paula , 'vim te ver' =D

Que texto bacaninha esse, adorei !
Eu sou bem dessas que sente falta da escola, gostava tanto !!
Tá, que eu devo ser louca ..rs , desde criança eu adorava ir a escola, não sou gênio mas, sempre gostei de estudar, por isso, posso dizer que seu texto fez acordar recordações adormecidas. Obrigada ! :)

Ótimo final de semana e, obrigada por me visitar! Bjo



Dra. Cristiane Marino - Mulheres em Círculo disse...

Que lindo seu texto, Ama Paula!
E seu filho é demais, viu?
Eu adorava estudar, na verdade, eu a-do-ro estudar!
Já não vou mais à escola, mas ela nunca saiu de mim.
Hoje me realizo bastante ensinando, passando o que aprendi nos grupos que coordeno e também para meus pacientes.
Bjs e ótimo final de semana

Beth Salvia disse...

Sou professora, e tenho dificuldade hoje de me aposentar, apesar de já ter lecionado 27 anos e ter mais de 55 anos, porque o mundo escolar é encantador, adoro conviver com adolescentes, com alegria, com caras feias e preguiçosas, manhas, brincadeiras, acho que tempos de escola é realmente muuuito chato e bo ao mesmo tempo, rs. Adorei seu texto Ana Paula, bjs

Lucia x disse...

Ana Paula,
E eh verdade! Os tempos da nossa escola foram incriveis! O unico compromisso exigido era que se estudasse! Brincavamos, brigavamos, faziamos a brincadeira do copo, ... saudades...
Tenho certeza que o seu filho, Bernardo, entendeu o que Gustavo e vc disseram. Excelente postagem! Tenha uma otimo final de semana! Bjs

Portugalredecouvertes disse...

adorava o tempo de liceu! depois o mundo do trabalho foi um choque! tínhamos aprendido muito que depois não servia em concreto, então era um bocado frustrante :)

feliz fim de semana para ti
Angela

lis disse...

É certo que sempre vem essa saudadezinha do tempo em que 'éramos felizes e não sabíamos... rs uma fase que os valores nao tem tanta importãncia e são absorvidos sem que se perceba,
Tão bom !
_ e felizes somos nós que a temos, quantas crianças não passarão por isso.., enrredados nos caminhos tortuosos tais como o que vem acontecendo aqui no Rio ( em vez de lápis na mão carregam facas). Triste destino !
Boa semana AnaPaula
meu abraço

Poesia do Bem disse...

Muda o tempo, as palavras, as coisas, os verbetes,a pelidos, mas sempre as chatices iguais, o que dá saudade é das brincadeiras, pq se ver pouco viu? como professora agora numa escola maior observo no recreio poucos brincam d epular corda, e correr, uns só ficam papeando, história de namorico, jogos de cartas. saudades de nosso tempo de escola. Bjs . Tem novidades no poesia. Boa semana

Tina Bau Couto disse...

Resolvi não explicar ao Bernardo
Ele vai entender
Aos poucos
Ou de repente
"Todos estamos matriculados
na escola da vida,
onde o mestre é o tempo."
Cora Coralina

Estela Vidal Ribeiro disse...

Adorava os tempos de escola! Ver sessão da tarde, dormir depois do almoço! Eu tinha tempo para tantas coisas... Acho que é do que mais sinto saudade, de não ter tantas obrigações. Mas, como a gente tem que crescer a gente se acostuma. É sempre que dá, faz uma visitinha na memória!
Beijo