quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Lembranças

Estou lá no cantinho da Nina, longe, longe... na Alemanha escrevendo como eu gostaria que meus filhos se lembrassem de mim. 
Tão longe e tão perto. Obrigada Nina por compartilhar uma ideia tão agradável!
Clique aqui para ler.
beijo

9 comentários:

✿ chica disse...

Já te li e aplaudi!Foste demais!! beijos às duas,chica

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula(comentário repetido no blog da Nina)
Para não fazer um "estardalhaço" aqui, resolví ser bem comedido no meu comentário, rs...rs.
Ana eu achei espetacular o seu talento. A gente vai lendo, vai viajando na vida e vai sentindo o carinho maternal. Imagine o Bernardo lendo isso, daqui à 100 anos mais ou menos. Emocionaria até um pedaço de gêlo, não acha?
Muito maravilhoso esse carinho que tem no seu coração
Beijo
Manoel

.maysa. disse...

Olá Ana Paula!
Fui lá te ver no blog amigo, que lindo o poema!! Uma bela forma de seus filhos lembrarem de você né!

Gostei muito da postagem a baixo, quando eu tiver voltando para o Brasil eu que darei o tchau e lembrarei de ti. rs.

Sua filha é linda, o macarron combinou bem com ela e seu vestidinho.
Eu também sempre compro macarrons do japones hauhauha claro tô no Japão... ;P

beeeeijos

Nina disse...

Aninha querida, magiiiiina, eu que agradeco ter aquela beleza de poema pra enfeitar pra sempre o meu bloguinho :-)

Beijao!

Mariacininha disse...

Será que meus filhos poderiam lembrar assim de mim também? Posso ser sua companheira neste desejo?
Adorei Ana.
Obrigado pelos comentários, vindo de você só me envaidece.

Beijos

Tina Bau Couto disse...

Li e lá escrevi:
Lindo poema!
Linda é Ana e seus filhos e o que deles tenho guardado em minha arca.
Lindas e valiosas as arcas que nosso pais, nosso filhos, avós, irmão...deixam em nós.
Lindos e valiosos cada objeto, palavra, poesia que cada um deixa em nossas arcas.
Ter olhos de ver e coração de sentir.
Guardar, abrir, explorar nossas arcas, é viver.

Ivani disse...

Fui lá e voltei comovida, emocionada pra valer!
Lindo poema, me lembrou (de alguma maneira que não sei explicar) algum poema do Marcilio.
Ele coloca a alma quando escreve sobre a mãe, e voce fez o caminho contrário.
Sempre me emociono quando o assunto é esse, porque penso na minha mãe, e nos meus filhos.
É uma confusão de sentimentos, que só quem ama sabe entender.
Lindo Ana, parabéns, beijos.

lis disse...

Oi AnaPaula
Belo muito belo o poema e esse amor doce que tanto nos comove e agasalha o peito.
Voce e seu grande dom na escrita.
parabéns
te deixo abraços

Kellen Bittencourt disse...

Ana estive lá conferindo, muito lindo, emocionante mesmo, que Deus abençoe esse dom que vc tem de traduzir em palavras sentimentos tão doces! Parabéns! bjoooss