terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Um pouco de leveza

Hoje queria escrever algo leve, algo do tipo "caldinho" bem quentinho, sol aconchegante da manhã.
Mas cadê a inspiração? Cadê o sol de São Paulo para ajudar?
Então minha filha da escola entusiasmada feito sol e me fala que fez um ditado e se saiu bem.
Eu sem muita vontade de olhar, mas fascinada por aqueles olhos brilhantes resolvo ler.
Penso nos meus ditados da infância - um monte de palavrinhas separadas por tracinhos.
Começo a ler e me deparo com um poema de Cecília Meireles. A leveza que eu procurava.
Lembrei então de umas fotos feitas num evento da escola ano passado ( era para escrever sobre, passou... ). Mas as fotos também são leves e quentinhas. Histórias da escola inteira costuradas!
Então: poema e foto!


A arte de ser feliz

Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.
Avisto crianças que vão para a escola. Pardais que pulam pelo muro. Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais. Borboletas brincam, duas a duas, como refletidas no espelho.
Às vezes, um galo canta. Às vezes um avião passa. Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino. Eu me sinto completamente feliz.






12 comentários:

DJ disse...

E eu me sinto completamente encantada!!!

Poesia do Bem disse...

Muito lindo essa colcha de memórias. Estou de volta a SP, mas logo me mudo pro RN sentirei falta de SP da cidade e pessoas que me acolheram, foi tudo rápido demais, ainda nem sei por onde começo a arrumar, o que poderei levar. mas sei levarei no coração muita saudades...

Tina Bau Couto disse...

Pois é!
Caldinho quentinho combina bem a com a falta de sol daí, um caldinho de sururu, de feijão.
Um mingauzinho de milho, arroz, carimã, aveia, salpicados de canela para mim por favor e depois café, aceito de coador de pano, pra não ser chata.

Por aqui caldo de cana, com abacaxi ou puro mesmo, mas com muito gelo, que calor!

Qto aos ditados, amo ditados, brincava de ditados pois os da escola não eram o bastante.
Gosto de ditados temáticos, tipo de comidas, desenhos animados, nomes...um listas e mais listas e a correção tb é legal e separar as sílabas depois também, como catar feijões ou brincar de quebra-cabeça.

Cecília, varais, poesias...
Julia...
Com chuva, sem chuva, tempo nublado ou sol, combina, é unissex é total-flex.
“De que são feitos os dias?
De pequenos desejos, vagarosas saudades, silenciosas lembranças.”
Cecília Meireles

Escrevi hoje e mandei para um projeto de escritos saírem no marcadores de página de uma livraria:

Não há completude na poesia
Sempre ha algo mais
Algo além
Outro olhar
Outro prisma
Para o mesmo dia
A mesma flor
Como as borboletas
As poesias são metamórficas
Poesia não define
Trasborda
Transforma
:)

Flor de Liz disse...

É realmente leve poder ler sua postagem!
Depois de tantas coisas ruins rolando pelo meu Facebook, eu precisava mesmo de uma leitura mais leve.
Li o texto que me indicou e eu adorei. Acho que o problema realmente são os jovens, totalmente mal educados... Ou loucos, sei lá. É muita falta de humanismo o que tem feito por aí.
Mas afinal, ninguém tem noção do problema até acabar passando por ou pior, né?
Que Deus proteja os que passam por isso das pessoas tão má intencionadas que infelizmente existem. rs
(...)
Adorei as fotos, uma gracinha! *-*
Assim que aprendi a escrever, eu comecei a perturbar minha mãe, pai e irmã mais velha. Escrevia poeminhas, acredita? rs Com MUITOS erros gramaticais, mas ainda assim... Escrevia! E adorava escrever, aprender palavras novas... E se ouvia uma palavra difícil na escola ou na televisão, fazia meus pais de dicionário questionando "O que significa tal palavra?". haha
Que gracinha, mesmo... Me ocorreram lembranças. rs
Beijos e assim que der, estarei de volta! :D

http://oiflordeliz.blogspot.com.br

Calu disse...

Leve e colorida as artes, da menina, dos colegas, da Cecília.Que saudades me dão dos varais de poesia, dos painéis de trovinhas, dos cartazes costurados...todo um mundo de criações encantadas que moram em minha melhor memória.
Bjos Ana.
Calu

Carolina Lima disse...

Ana,
dá para sentir o aconchego das palavras e das cobertas bordadas.
Linda postagem! ♥

Beijinhos :**
Carol
www.umblogsimples.com

Laiz disse...

Precisamos tanto de leveza. Tudo fica mais fácil.
Lindo poema e as fotos também. Adorei a idéia da escola.
Que post gostoso, estava precisando passar mais por aqui! Saudades grande.
Bjooooooooooooooooooooo

Flávia Brito disse...

Que ideia maravilhosa essa colcha de retalhos. Ficou lindo e ainda por cima vai guardar muitas memórias sem que se percam com o tempo. Muito bom mesmo!!! Beijos!!

Imac by Artes disse...

Querida amiga!
Como precisamos dessa leveza na vida!
Imagens lindas demais! Senti uma paz ao te ler.
Abraços! Uma tarde abençoada pra ti.

A BETI disse...

Ao ler senti a leveza, que maravilha de post.
Uma leveza de tarde para vc!
Bjsssssssssssssssssssssssss

Ivani disse...

ai que lindo isso!
aquele varal de panos, de retalhos, coloridos e voando ao vento, vai ficar para sempre em mim!
adorei cada palavra, cada foto.
viu só? a Julia acabou ajudando com seus grandes olhos brilhantes e lindos!
beijos querida.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, é uma leveza mesmo!
O melhor da leveza é o extenso comentário com abertura e confiança. Um dia pedi sua interferência e a situação caminha muito melhor do que eu esperava. Você é mesmo um amor de pessoa. Se precisar de esclarecimento, me pergunte, tá?
Beijo
Manoel