segunda-feira, 8 de julho de 2013

Faz de conta

Faz de conta que as estrelas não têm pontas
São redondas, emitem luz
nascem
habitam galáxias
morrem

Faz de conta que as estrelas têm pontas
e podemos encontrá-las
em qualquer chão
pequeninas, juntinhas
ramalhete de estrelas

Se soprar
elas voam de volta para os céus
encontram uma galáxia qualquer
para renascer
chão de céu a brilhar
sonhos nossos a iluminar


15 comentários:

✿ chica disse...

Adorei esse lindo e poético faz de conta! Muito legal! Linda foto!beijos,chica

Tina Bau Couto disse...

Tantas coisas me sugerem o despetalar que hoje tb lá está dos dentes de leão.

Sabe que nunca vi um de pertinho?

Pois para mim cada fiapinho parece uma flor pincel de estudante, parece também um pirucoptéro (palitinho do pirulito com uma hélice que vinha junto, doce guloseima e brinquedo de minha infância). Parece nevinhas que se juntaram em flor e se desprendem com o vento, parecem-me algo mágico.
Agota tb parecem estrelas com pontas juntinhas em um ramalhete.

Lindo seu poetar, calmante meu viajar nele.
Sopro do coração em verbal de dente leão para sua noite e sua vida \o/

Kellen Bittencourt disse...

Lindo poema Ana, façamos de conta então... bjooosss

Ana Virgínia disse...

Oi Ana Paula.
Amei o poema.
Gosto de fazer de contas.
Também gosto de quem fala de estrelas.

Abraço.

Ana Virgínia.
filhadejose.blogspot.com

Manoel - Blog do Óbvio disse...

Ana Paula, muito bem bolada a analogia com as estrelas.
Beijo
Manoel

Christian V. Louis disse...

Dá para perceber em sua escrita, principalmente poemas, a forte influência que Manoel de Barros tem sobre você.
Transformar coisas simples em "faz de conta", trazer lirismo a elas é muito difícil e dom de poucos.
Boa semana.

Etienne disse...

Hey, Ana! Que bom poder vir lhe visitar! Adorei o video (belíssimo) e o site que você indicou. As fotos do dia de Sol ficaram lindas! Sobre este post aqui, eu já encontrei esta florzinha, mas não havia pensado em estrelas. Adorei brincar de faz de conta, pensando nelas! E, pra terminar, eu levei na brincadeira o comentário que você deixou lá no blog, pois que... quem escreve com tanta delicadeza como você e ainda dá às palavras uma casa majestosa, como um livro... pra mim, é pessoa corajosa! Como já falou a querida Anne Lieri, escrever é um ato de coragem. E gostaria de dizer também que senti saudade de você na BC... Uma boa noite! Bjs. (Desculpa se ficou longo. Pode deletar, se quiser!)

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Ana!

Amei sonhar um pouco com as estrelas e o céu do faz de conta que você tão lindamente nos contou.

Beijos

Selma

Smareis disse...

Ana Paula,
Quanta beleza na suas palavras.
Viajei nesse faz de conta. Escreveste maravilhosamente.


Desejo uma ótima semana cheia de coisas especiais.

Ja tem atualização!
Beijos!

Moro em um Kinder Ovo disse...

esta poeta não é de faz de conta, ela é verdadeira e pura.

Flávia Brito disse...

Que liiiiiiiiiiiindoO. Amei este teu poema e condiz perfeitamente com a imagem. Você é ótima, adoro te ler. Beijos!!

Luís Fellipe Alves disse...

Um dia descobriram que as pequenas estrelas do céu eram, na verdade, grandiosas demais para serem abraçadas e incorporadas a vida humana. Mas a genialidade foi capaz de trazê-las como se fossem pequeninas, de forma que pudéssemos interagir mais de perto. Às vezes sentimos a necessidade de vê-las lá no alto. Às vezes precisamos de seu abraço.

Laiz disse...

Adoro todo esse faz de conta. Por isso sou tão feliz de estar tão perto e mergulhar profundamente em todo o faz de conta que existe nos pequenos e que vai nos abandonando no decorrer da vida infelizmente. Adoro estar aqui onde encontro mais faz de conta sempre. Bjo enormeeee

disse...

Brilhante!

Lola disse...

Lindo e delicado poema. Assim como sua autora. Beijões Ana!
http://antonellaesuaboneca.blogspot.com.br/