quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Fim do Político Profissional


Foi num programa de rádio que eu ouvi que político não é profissão. Achei que o comentarista se equivocara, mas logo em seguida veio a explicação de ser um cargo representativo e não uma profissão.
Continuei achando "estranho", afinal eu cresci vendo políticos, eleição após eleição mantendo-se no poder.
E é justamente isso o que está errado em nossa política, é esse modelo que permite, colabora, com a corrupção.

À caminho do segundo turno para Presidente da República, uns estão na torcida por seu candidato, outros desacreditados. Independente do eleito ou eleita ser do nosso gosto, podemos, especialmente nestes tempos de internet, ter uma participação mais expressiva, além das urnas.
Deixo a sugestão para os que quiserem aderir para o fim da reeleição no executivo e legislativo, conhecer o site Fim do Político Profissional, onde é possível baixar a ficha, imprimí-la e arrecadar assinaturas que serão encaminhadas aos nossos parlamentares. ( envie depois pelo correio )
É uma maneira de manter e reforçar a pressão para iniciarmos a reforma tão necessária em nossa política.

6 comentários:

Dra. Cristiane Marino disse...

Oi Ana Paula, concordo, político não é profissão.
Não conhecia esse movimento, vou visitar o site.
Bjs

✿ chica disse...

Não deveria mesmo ser profissão! Concordo! Vou ver o site! bjs, valeu o aviso! chica

JAN disse...

Muito interessante, Ana Paula!
Estou convencida e vou ver o site.

Abração
Jan

Selma Helena. disse...

Oi Ana!
Menina amei seu post e concordo muito com você! Vou olhar o site e tentar colaborar.

Beijos!!!

Calu B. disse...

Tô indo lá,Ana.Sou totalmente a favor do fim destes descalabros do sistema político brasileiro que ferem de morte a democracia, a ética e a lisura na esfera pública.
Nenhum dos candidatos que aí estão e os que estiveram, são minhas escolhas, porém me acho na obrigação de contribuir para que a democracia se solidifique no país e de preferência em bases muuuito melhores do as que vivenciamos até agora.

O Brasil precisa de inúmeras reformas urgentes e a da política cabeça a lista.
Bjos e obrigada pela dica.
Calu

Tina Bau Couto disse...

Interessante
Vou compartilhar