sexta-feira, 13 de abril de 2012

O sonho da riqueza

O sonho da fortuna fácil, fama, ascensão meteórica para um filho, uma filha, a cada época tem uma roupagem. 
Pais já sonharam com o filho doutor, estudado na capital. Gisele Bundchen fez muitas mães sonharem com as passarelas no caminho das filhas. E o que dizer do futebol? Um filho Neymar... E lá vão os pais para as escolinhas de futebol, adubando promessas.
Bom, deve haver algum pai com o sonho de filho político.
E sonho não se discute.
Mas os sonhos atuais estão deixando um pouco de lado os saltos, as chuteiras, diplomas e gabinetes e ingressando na era digital.
Sonhos virtuais que, em questão de algumas semanas, podem tornar os pimpolhos milionários
Milionários não. Isso é coisa do passado.
Sonhos bilionários.
Basta o garoto ou garota traduzir uma ideia boa, por vezes simples, porém criativa, para o idioma do computador e lá está ele/ela - o bilionário da vez.
Linguagem de celular, também garante cifras em alta, são os tais aplicativos.


Os garotos da minha época tiravam a carteira profissional aos 14 anos. E ali começavam a ascensão lenta e gradual - de contínuo, office-boy à diretor da empresa.
Tem garoto hoje começando aos 11 e acho que nem deve ter a profissional, mas é um profissional de bilhões.
A mídia tem mostrado esses garotos fantásticos que passam noites em claro no lado de dentro dos computadores, enquanto os pais não sabem se sonham ou se estão num pesadelo.
Sim, porque somos envolvidos por todo tipo de informação nos orientando para limitar, proibir, para não deixar que o mundo virtual torne nossos filhos sedentários, obesos. Que pesadelo!
E se ele de tanto ficar ali, cria algo fantástico que desperte todo o Vale do Silício e você acorde com qualquer bilhão na sua conta ( porque seu filho ainda é menor de idade), que sonho, não?
Existe um método de alfabetização de bebês que deve começar lá pelos três ou quatro meses de vida e antes mesmo do rebento começar a andar, deve estar lendo palavras; palavras simple, mas lê.
E se fosse criado um método para bebês saberem a linguagem dos computadores e celulares? Com três ou quatro anos estariam fazendo aplicativos e ganhando milhões. 
E lembre-se: quem desenvolver este método, eu quero a minha participação nos lucros porque eu tive a ideia, ok?
Agora deixe-me recostar a cabeça e sonhar com o meu bilhãozinho. Fácil, não?!

11 comentários:

Ivani disse...

Ana, bom dia! uma certeza eu tenho, absoluta:
O pai que tem seu sonho mais fácil de ser realizado é aquele que sonha em ter o filho politico.
Esse menino nem precisa estudar muito, nem precisa de muita formação de caráter, nem de honestidade.
Basta jogar o filho no mundo político, bem cedo, que ele vai ficar rico logo, logo!
Deixando a brincadeira de lado fico pensando que voce tem toda razão.
O assunto é preocupante, mas vou falar como mãe e avó.
Sonhe com seu filhos felizes e saudáveis.
Bem alimentados e orientados. E de a eles muito carinho.
Eles se tornarao pessoas realizadas.
E voce se sentirá totalmente rica!
Beijos querida, um lindo fim de semana.

✿ chica disse...

Concordo com a Ivani, certíssima e teu texto ficou ótimo!!! beijos,chica

Patricia disse...

Ótimo texto, como sempre!
E em breve, muito em breve, os bebês estarão desenvolvendo esses tais aplicativos, pq esses tais aplicativos são os principais "brinquedos" deles hoje em dia.
Aqui em casa a Maria (2 anos) mexe no nosso Ipad com mais agilidade que eu. ; )
bjs e bom final de semana

Kinha disse...

Interessante o seu texto mas não consigo deixar de pensar em como algumas dessas crianças tem sua infência roubada...

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, interessante e provocativo esse texto. Se esse processo continuar, a criança nasce e o médico já coloca um chip nele. Só pergunta aos pais qual a operadora que preferem (vivo,oi, claro,...,tim)
Eu já penso diferente. Luto para que meus filhos tenham a LIBERDADE de escolha. Se fizerem o que gostam estarão sempre satisfeitos, trabalharão melhor e consequentemente colaborarão para um desenvolvimento diversificado das profissões existentes no mercado, conforme as necessidades atuais. Um exemplo interessante é o de um Pipoqueiro aqui de Taubaté. Ele adora o que faz e é muito criativo. Acho que trabalha com isso há uns 30 anos. Apesar de diversos pontos de pipoca na cidade, o carrinho dele tem sempre uma fila quilométrica. Não há quem não de uma saidinha para pegar a pipoca famosa.
Este senhor tem 4 ou 5 filhos, todos formados e muitas vezes o ajudando (nas folgas).
Assim como ele podemos conhecer pedreiros, carpinteiros, pintores, serralheiros, vendedores,..., e muitos outros.
Portanto, acho que a cobrança de sucesso não é produtiva. O que dá resultado é a liberdade de escolha.
Adorei a postagem porque me provocou a fazer "meu discurso", rs...rs.
Um lindo final de semana para você.
Beijos

Camila Gomes disse...

Com certeza todos esses sonhos existem. Porém, eu como mãe hoje, não quero direcionar o futuro do meu filho, posso orientar. Meu noivo ta doido para colocar meu filho na escolhinha de futebol,e sempre cita o Neymar como exemplo, porém ele ainda nem sabe o que quer. Como induzir ele a um sonho, sendo que ainda nem sabe sonhar?

Compartilhando Sentidos disse...

Oi Ana, tudo bem? Que belo texto... Eu não tenho filhos, mas acredito que fico surpresa com as facilidades de hoje na aprendizagem dos pequenos. Mas é isso aí: Sonho não se discute!


Bjbj e eutimia

Vera, a Loira disse...

Desconhecia por completo.

Marly Bastos disse...

Pois é, sonhar é bom mas não deixa ningém rico. Eu digo para meus filhos que se quiserem ter dinheiro para ao menos sobreviverem que estude bastante para se tornarem bons profissionais e aí ralar muitooo. Um texto que é uma crítica ao modismo do dinheiro sem trabalhar.
Beijokas doces e um bom fim de semana.

Luma Rosa disse...

Generalizando é isso mesmo que acontece. Quem não quer ficar rico logo, sem muito esforço? Dada a oportunidade, a sorte está lançada! Mas sabe, penso muito no que a minha avó sempre dizia, ela falava que chegaria um dia em que o mundo teria muito progresso, muita riqueza, dinheiro... "o mundo terá dinheiro, mas não terá alimento para comprar e o homem brigará por comida, muito mais que dinheiro".

Ana Paula, vim lhe fazer um convite, pois você já participou de edições anteriores do BookCrossing Blogueiro e como simpatizante que é, lhe convido para mais uma vez participar dessa empreitada!

Vamos libertar os livros da clausura das estantes escuras? :)

Este ano, o prazo de postagem foi aumentado para uma semana para que todos possam participar com calma!

Dá uma olhadinha lá no "Luz" e veja se anima!!

Beijus,

mfc disse...

Sinceramente eu desejaria que fossem muito e muito felizes!
Beijos,