quarta-feira, 17 de junho de 2015

Tempos curiosos

Baixamos, conectamos, plugamos, fazemos dowloads, salvamos, compartilhamos, curtimos e precisamos de instruções para o uso de farinha, um dos mais ancestrais alimentos.
Tempos curiosos vivemos!


10 comentários:

✿ chica disse...

Perfeita observação da vida essa tua!

Tantas vezes no perdemos no grande e esquecemos as coisas mais simples, banais até! Adorei!

bjs, tudo de bom,chica

A propósito se saber coisas pequenas, hoje li um post nesse blog.

http://www.casadefazdeconta.com/2015/06/alca-do-cabide.html

Uma coisinha tão banal, tão simples e que diferença faz!

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Ana
Não podemos perder o cotidiano simples e, ainda que estejamos 'antenados', a simplicidade nos faz muito bem!
O sabor das coisas é imprescindível!
Bjm fraterno

Ana Bailune disse...

hehehe... minha mãe sempre dizia que certas coisas como saber cozinhar, lavar, fazer bainha na calça e pregar botões, são essenciais, e acho que dei sorte...

Dra. Cristiane Marino - Mulheres em Círculo disse...

Ana Paula, onde você encontrou essa imagem? Quase inacreditável, não é?
Fui criada para ser uma dona de casa prendada, mas acabei virando médica.
Sabe que acho que tive sorte? Porque me viro muito bem com as coisas básicas da vida.
Bjs

Tina Bau Couto disse...

Pois é né!
Fizemos curso de datilografia e teclar com um dedo era catar milho
Hoje teclar de um dedo sóé o máximo em destreza
Oh Lord! Quanta desevolução!

lis disse...

Com certeza!
Mais fácil agora é teclar teclar teclar ...
de todas as formas .
Difícil é preparar o que comer!! rs
com glúten ou sem glúten ?

abraço Ana
sempre bom te ler !

Tina Bau Couto disse...

Voltei para pedir o contato da marca para avisar que serve para untar forma, fazer bife a milanesa, engrossar mingau na faltar amido, fazer panquecas...

Bell disse...

Tempo estranho mesmo né?

bjokas =)

Poesia do Bem disse...

Á primeira vista na atualização até achei fosse um banner. Inacreditável mesmo ainda ter alguém que não saiba onde e como usar farinha, mas se bem que muita gente hoje que nem cozinha, só come pronto, uns que nem sabem o que é farinha andam vidrados no anti glúten não é? Penso assim como nas minhas crianças da escola, que não vão a cozinha, que os pais , uns deles" trocam o cozinhar por marmita, por um salgado na feira ou por um homem que vende, ou alguns que mandam as crianças para a escola só para merendar e almoçar, depois elas chegam em casa após o almoço não precisa mais se preocupar. Triste estado. E eu hoje justamente para ver quem se interessava pedi que escrevessem uma receita com ajuda dos pais de um prato típico das festas juninas. Vamos ver quem leva amanhã. Tem novidades no blog. Bjs

Pandora disse...

As vezes eu acho que a coisa que os seres humanos mais fácil se esquecem é de como exercitar as coisas humanas... E não sei porque lembrei de Isac Asimov e seus robôs mais humanos que os humanos.