quinta-feira, 2 de maio de 2013

Sem Dia das Mães

Com o início do mês do maio começo a ler as manifestações de homenagens ao Dia das Mães.
Queria muito escrever sobre esta data um tanto ou totalmente comercial, lucrativa, consumidora... sim, também. Mas também poética, com os abraços, a dedicação materna.
Queria algo diferente: encontrar aquele poema belíssimo que fala que as mães não deveriam nunca partir, já devia ser lei.
Falar das mães que estão partindo. Triste demais.
Falar do amor incondicional, nem precisa.
Então hoje, pontualmente às 12h, eu soube o que escrever:

EU NÃO MEREÇO UM DIA DAS MÃES

Meu filho, hoje foi para um passeio com a escola. Passeio este que me deixou tanto ou mais empolgada que ele! Conhecer a redação do Jornal Folha de S. Paulo.
Organizamos tudo o que precisava ser levado na véspera. Pela manhã, saí com eles. Sensação estranha estar com os dois no mesmo horário! É que a menina estuda pela manhã e o garoto vai à tarde para a escola. Nunca estão juntos.
Mas hoje, por causa do passeio saímos os quatro juntos ( incluindo o cachorro ).
Deixei ambos, desejei bom passeio ao mais velho, boa aula à caçula e retornei à escola ao meio-dia para buscá-la.
Quando estou entrando, sou chamada pelo porteiro:
 - O Bernardo foi no passeio?
 - Ah! Sim, foi. Bom, em casa ele não está!
Quis dar uma de engraçadinha.
 -É melhor a senhora descer para a secretaria porque quando o Bernardo chegou o ônibus já havia saído.

Senti uma bergamota, mexirica, tangerina, mimosa, fuxiqueira, mandarina, qualquer dessas com casca e tudo entalar na minha garganta.
Como assim? Perdeu o ônibus?
A saída para o passeio não era às 7h e 30min?



Era às 7.

Encontrei uma professora no corredor que me tranquilizou:
 - Ainda estamos em maio e você já está trocando todos os horários?! Fique tranquila, a diretora o levou de carro para encontrar com o ônibus.

Tranquila eu estou, porém derretendo de vergonha.
Nem sei se terei coragem de aparecer lá às 17h30 para buscá-lo. Melhor seria esquecer o menino na escola... 
Eu realmente não mereço nenhuma homenagem. Não irei na festinha da escola. Não quero que gastem sequer cinco centavos com presentes.
Ouvi de minha filha: " Coitado do Bernardo, tinha tantos planos para ir sentado no meio do ônibus na janelinha... deve ter ido em pé lá frente com algum professor".
Caí no choro.
Mas pensando bem, talvez eu queira sim um presente. Óculos me cairiam bem.

18 comentários:

✿ chica disse...

rssssssssssssss....Coitadinho do Bernardo, digo daqui pra aumentar tua dor de consciência,rs. Mas acontece!! Estavas cheia de boas intenções! Nem sempre acertamos, por isso, somos humanas! beijos,boa cara de pau por lá! Passa óleo de peroba anted das 17.30 hs...

chica

Poesia do Bem disse...


Isso já aconteceu comigo.oh tristeza a gente se culpa, se sente impotente.Eu esquecia reunião de pais, e nas outras nunca pude ir.Como pode uma mãe e ainda por cima professora não ir na reunião de pais d afilha.Definitivamente eu também não mereço nada no dia das mães.Saudadessssssssssssssssssssss

Anônimo disse...

kkkkkkkkkk
É, Ana Paula, talvez óculos lhe fizessem bem ;-)
Mas, fica fria... o Bernardo deve estar se sentindo deveras importante por ter ido com a Diretora.

Abração
Jan

Anônimo disse...

kkkkkkkkkk
É, Ana Paula, talvez óculos lhe fizessem bem ;-)
Mas, fica fria... o Bernardo deve estar se sentindo deveras importante por ter ido com a Diretora.

Abração
Jan

SANTA CRUZ DIÁCONO GOMES disse...

Ana Paula. Em primeiro Lugar dia da mãe para mim é todos os dias, o filho ir ao Passeio da escola ou visita de estudo como nós dizemos. também é bom. mãe esta sempre a sofrer pelos filhos.
Beijos
Santa Cruz

Tina Bau Couto disse...

Eu te compreendo.
Todo mundo compreende as pessoas que tem empregos estressantes seja pela carga horária, serviço, baixa remuneração, por lidar com pessoas. Mães donas de casa tem um serviço que inclui tudo isso.

E não poderia o Sr. Bernardo que já sabe ler ter lido e memorizado e chamado a atenção para o passeio dele?
Não poderia a professora zelosa escrever no diário de ontem atenção para saída do ônibus, tal hora, pois tem pais que não estão acostumados a lidar com dois filhos no mesmo horário para ir a escola, ou um que seja, fora da rotina diária?

Quanto aos mães que estão partindo, a minha vó, mãe de minha mãe segue em tom de despedida, e nos perguntamos se irá ela, uma Maria, partir no mês de Maria, no mesmo mesmo em que o amado dela e nosso partiu?

E as mães, como uma que conheço, que perderam os filhos recentemente, não que ador das que os perdeu a tempos seja menor, mas já mais calejado o coração.
Que dia triste terão!

Comércio, comportamentos assumidos por filhos que educamos e o mundo deseduca, de um domingo em que se comemora o dia de alguém que sentimos falta quando nos falta, quando o café já não é mais nos servido, a roupa lavada e passada, o colo não nos suporta, a distância aumenta, desde a não morar sob o mesmo teto a morar em planos diferentes.

Eu te confesso que tenho em meu pai uma mãe, mais do que em minha mãe e ainda assim a tenho como Sagrada.

Diz ao Bernardo que ele foi o único levado pela diretora e que ter tido essa oportunidade foi melhor do que não ter ido, ver o lado bom é sempre uma lição. Passeios na janela no meio da galera vão ter outros, no carro da diretora talvez não :)

* Quero saber das resenhas desse passeio, queria ter ido tb.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, isso acontece e o filho acaba acostumando com o esquema da mãe e dá uma cobertura no cronograma de compromissos, kkk!
Nunca me esqueço do dia em que minha mãe me "perdeu" nas lojas Mappin, em frente ao teatro municipal. A loja era um monstro de grande e eu tinha 7 anos. Quando percebi que não a encontrava e sabendo o quanto "estabanada" ela era, tratei de me cuidar e fui alí perto do Mappin, na rua dos Bancos (Rua XV de Novembro) onde um tio meu trabalhava. Fiquei com ele lá até cair a ficha de minha mãe que eu poderia estar lá com o irmão dela.
Ela ficou apavoradíssima e eu até me diverti, kkk!
Beijo
Manoel

Moro em um Kinder Ovo disse...

Acho que cheguei tarde porque queria ter sugerido que comprasse óculos escuros. E que é melhor partir logo para o ataque dizendo "poxa Bernardo, como você não sabia o horário do passeio??" e assim por diante. Na volta para casa, pare no lugar preferido dele e ouça, com toda a atenção do mundo, as histórias que ele tem para contar.

Alê Biet disse...

Poxa, Ana! Não acredito que vc fez isso!
Que mãe desnaturada vc é, se eu fosse sua filha não compraria nada para vc!
Sabe porq eu não lhe daria nem um beijo sequer?
Essa Ana que relatou a saga do passeio de Bernardo sofrem com que hoje em dia é chamado de "patrulha social", ou seja, quando a própria sociedade, no caso a propria mãe aponta o dedo e qualifica quem são mães boas ou ruins. Eu não conheço essa Ana! Porq essa não é a mãe do Bernardo e da Júlia, uma mãe que faz poemas para os filhos, que recita para eles Manoel de Barros e sei lá quantos outros poetas foram apresenta para eles por vc. Mãe que brinca que leva na escola que registra cada momento dos seus lindos rebentos. Mãe que milhões de crianças queriam ter .
Quem de nós nunca errou um data ou um horário que atire a primeira pedra. Caso contrario beijos de carinho serão jogados a essa mãe linda e maravilhosa!
Não se cobre tanto!
Tire os óculos e mostra a cara! rsrsrs

Beijos!

Flávia Brito disse...

Ahhhhhhhhh gente imagina se por isso vc não mereceria uma homenagem no dias das mães, fala sério! Acontece com qualquer um(a). Claro que a gente fica com o coração na mão com esses deslizes, mas não é nada demais. Beijos!

Alê Lemos disse...

Ah "DEIXA DE CULETE ANA!" (COMO DIRIA A PANDORA) claro que merece dia das mães sim. Pode deixar que na adolescencia seu filho vai fazer vc pagar pelo q feze o q nem sonhou em fazer kkkkkk. Vc é uma ótima mãe, só um pouco distraída as vezes.

Majoli disse...

Ah Ana Paula, isso é coisa que acontece.
Mas essa sensação, tão bem descrita, de tudo que tem casca entalado na garganta...já senti.
Mas com certeza o Bernardo aproveitou o passeio e na volta veio, junto aos amigos, no ônibus.

E tu merece homenagem no dia das mães SIM!!
Com certeza existem incontáveis coisas boas que já fizestes para os teus filhos...larga disso, viu?
grrrrrrrrrr

rsrs

Beijos com carinho.

Dama de Cinzas disse...

Não sou mãe, mas percebo que tem muita culpa envolvida nesse negócio de ser mãe. Filhos também sentem essa culpa, mas quando os pais estão mais velhos e eles adultos.

Não seja tão cruel consigo mesma, pense que você não fez de propósito, todos nós erramos, inclusive as mães...

Beijocas

Carolina Lima disse...

Preocupa não, Ana!
Isso acontece com as melhores mães.

Lembro que nas festinhas escolares sempre chegávamos atrasadas. Até hoje não sei como minha mãe dava conta dos horários de 3 filhas pequenas. Certa vez partimos para mais uma comemoração da escola. Minha mãe toda satisfeita ao ver que a escola ainda estava vazia. Ele trocou os horários. A festa seria a noite e não pela manhã...

beijinhos :*
Carol
Um blog simples
Facebook

Marcilane Santos disse...

Eu concordo com a Alê Biet, você é uma mãe maravilhosa e não se deve cobrar desse jeito por conta de um atrasinho desses!
Beijos no coração!

EdeEtienne disse...

Ana, você veja bem... são quatro horas da manhã e eu aqui, rindo, rindo... rsrrs. Aliás, toda vez que vocês lembrarem desta história, isto vai acontecer!!! História de mãe e filho! Espero que ele tenha adorado o passeio! Bjs.

VERINHA TIBURSKI disse...

Nossa Ana, não se culpe
Ser uma mãe horrível é abandonar a sua filha de seis anos na casa da avó dizendo que te buscava mais tarde e só aparecer novamente quando sua filha tem uma filha com dois ano. Não... amiga vejo quanto amor você demonstra com seus pimpolhos lindos, acontece com as melhores mães pode ter certeza. Na verdade achei divertido seu post, tadinha de você com um coração culpado porem cheio de amor.
Beijinhos.

Rovênia disse...

Amiga, não se cobre tanto! Ele foi ao passeio, se divertiu e pronto! Vc é uma mãezona tão grande, que consigo ver daqui! :)
Estou lendo os atrasados ... aos pouquinhos!