quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Verbo revelar

Ah! Há quanto tempo eu não tinha a sensação maravilhosa de segurar essa tira de papel nas mãos!


É a tira do verbo revelar.
Isso mesmo. Não estou equivocada. Eu revelei fotos!
Nesses nossos tempos em que o verbo mudou para "imprimir" fotos, ou, deixou completamente de ser conjugado para apenas mostrar no celular, nas redes sociais nossas fotos, eu resgatei sensações do passado.
Primeiro foi uma dificuldade imensa encontrar um local para revelar e não imprimir fotos.
Desloquei-me dia desses até um bairro oriental lá para as bandas de São Paulo e me entristece ao ver que a imensa loja de esquina havia fechado. Portas metálicas abaixadas e pichadas.

Máquinas de imprimir fotos de maneira instantânea, ainda encontra-se com certa facilidade.
Mas não era isso que eu buscava. Queria um papel fotográfico específico, queria uma beleza, cores diferentes das instantâneas.
E quase saltitei quando encontrei.
"Mas, vai demorar dois dias. Tudo bem?"

Tudo bem, tudo ótimo! Essa ansiedade da espera, de saber se ficarão boas, de abrir o envelope...


Consegui ainda me conter e não abrir o envelope pelo caminho!
Esperei chegar em casa e tranquilamente desfrutei da magia da fotografia.
Foi apenas um teste com poucas fotos, que era para ver mesmo se a qualidade e as emoções eram as mesmas do passado!
Agora já estamos planejando fotos para um álbum.


E por falar em fotografia...
Sábado agora, dia 5 de setembro, tem varal coletivo para pendurar uma foto sua da infância.
Revira as gavetas, os álbuns, escolhe uma foto, tira foto da foto e vem participar!
É só postar e contar pra gente!
Deixa o link aqui ou lá na Tina.

E já tem gente escolhendo. Eu tive um pedacinho da infância de alguém lá no instagram ( né Pandora?! ). E estou curiosa para saber se uma tal joaninha já era toda pintadinha!
Se apure que dá tempo! Será um varal bem divertido!


9 comentários:

Tina Bau Couto disse...

E não é que esse mês vive isso também
Uma de nossas muitas sintonias

Meu pai me deu amissão de revelar um filme cheio de fotos dentro para ele
Não estavam boas as fotos, mas adorei levar o filme, receber a tira, esperar
Abrir assim que peguei o pacote (muito eu, abro até exames que não sei o que dizem)

Sua fotos estão muito, muito, muito lindas
Os modelos ajudam é bem verdade
Projeto álbum em prática então
O meu post de sábado já no forno
E estou cheia vontade de ver fotos e saber de histórias

Ah!
Como vc guarda seus filmes já revelados?
Tenho tantos, achoque vou fotografar para postar

Poesia do Bem disse...

Magia pura. E aqui tbm por vezes tenho a sensação d evoltar no tempo quando vou revelar no laboratório. Vc conhece os sites que revelam pela internet a preço muito bom? tem sempre promoção, já revelei com eles e a qualidade é a mesma se chama Nicephotos.
Vou já agendar a minha participação em foto de infãncia, pena tinham poucas , mas marcantes. Bjs e vem me visitar, estou lá em Portugal hehehe

Ana Paula disse...

Pois é Tina, sou completamente relapsa em relação a isso.
Nunca me preocupei em guardar os negativos. Quando resolvi fazê-lo, errei de uma forma horrível: recortei os que achava melhores e depois soube que a "máquina" que os revela não aceitava pedacinhos :(
Guardei ainda várias tiras mas elas emboloraram e já nào servem.
Li num blogue que há pastas especiais para guardar negativos.
Mesmo com as fotos digitais não tenho o cuidado que merecem ou seja salvar num pen drive, alguma plataforma digital.
Mas sua pergunta me suscita a vontade de melhorar e organizar melhor tudo isso.
Bj!

✿ chica disse...

Nooooossa, que legal! Uma bela volta ao passado. mas não tenho mais máquinas das antigas, pois sempre usei as descartáveis, daquelas que levava pra revelar e deixava lá tudo. Era tri legal, mas muito caro,rs... Tantas vezes ,após viagens, tinha que esperar um tempo pra ver todas. Adorei tuas fotos e vê-las em papel é outra coisa! ADOREI! bjs, chica

mfc disse...

Percebo tão bem essa ansiedade, pois também passei por ela!
E de pois quando no-las entregavam era o tempo da maravilha!

Mi F. Colmán disse...

Caraca! Ainda existe isso de revelar fotos? Isso me remeteu ao filme A hora da estrela, na hora que o casal foi tirar foto, a máquina explodia! rs. Muito doido, mas também muito legal!
Ficaram lindas as tuas fotos!
Realmente, é preciso imprimir as fotos porque o risco de perdê-las deixando-as "digitais" é muito grande. Antes de imprimir salvo em vários pen drives (não confio em um só, tem uns que dão pau do nada).
Muito loucas as experiências que tu faz na vida Ana, gosto disso. :))))
Beijos e um ótimo fim de semana para ti!

Rivotril com Coca-Cola

Filha de José disse...

Ei Ana.

Trabalhando de vez em quando com fotografias, tenho o habito de revelar algumas fotos, quando os clientes pedem.

Daí pego esse papel para buscar as fotos depois.

Geralmente eu abro as fotos no meio do caminho. rs.

Minha mãe me cobra muito que eu revele fotos nossas também. De vez em quando revelo, faço um álbum e as pessoas mais antigas ficam felizes, sorriem quando veem as fotos... é legal isso.

Abraço pra vc.

Pandora disse...

A Tina me avisou desse post! Obrigado por me citar! Sim, esses foi um dos post que com o pré-post mais saboroso dos últimos tempos... remexer nas várias fotos provoca sempre aquela sensação agridoce sabe... Ah, e as fotos que foram reveladas, todas lindas, tão poetisas!

Carmem Grinheiro disse...

Talvez seja uma eterna nostálgica, mas essas fotos de papel tinham/têm um quê especial.
Curioso que também a mim, de vez em quando, passa pela cabeça de ir colocar minha velha Kodak a trabalhar kkkkkk
Seus filhotes ficaram super bem nas fotografias ;)