quarta-feira, 18 de abril de 2012

Colher o dia

Já li belas postagens sob este título: colher o dia.
E hoje no meu dia, uma colheita inusitada.
Uma amiga tocou a campanhia já para o final da tarde convidando a mim e à Júlia para colhermos mexericas.
Tanto insistiu, que entramos no carro.
"É ali, num outro bairro".
Confesso que imaginei um cenário mais bucólico...


Este não era exatamente o cenário de um pomar, mas pensando melhor, chega a ser poético.




Ficava a lembrar das belíssimas imagens que vira nos blogs amigos sobre colher o dia.
Em nada se pareciam com a minha colheita.


Equipamento específico para colher o dia!





Lembrei-me do aniversário do céu e palavras!





Amiga adorei esta tarde inusitada! Nossas gargalhadas, a dor no pescoço. Tudo vale para adocicar nossa amizade, até mexericas!

13 comentários:

Cris Martins disse...

ki deliiiiiiiiiiiiicia!
ta docinha??? rsss
adorei as imagens!

bjo gde!

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, que gostoso ler essa postagem. A paisagem do "pomar" ficou interessante. Na realidade foi um equilíbrio perfeito. Se somarmos a tristeza das "latarias" com a alegria do pé de mexericas, o resultado deve dar em torno de zero. De acordo com a lei do pêndulo, é o equilíbrio perfeito.
Você pode pensar que isso que escrevi é "maluquice", mas não é não. Veio na minha cabeça e me deu vontade de escrever assim. Mecânicamente até que ficou poético, não é? rs!
Beijo
Manoel.

✿ chica disse...

Mesmo não sendo o que idealizavas, certamente num pomar limpinho, ajeitadinho, ainda assim foi linda a colheita e nem preciso dizer o quanto me alegrou a lembrança dos céus por lá!!! Adorei!Lindo!! beijos, obrigado! Chica

✿ chica disse...

Está aqui teu lindo presente!beijos,chica e obrigado!

Tina disse...

Adorei!
Não há flores lindas na lama e entre pedras, pq não mexericas sob ferros-velhos.
Abraços tangerinados!

Patricia disse...

Q dia divertido!!
Fiquei com água na boca de ver essas mexericas.

bjs

Ivani disse...

kkkkkkkkkkkkkk!!! realmente nada poético! Ou é?
Depende do ponto de vista, claro.
As fotos ficaram lindas, mesmo com o ferro velho teimando em aparecer também.
Mas as mexericas estão bonitas em? e maduras! bem no ponto de colheita.
Penso que deve ter valido a pena. Sabe Ana, nem sempre o certinho e arrumadinho é o ideal.
Esse cenario é inesquecível, então valeu!
Beijos querida, tenha um lindo dia.

Li disse...

Que delícia de tarde!!!
Adorei!!!

Aproveito para convidá-la a participar de uma blogagem coletiva que estou propondo em meu blog em Homenagem ao Dia das mães e que eu acho que tem tudo a ver com esse cantinho: A maternidade tem sabor de quê? (tem um quê de poético!!!)
Para saber mais sobre essa blogagem, dê uma passadinha lá no blog onde eu explico tudo direitinho!

Beijos!

Lívia.

mfc disse...

Que frutos mais lindos e que proporcionarão em casa momentos bem agradáveis e sumarentos!!

Beijos,

LUCONI disse...

Ana que dia delicioso, um programa diferente, realmente não era um pomar, mas vê como a natureza é sabia? No meio dos ferros, abandonados e enferrujados ela criou uma linda colheita, amei isto, beijos Luconi

Angi disse...

Achei bem legal, as mexericas devem estar deliciosas, pela cor...
Adorei o cenário, hehehe!
Beijoss
vou me atualizar aqui...

Lola disse...

Ana! Só passei para te deixar um beijos. to numa mega correria! Bjs

disse...

Que demais! Na minha infância lembro de tantas pomares, o próprio quintal de casa era recheado de frutas, agora ficou cada vez mais difícil encontrar um pezinho de qualquer coisa. Achei esse cenário incrível! Beijo.