segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Aprendizados

A irritação já estava me tomando, quando vi as crianças assim: absortas em suas brincadeiras.
Nem o barulho, nem a fumaça que foge do escapamento da betoneira os perturbava.
Lado a lado e ao mesmo tempo invisíveis.
Essa imagem me serenou.


13 comentários:

✿ chica disse...

Que lição sem querer eles passam...Adorei e só um olhar aguçado como o teu percebe bem essas pequenas cenas, tão grandes em significado! Te li na Tina,rs...bjs praianos,chica

Tina Bau Couto disse...

Linda imagem com o doce recheio da observação.

Eu já disse por aqui que amo betoneiras e como não estão na minha porta poetizo...rsrs

Me vi nessa grama brincando ao som da betoneira, falando besteiras, tomando suco de maracujá com bolinhos de chuva trazidos por Luis Felipe, berrando para o Theo parar de latir, aumentando o barulho e fazendo o moço da betoneira parar um pouco para nos ouvir :)

Moro em um Kinder Ovo disse...

Em volta de mim tenho dois sons constantes: os passarinhos da mata e dos prédios em construção. Fico com o primeiro e tento ignorar o segundo. Nem sempre é possível, mas a gente tenta.

Christian V. Louis disse...

Crianças possuem este dom de ignorarem o que é perturbador, basta perceber quando brigam e, minutos depois, já ignoraram completamente tudo. Não sei como acabamos perdendo isto com o passar do tempo.
Por vezes, nem que seja por poucos minutos, tal como aconteceu com você, conseguimos fazer mesmo que de modo sutil, este resgate.
Abraço.

Bia Hain disse...

Oi, Ana! Coo é bom saber que existem meios de nos desligar da rotina estressante, não? Eu gosto muito de observar crianças, pássaros, natureza, os elementos do céu... tudo acalma para quem se dispõe a enxergar.
Um abraço!

Rovênia disse...

Ai, meu Deus! Tão perto e tão longe, não é verdade? Adorei a bagunça no gramado. É brinquedo que não acaba mais. Ainda bem que não sou a única a passar por isso... Boa perspectiva e retrato de uma cena cotidiana. Beijos e ótima semana!

Cristiane Marino disse...

Que lindo Ana Paula, quem me dera ter esse poder de concentração e estar tão absorvida em algo que nem notaria um ruído desses!
Estão construindo um prédio ao lado do meu, o bate-estacas começa cedo, aquela barulheira danada, sem bem o que está passando…
Bjs

Luma Rosa disse...

Oi, Ana Paula!
Aprendemos sempre com as crianças que conseguem abstrair do momento aquilo que lhes são mais interessante. E você, uma bela observadora!! :)
Boa semana!!
Beijus,

Amara Mourige disse...

Ana Paula, como é bom ver criança brincando com um montão de brinquedos esparramados pelo chão!Lembrei dos meus meninos pequenos!
Beijos
Amara

Luís Fellipe Alves disse...

Crianças vivem em um mundo realmente a parte, que por vezes nós, adultos, tentamos encontrar de novo, mas vemos grandes dificuldades em fazê-lo, porque a realidade já é bem mais pesada aos nossos olhos. (Mas podemos sim conseguir encontrar esse mundo, com um pouquinho de empenho)

Ah, Tina, nesse mundo aí de cima o bolinho sai quente daqui, chega aí tão rápido que não esfria e nem murcha no caminho. Tudo depende duma piscada de olhos. Deu vontade!

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, é um chavão super conhecido, mas: Vivendo e aprendendo... com as crianças!
Beijo,
Manoel

Thaís Nicolini disse...

Que lindo!

Laiz disse...

E viva infancia, capaz de viver um mundo só deles, tão sereno,tão mágico,coisa linda de ver! Bjoooo