terça-feira, 5 de março de 2013

Vamos dar uma espiadinha?

Acho que está faltando educação.
E não é daquelas só que a gente escutava quando era criança - "que mal educado, que má criação". Esses termos deviam ser usados para alguma travessura, uma resposta que não deveria ser dada.
Agora, parece que a coisa está feia e já que não conseguimos educar é melhor dar uma espiadinha, é melhor vigiar.

Hoje fui surpreendida por uma história da minha filha que ainda vou averiguar.
Antes quero falar de um outro tipo de vigilância em substituição do diálogo, da compreensão e claro da educação.

Notícia de jornal que aqui em São Paulo algumas escolas estão adotando o cartão pré-pago para o lanche, assim as crianças não excedem na cantina.
Como assim? Estão sem controle nos gastos? Educação financeira não é só matéria dentro da sala de aula. Exemplos e conversas também.
Ainda sobre o cartão pré-pago para a hora do lanche, os pais podem através da internet bloquear as porcarias que o filho não pode comer.
Então o rebento pede um refrigerante com batatas fritas e seu cartão está bloqueado.
Penso que educar é muito mais trabalhoso, por vezes exaustivo, beira outras vezes a falta total de resultados, pedindo sim medidas drásticas, mas já estamos generalizando. Bloqueia o que não pode porque o diálogo está escasso.

O que minha filha veio contando hoje diz respeito ao banheiro escolar.
Não dá para falar "em condições de rodoviária" porque acho que o de lá está mais limpo.
A inspetora falou horrizada do estado em que se encontra o banheiro daquele andar, onde encontrou-se fezes pelas paredes, no rolo do papel higiênico e chega de detalhes. Banheiro este utilizado por crianças de 7, 8 e 9 anos.
A nova determinação - quem quiser utilizar o banheiro vai ter que levar um amigo. Este espera do lado de fora e após o amigo finalizar suas necessidades, o outro inspeciona.
Como disse, preciso averiguar tal determinação.
Mas a que ponto chegamos? Crianças sem noção de higiene? sem nenhum respeito com os funcionários da limpeza.
Um tendo que espiar o outro? Delação premiada em tão tenra idade?

14 comentários:

Poesia do Bem disse...

Essa falta de educação e limites amiga é bem por ai, Eu como professora vi dessas coisas acontecerem, até que ponto chega o ser humano?
Vc tem facebook? se sim curte a fan page de meu blog Poesia do bem lá tbm, bjsssssssssss

Ivani disse...

Ana, e eu pensava que já tinha visto de tudo!
não acredito no que li, custa-me acreditar que crianças de tão pouca idade façam um serviço desses no banheiro.
Bom, façamos de conta que fazem. Mas as determinações da diretora são no mínimo insanas!
não se obriga uma criança a ficar plantada na porta do banheiro esperando o amigo (a) fazer suas necessidades.
e depois tem que inspecionar?
se fosse com minhas crianças eu tiraria isso a limpo, amanhã!
inconcebível essa atitude, tem que haver outro modo de resolver o problema.
Por favor vá contando por aqui, porque eu quero acompanhar de perto esse assunto kkkkk (encrenqueira eu? imagine!)
beijos amiga, não deixe barato!

Moro em um Kinder Ovo disse...

Lamentável. Mas é so observar as atitudes dos pais que você conhece para entender o comportamento dos filhos.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, na minha opinião a palavra EDUCAÇÃO (com todos os seus significados foi apagada do dicionário). Isso nem é triste. É grave mesmo. Muitas vezes a gente teme ter que passar perto de um grupo de estudantes. Eles, homens e mulheres, falam e fazem barbaridades e ai de você se reagir. Em princípio conclui que o melhor seria não me incomodar. A vida é deles e mais tarde eles vão sofrer as consequências. Depois, pensando melhor, achei que esse modo de vida que estão criando vai repercutir negativamente no futuro do país, não é mesmo? Seríamos indisciplinados e frágeis. Formaríamos o que se fala ou falava, MASSA DE MANOBRA. Seríamos teleguiados pela ignorância.
O assunto é bastante longo e a solução bastante fácil. Demanda um certo sacrifício das famílias. A solução é, em vez de darmos nossos filhos para a escola, a babá, o clube, o judô, as religiões, as creches,... e outras mais bem intencionadas comunidades educarem os rebentos, sugiro que NÓS os eduquemos em casa. Nós os colocamos no mundo e somos responsáveis pela educação deles.
Vamos também lutar contra o que os deseduca, mas em princípio vamos passar os nossos conceitos para eles. Se todos os pais fizerem isso os problemas de educação e agressividade vão melhorar e muito. As escolas bem intencionadas conseguirão dar aulas mais proveitosas e terão menos problemas disciplinares. Isso tem que começar a acontecer para a gente ter um retorno a longo prazo, todavia isso resolve. Do contrário ficaremos refens de nossos filhos e muitas surpresas havemos de ter.
Graças a Deus muitos pais estão ligados e se preocupam com isso (A Ana Paula e o Donisete, por exemplo). Vamos passar esse objetivo para frente e preparar algo melhor para a nossa criançada.
Beijo

Manoel

✿ chica disse...

Isso é impressionante mesmo. Cada vez vemos mais e mais coisas que nos fazem desacreditar... Uma pena! Falta muito diálogo e falta as crianças pararem para OUVIR. Ouvem sem atenção, muitas vezes.Isso quando as coisas como essas e as de educação básica são faladas.. Uma pena, realmente!!! O que será mais adiante se nesse idade já está assim?

Imagino que a Julia se espante com isso pois tem em casa os exemplos e sabe o certo e errado!


beijos,chica

Tina Bau Couto disse...

Vi a matéria e me perguntei aonde vamos parar.
Para falar pouco e tudo sou da opinião que biscuís e enfeites de vidro devem ser mantidos nas mesinhas de centro e estantes de casa desde que os rebentos aprendem a andar e não entendem nada e essa será uma das primeiras e eternas lições: Não! Aqui não!
E eles não irão mexer e o ciclo se fará, não gastarão além do permitido, não necessitarão de que lhe tirem tudo da frente, nem de vigília.
Noção do certo e do errado. Não é ensinado, não é praticado em todas as faixas etárias e soluções esdruxulas como essas coroam a falta de noção.

Alê Biet disse...

Bom dia Ana!

Em minha opinião as crianças estão chegando a tal ponto, pelo simples fato dos pais não colocar limites. O que existem de pais preguiçosos, que morrem de preguiça de educar, que ficam só nas frases; quieta menino, para menino, se vc fizer de novo eu nem sei o que faço com vc.... E não sai disso! Pais que preferem colocar a culpa no colega dizendo que a criança foi mal influenciada, sem perceber que se a criança tivesse uma boa educação essa mal influência não aconteceria.
Judiação essas crianças esperando na porta do banheiro o colega. Tem que arrumar outra solução!

Beijos!

Alê Biet disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AUDENI OU Dona Mocinha disse...

Oi Ana, estou conhecendo seu blog agora, li sua postagem e infelizmente o nível de educação que vemos por ai é esta!!!

Tenho uma loja e vejo cada coisa lá, filhos no norte mexendo em tudo e pais no sul, distraidos!

Como fui educada de uma forma muito severa, fico horrorizada em ver tal comportamento, não é necessário ir ao extremo como fui educada, mas hoje a maioria dos pais se acham "psicólogos", são os melhores amigos dos filhos, e pais de verdade, aqueles que educam de verdade, que instruem, não tem nenhum!!!

No meu conceito pai/mãe é educador, não é o melhor amigo de filho, melhor amigo filho tem fora de casa, em casa precisa de alguém que instrua, que ensine, que dê exemplo, que também elogie, que também brinque, que se interesse por ele, mas liberdade demais não dá certo, infelizmente!
Fica o meu desabafo.


Uma ótima semana a vc. e um abraço


Audeni

Rovênia disse...

Nossa, Ana Paula, fiquei assustada. Pense se o melhor não é mudar a criança de escola. Fiz isso uma vez ao começar a esbarrar em problemas demais na antiga escola das meninas. Uma vez fizeram um passeio no zoo, eram bem novinhas, quatro ou cinco anos eu acho. E a Bruna me disse que usou o banheiro público sozinha. A professora não ajudou,não forrou o vaso. Fui atrás da história e perguntei à professora se ela teria coragem de fazer o mesmo que a criança? Às vezes é melhor não discutir e ir atrás da boa educação em outra escola. Quanto às cantinas escolares, acho que devem antes de qualquer coisa vender alimentos saudáveis. Isso reforça a educação dada pelos pais em casa. Quanto aos cartões pré-pagos preciso me informar mais a respeito... Vou atrás!

Pattr!cia disse...

Nossa, tb fiquei assustada. Mas de contra partida...
Nós, educados, sabemos as condições que são os banheiros de adultos. Você já parou para analisar o banheiro da empresa, da faculdade, da rodoviária?
Somos nós que utilizamos, adultos. Parto do principio que se a mãe faz uma porquice na frente da filha, é assim que ela vai agir. Muitas crianças já pensam: Não sou eu que limpo... infelizmente.
Como viajo muito a trabalho noto a falta de higiene das mulheres. Não são todas, mas tenho a impressão que a grande maioria não tem respeito, higiene e educação.
Essa semana na faculdade, no banheiro feminino, UNIVERSITÁRIAS, não dão descarga e as fezes ficam lá para a próxima que entrar. E os absorventes? Não se preocupam nem em passar o papel.
Qdo era mocinha, logo que comecei a menstruar, não tive esse cuidado com o absorvente. Quem chamou minha atenção foi meu pai. Me deu uma dura inesquecível.
Mas infelizmente muitas crianças não tem pais em casa. As que tem acham que educação é a escola que tem que dar. Eu acho que educação vem de berço.

Bêjo

disse...

Nossa Ana Paula, é assustador! Penso que essa falta de educação ainda vai trazer problemas muito maiores do que o cocô espalhado pelo banheiro. Como é que vamos limpar a sujeira dos adultos que estamos criando? Seria mais fácil - embora não pareça - educá-los agora. Falta tempo, amor, carinho, paciência. Falta tanto, não é?

Carolina Lima disse...

Esse é o tipo de educação que deve ser dada em casa. Lamentável isso!!

Anne Lieri disse...

Ana,fez bem em ir na escola conversar.Essa coisa de um vigiar o outro é mesmo uma furada!Melhor trabalhar isso em sala e em casa,não é mesmo?Bjs,