segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Balões que flutuam


Pediu que amarrasse 
em seu punho
E ele o fez com delicadeza

Tirou os sapatos
para ser leve
como o balão

Correu inspirando ofegante
a brisa
o mar
a areia

Não se soube 
se velha 
ou criança era

Era somente leve
Podia flutuar
ana paula

Ah! Como eu queria ser a protagonista deste poema.
Nunca tive um balão de gás daqueles que se amarra nas mãos.
E só agora quando fico sabendo da notícia da escassez mundial de gás hélio, que é mais leve que o ar, é que me vem a vontade imensa de ter um balão, ou de ter tido um balão.


Não quero pensar seriamente no gás hélio.
Não quero saber por hoje.
Quero ter a imagem, o desejo.
Pediria ao bom velhinho, sem me preocupar se seu saco enorme de presentes iria também flutuar...


Quero um assim!

Sonhar é bom.
Mas agora a realidade me espera. Vou lavar louça.
Assim:


E breve, muito breve, terei um balão.
E com ele bem amarrado em minha mão, vou procurar um tocador de realejo.
Porque não importa a forma que o corpo tem agora: criança ou velho.
Há coisas que são para sempre em qualquer linha do tempo da existência.


14 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo,Ana Paula...Quem não gostaria de um? Hoje gostaria de um que me levasse até as praias mais bonitas que tenho perto de mim e tão longe...Com o calorão que está fazendo, seria uma ótima me deliciar em águas azuis, nadas ,chutar ondas e.... ploft!!!

Hei, chica! O balão estourou, o sonho acabou! Volta pro teu forno de P.Alegre e sossega o pito,srrs beijos,chica

#*Marly Bastos*# disse...

bem... Imaginação é quase tudo, então imagina as bolhas de sabão da louça suja sendo balão de gás Hélio. E ainda pode pensar que os balões do avental sejam verdadeiros e que vão te levar para além pia...
Muito linda sua maneira de poetizar seus desejos.
bjks doces Ana!

Anne Lieri disse...

Ana,eu adorei sua poesia e seu texto!Como é bom se permitir voltar a ser criança e sonhar!Os sonhos podem se tornar realidade!Eu amei!bjs e boa semana!

Tina Bau Couto disse...

Eu sempre fui fascinada por esses balões, pensava até em uma festa com balões cheios de gás hélio fazendo um céu de balões no teto, não sabia que esse gás estava escasso.
Não lembro ao certo, mas acho que sim, já tive um balão desses, eu sempre tive na verdade foi medo de balões de ar, um horror a eles estourarem na minha mão, encher nem pensar.
Ai! Ai!
Há mesmo coisas, muitas coisas que são para sempre.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, isso está dentro de você e só você terá o poder de realizar. Para que aconteça você terá que encarar isso como se fosse um lavar louças.
Compre um balãozinho com gás na praça da República, vá até o edifício Itália, pegue o elevador até o último andar. Chegando lá, amarre o balão no seu pulso, se aproxime do gradil, suba nele e pule. O balão deverá mantê-la flutuante. Se não acontecer, vá até o PROCON e reclame do vendedor de balões da praça.
O importante é que não desista nunca do voo e quando conseguir venha voando até Taubaté. Deixarei o pipoqueiro de sobreaviso e todos os personagens de Monteiro Lobato irão comemorar seu objetivo maior.

Deixando a brincadeira de lado, adorei a sua postagem e confesso que essa vontade que você teve e tem, eu também tenho. A diferença nossa é que você está acreditando na história do gás hélio e eu estou achando que é algum jogo de interesses.

Adoro ler suas postagens repletas de imaginação.
Beijo
Manoel

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Ana!

Que poema lindo! Leve como um sonho...

E eu desejo que você realize seu sonho em ter um balão. E com ele toda a doçura e inocência dos tempos de criança sejam revividas, marcando com amor e ternura a esperança de um futuro eternamente mágico.

Beijos!!!!!

Selma.

.maysa. disse...

Oi Ana Paula!
Isso fez me lembrar de um epsódio da minha infância...

Passeando pelo shopping (pela primeira vez na vida) vi um monte de balões, de várias formas e cores. Também vi bastante crianças com um balãozinho flutuando ao seu lado.
Fiquei encantada com aquilo... E como desejava um daqueles...

Pedi para minha mãe já sabendo que não ia ganhar...
E por inclivel que se parece eu carrego essa vontade até hoje...
Agora em todas as vezes em que saímos com nossa filha e encontro esses tipos de balões faço questão de comprar um para ela, e fico imaginado o encanto que deve ser estar carregando um balão... rs

Ai ai fico nostalgica aqui nesse blog! hehehe

Beeeeijos

Ana Virgínia disse...

Que lindeza seu escrito.

Eu também amo esses balões.

Também tenho vontade de ser levada por eles.

Como sou muito magrinha, já pensei em ser carregada mesmo... talvez amarrar vários deles e deixar que eles me carreguem a alguns metros do chão.

rs

bjo

Ana Virgínia
filhadejose.blogspot.com

Li disse...

Que lindo!!!
Também quero um balão que me faça flutuar e alcançar todos os meus sonhos...
Amei!!!

Beijos e obrigada pelo carinho lá no blog!

Lívia.

Ivani disse...

Oi Ana, pelo amor de Deus, não faça o que o Manuel disse!
Voce não vai flutuar, acredite! rsrsrs
Que delicia de texto esse seu, muito inspirado, deliciosos.
Todos temos vontade de voar para algo meio impossivel, diferente.
Hoje eu voaria para o passado, bem pertinho de meu pai, sentava-me em uma cadeira ao seu lado e ouviria suas historias.
Hoje seria aniversário dele, e meu coração está cheinho de saudade.
É a vida...deliciosa mas com uma certa nostalgia.
Se ganhar aquele balão grandão me leva com voce, certo? Mas não de cima do edificio Itália, tá louco?
beijos querida, um bom dia!

Kellen Bittencourt disse...

Oii Ana, que lindo, uma vez ganhei um balão desses qdo estava em um barzinho, um pretendente comprou no interior do Shopping e mandou o garçom entregar, amarrei na cadeira da mesa e virei atração no barzinho rsrsr adorei recordar! Bjoooss

Chris Ferreira disse...

OI Ana Paula, lindo o poema e eu também queria ser protagonista dele.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Vera Lúcia disse...


Olá Ana Paula,

Que coisa mais linda este poema e o seu sonho de ter uma balão de gás.
Já tive um, mas morria de medo dele me levar para o alto (rsrsrs).
Não há limite de tempo para a realização de sonhos, por mais infantis que eles possam parecer. O importante é sentir o sabor de sua concretização. "Bora lá" comprar este balão e sorrir juntamente com a criança que habita em você.

Beijo.

Flávia Brito disse...

Liiiiindo o seu blog. Gostei mesmooo das coisas que você escreve. Adoro balões, trazem muitas lembranças. Estamos te seguindo para não perder nenhuma novidade. bjs!!