terça-feira, 28 de junho de 2011

Abraço

Este post seria apenas um texto do Bernardo.
Mas este texto me trouxe tantos significados que eu quero postá-lo no contexto no qual ele foi criado.
Emenda de feriado, tempo maior para voarem os pensamentos e no final da tarde o Bernardo fica comigo na cozinha visivelmente angustiado de tal forma que os olhos marejam e a voz embarga.
As perguntas são muitas e as respostas difíceis.
Não era o tipo de pergunta que você pára tudo o que está fazendo e corre no computador para pesquisar.
Eram perguntas que talvez as minhas respostas não estavam servindo naquele momento.
Deixei o que eu estava fazendo ali e o abracei fortemente, acariciei seu rostinho querendo confortar o 'lá dentro' dele.
Então, mais calmo ele me pediu para escrever no computador, porém não queria que eu lesse.
Somente bem depois permitiu que eu lesse. Escrever fez-lhe bem e hoje ele autorizou o meu pedido para a postagem.

De onde tudo vem?
A água que bebemos,nossa matéria do corpo,o universo,o zinco,ferro,as plantas,os planetas,estrelas,meteoros,cometas,etc...Tudo
As perguntas que temos mas não sabemos as respostas,e tentamos saber delas por tudo,pela física,astronomia,filosofia...Mas só registramos o nascimento de tudo do universo do primeiro pontinho de luz que veio do preto nada que criou tudo.
Quem fez essa luz aparecer?Como e por que o pontinho de luz apareceu?Se não existia nada esse pontinho criou o sol que nos aquece, as células que formam nosso corpo e tudo o que é vivo.
E as perguntas mais simples da filosofia não deciframos elas muito bem ou nem deciframos elas, como essas:De onde viemos?O que somos?Para onde vamos?
Ou a origem de tudo.
Será que um dia ainda na terra saberemos?.Ou teremos que esperar mais um pouco para sabermos essas perguntas.Pense mais.Se nós somos uma coisa nesse universo todo muito(a) será que um dia iremos saber essas perguntas,estando aonde vamos ou não?Talvez nós possamos escolher.Ou vamos ter que esperar o momento certo.Quem sabe um dia saberemos?Provavelmente sim.Estando aqui na Terra ou em qualquer outro lugar.
Fim


Produção:Bernardo Dias.


Quando são pequenos nos angustiamos com as cólicas, com as assaduras, com os tombos, com a primeira vez na escola... e olhando em retrospectiva, vemos que não precisava tamanha preocupação.
Crescem e vamos nos dando conta que não temos lenitivo para todas as dores, que as nossas respostas podem não ser suficientes... que há dores, angústias e sofrimentos que farão parte da vida deles.
Eu e o Bernardo ouvimos muito essa música, que eu colocarei aí embaixo, quando ele era um bebê. Ouvimos para ninar, nos momentos gostosos de massagem ou mesmo quando ele estava brincando. Deixava o cd repetí-la várias vezes.
Depois de muito tempo, fui procurar na internet e encontrei o vídeo com a música.
Não o vejo com frequencia. Sempre choro, é uma emoção forte o que sinto. Prefiro ouvir só a música.
Mas ele relata a angústia, a falta de respostas, os caminhos.
Nosso abraço foi confortante para ambos.
"Mesmo que eu não tenha todas as respostas, e eu não as tenho, terei sempre um abraço para você Bernardo."


8 comentários:

Ivani disse...

Puxa, que emocionante tudo isso!
primeiro o texto impecável do Bernardo, e depois esse vídeo!
Odeio despedidas, mas fico muito emocionada com chegadas! dá pra entender?
Querida Ana Paula, você ainda vai se surpreender muito com esse lindo homenzinho que habita sua casa.
Tantas perguntas são típicas de uma cabeça que não quer aceitar, não vai aceitar enquanto não entender.
Que lindo! parabéns Bernardo pelo texto tão emocionado e parabéns à mamãe que sabe dar colo, a única coisa realmente palpável nessa vida bandida.
Beijos aos dois.

✿ chica disse...

Estou arrepiada! Que coisa mais linda e que indagações essas dele.Maravilha isso tudo!Bernardo escreve e se expressa muito bem!

E que tranquilidade esse abraço que está presente e estará sempre! LINDO!!!beijos,chica

Su disse...

não deu pra ler e não me emocionar... lindo seu relato, o texto bem escrito muito além das letras e do português do Bernardo... um texto que toca o coração de mãe que somos e das preocupações que temos e do amor que sentimos... Vi meu Rafael falando, vi seus olhos nos olhos do Bernardo, não há como não comparar esses sentimentos que despertam desses corações que se pudéssemos carregaríamos com a gente... mas sabemos que em algum momento eles serão livres e andarão com as próprias pernas e corações, mas que bom que temos o nosso abraço, sempre... nossos fortes abraços!

Um beijo e lindo dia pra vocês. Su.

Patricia disse...

Nossa Ana, como o Bernardo escreve bem!!
Fiquei emocionada com as palavras dele, e que bom que ele coloca pra fora através da escrita....é uma terapia.
bjs na familia linda

Paula disse...

Emociante, emocionante.
Então, vc é Mãe de Criança Escritora, Ana. Parabéns para o Bernardo!

Paula disse...

Passa lá no blog que tem uma coisinha pra vc...

Ana Paula disse...

Comentário de uma amiga querida que não consegue postar aqui, e postou no meu facebook. trouxe para guardar no coração! Obrigada Vanessa

"Ana, oi! Lindo o texto do Bernardo!! Emocionante...confesso que gostei de forma especial do seu final da postagem, onde diz: "Mesmo que eu não tenha todas as respostas, e eu não as tenho, terei sempre um abraço para você Bernardo." Como mãe aprendi muito hoje. Beijos"

Angi disse...

Que emocionante,amiga!
Arrepiada, e com lágrimas nos olhos!
Sempre que precisarem tem abraços aqui também!
Angi