domingo, 22 de setembro de 2013

Domingo pode?

Domingo pode passarinho cantar?

No início desta semana já era possível perceber a aproximação da primavera.
O sol já faz contornos diferentes ao re

dor da casa e o escuro que havia na janela do quarto de dormir, deu licença para um clarão que adentra as frestas e anuncia o amanhecer de tempos mais quentes.
Anúncio este feito em cores e também melodias de passarinhos.
A passarinhada está assanhada. As pessoas estão irritadas.

No mesmo início da semana, foi publicado uma matéria no jornal falando do sabiá-laranjeira, o cantador oficial da nova estação, e foi surpreendente o que aconteceu depois: redes sociais, programas de tv, telejornais mostraram o ódio dos paulistanos ( generalizo, mas claro há exceções e muitas ) para com os passarinhos.
Fico feliz de viver numa época em que cidadãos urbanos não têm destreza nenhuma no manuseio de budoques, ou como eu conhecia na infância, estilingues.

Não se trata de querer que todos os paulistanos amem os passarinhos, mas foi uma reação, na minha opinião tão desmedida que talvez mostre o quanto nos distanciamos da natureza externa e interna em nós.
Até as conversas de elevador, mudaram do se chove ou que calor, para o ataque aos pássaros.
E me pergunto se essas pessoas falam porque a maioria está falando, se pensam no que pronunciam ou escrevem, por exemplo: "Impossível, insuportável dormir em Higienópolis".
Higienópolis é um bairro nobre. Essa pessoa então aceitaria ir dormir em Ferraz de Vasconcelos, periferia onde há funk pancadão e tiros?

Outra atitude que é de difícil compreensão, estamos em campanha para uma cidade mais verde, porque como disse uma amiga turista pernambucana, até as árvores tem um verde cinzento em São Paulo.
Ela está certa. Tudo aqui é cinza, temo que haja concreto até nos corações...
Então vem um feriado e as estradas se entopem porque precisamos relaxar, ir para o verde, ouvir passarinhos, ter contato com a natureza.

No mesmo jornal, só que no final da semana, publicou-se locais no litoral onde é possível ver e apreciar passarinhos. Valores para todos os bolsos.
Por que na cidade irrita e ficar parado quatro ou mais horas para descer a serra e pagar para ouvir passarinhos não irrita?

Marido acha que a qualidade do sono das pessoas está péssima, o que se reflete em irritação.

Traga a nova estação aconchego nas palavras e no coração, aproximação com a natureza da qual nunca deveríamos ter nos afastado.
Hoje também é o Dia Mundial Sem Carro. Reflexões sobre mobilidade urbana são urgentes.

Trago uma curiosidade, uma pergunta e poesia.

Uma espécie de pássaro que constrói moradia para mais de 100 indivíduos.
Os ninhos são tão complexos que podem ser mais resistentes que uma árvore.
Foto de Dillon Marsh


Gostaria de saber como é aí na sua cidade a relação ser humano/ passarinho.
Da Chica já sei que são os passarinhos que pedem para ela não acordá-los!

E, seja sincero, você se incomoda com a passarada?

Poesia pra combinar com as árvores, com a primavera com a pesquisa da Universidade de Liverpool que constatou que poesia faz bem para o cérebro.


Gorjeios

Gorjeio é mais bonito do que canto porque nele se
inclui a sedução.
É quando a pássara está enamorada que ela gorjeia.
Ela se enfeita e bota novos meneios na voz.
Seria como perfumar-se a moça para ver o namorado.
É por isso que as árvores ficam loucas se estão gorjeadas.
É por isso que as árvores deliram.
Sob o efeito da sedução da pássara as árvores deliram.
E se orgulham de terem sido escolhidas para o concerto.
As flores dessas árvores depois nascerão mais perfumadas.

Manoel de Barros

21 comentários:

Grazi disse...

Ah...quase não escuto o canto dos pássaros, mas no meu trabalho vejo muitos entre os galhos das árvores, e adoramos observa-los! Li a postagem q vc fez sobre a irritação das pessoas com o canto dos pássaros nessa semana, e foi impossível não lembrar de vc, quando escutei o relato de uma Sra que exala stress nos poros, dizer que estava irritada pq os pássaros cantavam logo cedo no seu quintal, detalhe, ela mora perto de um bosque! Se nem o canto do pássaro acalma essa Sra, é só tomando "sossega leão" mesmo!!!
Bjcas e bom domingo!

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Ana!

Li seu post com sensação estranha, quase que um pesar no coração, por saber que há muita gente que não gosta nem de canto de passarinho e nem de planta alguma.

Não é só em São Paulo. E nem só com passarinho. Soube outro dia que mataram um camaleão perto da minha casa. Ele estava tomando sol quando e um dito cujo que passava pelo local o matou para que ele não " machucasse" ninguém. Fiquei tão triste e revoltada com a imbecilidade do sujeito que até vontade de armar confusão eu tive.

As pessoas estão sem paciencia, intolerantes, irritadas...

aqui onde moro tem um grupo de araras que passam em bando e fazem a maior festa pra lá e pra cá no meio da tarde.

Feliz quem pode ouvir canto de passarinho.

Desejo dias floridos, coloridos e cheios de esperança, assim como o canto dos pássaros.

Beijos,

Selma.

✿ chica disse...

Ana Paula, que pena que vemos essas coisas assim: pessoas que se irritam com os passarinhos, por exemplo. Por aqui, temos ipês e jacarandás de todas as cores e orma um lindo tapete. eu adoro,. saio fotografando. Precisas ver o que se escuta das de mal com a vida; Só faz sujeira essa árvore e coisas desse tipo. Eu fico quieta, uma, duas e depois, saio de perto pois a sujeira elas veriam de ONDE viria. Quando solto os cascos, sai da frente,rs


Beijos e fico feliz em acordar cedinho e poder desfrurtar do restinho de noite com eles cantando...

Obrigadão pelo carinho sempre e o Manoel de Barros, maravilha!! chica

Patricia disse...

Adoooooro canto de passarinho, seja na cidade, no campo, na praia.
Fico super feliz quando vejo aqui em SP uma árvore frutífiera cheia de periquitos nela. Acho lindo.
Esse povo anda precisando muito de amor, a gentileza acabou, a paciência acabou e estão perdendo o melhor da vida. Só lamento!
Em breve vamos comprar uma composteira caseira e o adubo que sobrar vamos arrumar uma pracinha aqui perto de casa.
bjs

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, fiquei sabendo dessa "paranoia" através de você. Por aqui, apesar de estarmos a 126Km de São Paulo, não se fala nisso. Eu moro ao lado do Museu de História Natural. O "quintal" do museu tem araras, periquitos, papagaios, bem-te-vis e outros que nem me lembro. Eu acho lindo quando eles "combinam" e saem voando em grupos. Passam uma alegria no nosso ambiente. Vem todos cantando e organizados. Vivem soltos por aqui. Por ai você pode imaginar a quantidade de árvores que temos por perto.
Nem vou me preocupar com quem reclama dessa pintura da natureza. Apenas aconselho o que você cita no texto. Morar em um local que toque direto o "pancadão" a noite e de dia a maravilha do barulho dos marteletes quebrando concreto e asfalto nas ruas.
Muito antigamente tinha um programa de MPB na Rádio Cultura de São Paulo que se chamava: Gosto não se discute.
Acho que é melhor eu entender isso dessa forma.
Beijo
Manoel

JAN disse...

Oi Ana Paula!
O canto dos pássaros não me irrita... me fazem muito bem.
Tenho "inquilinos" se aninhando por aqui... e cuido para as "futuras mamães" não sejam incomodadas.
Só não tenho o hábito de colocar ração, pois aí já seria aliciar... além de atrair ratos.
Aqui, em Curitiba, ainda há verde e eu moro longe do centro.
AAAhhh... quase esqueci... há um passarinho que come migalhas de ração no canil... e o cachorrão aceita numa boa ;-)

Não entendo essa nova implicância paulistana... se a "moda" pega... ;-)

Abração
Jan

Bruxa do 203 disse...

Acho lindo ouvir os pássaros cantando. Nunca acordei por causa deles. Gosto de conversar com pessoas que sabem identificar o tipo de passarinho que está cantando. Eu como "criança de cidade", não entendo do assunto!!

Flávia Brito disse...

É mesmo sem explicação essa relação das pessoas estressadas com os pássaros. Nunca vi acontecer tamanho paradoxo, mas espero que a solução de tanta irritação seja terapia e não extermínio em massa de pássaros. Enfim, que a primavera chegue colorida e quentinha para todos nós.

Beijos!!

Calu B. disse...

Ana,
tem exatos seis anos que eu, marido e família comemoramos a mudança pra cá neste bairro sossegado, aonde todas as manhãs, tardes e noites são embaladas por gorjeios, cantos e trinados de pássaros de muitos tamanhos e cores.
Nunca soube de algum revés contra os passarinhos aqui na cidade.Ao contrário, vejo em meio ao rebuliço da semana, pessoas apontando árvores onde descobrem passarinhos e até miquinhos em rebuliço.
Tenho bons cantores aqui no jardim e uns da espécie "noivinha" vêm beber água na tigela do Tchuco.

O poeta Manoel de Barros sabe como ninguém declarar a maravilha da vida/natureza.
Uma semana cheia de visitas passarinheiras por aí.
Bjos,
Calu

MANUEL GOMES disse...

Ana Hoje a quase todos os postes nos blogues são sobre a primavera, cá começou o tempo mais triste que é o outono mas ainda quente. Gostei mais um a falar da Primavera.
Beijos
Santa Cruz

Bia Hain disse...

Puxa, Ana, eu não vi essa reportagem, mas fique triste que tenha havido uma reação tão negativa em relação aos pássaros, pois como disse, atitude contraditória para quem diz buscar a natureza. Acho que a teoria do seu marido faz sentido, talvez culpa do sono mal dormido...
Eu adoro pássaros e fico capturando o som de cada um quando estou em casa. Sou feliz porque no condomínio onde moro há inúmeros deles. Como anda o coração desse povo, não?
Um abraço!

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Eu amo!!! O que mais gosto e fico esperando todo dia é o canto da saracura e da siriema! Pois perto de casa tem um rio com as saracuras e tem ao longe um pasto com as siriemas que gritam lá e eu escuto em casa toda feliz! Tenho no meu quintal alguns moradores fixos...uma curuira pequena que canta lindamente e alguns pardais com seus ninhos, enfim, se eu contar minha história com pássaros vai longe! Adorei seu pensamento e texto, parabéns Ana!
Beijos e te desejo uma semana produtiva e cheia de boas energias!
CamomilaRosa

Pandora disse...

Oia, essa pernambucana citada sou eu ou é impressão rsrs \o/ Enfim, como é paranoica a relação das pessoas com a cidade e seus males... Parece que as pessoas tem um grande adesivo no carra dizendo "Odeia ou deixe-a."... Como se incomodar com os pássaros?!?!? É louco!!! Quanto a mim adoro quando amanhece e posso escutar os pássaros que pousam na árvore que tem na casa do meu tio durante a noite e acordam pela manhã... Meu sonho é viver em um casa com um jardim para poder te-los próximos a mim!!!

Amara Mourige disse...

Ana, não sei como alguém pode se irritar com o canto de passarinho!
Adoro acordar com o bem-te-vi cantando na minha janela!
Ele canta todos os dias pela manhã e a tarde!O que me irrita é bate estaca,aqui em Niterói tem obra em todos os bairros!
Beijos
Amara

Dama de Cinzas disse...

Eu moro na rua que trabalho. Aqui no meu apartamento volta e meia vem um e fica na grade, acho lindo. Bem como na janela do meu trabalho tem sempre um, acho que é o mesmo passarinho, que todos os dias vai dar bom dia para a gente e todos amam!

Beijocas

Tina Bau Couto disse...

Eu li ontem seus escritos, ai pensei em responder, mas no calor do momento a resposta ia ficar maior que o post (não ficou muito diferente)

Ruminei, cisquei, despassarei, passarinhei e eis-me aqui...

Verbalizei por lá sobre essa repudia sintomática e escalafobética que me alcançou antes do noticiário e matéria no jornal.

Li como te contei e contei lá, Martha "falar" sem cerimônia e com desculpas no final, sobre não gostar de cantos e nem mesmo estampas de pássaros. Fez-se menor ela para mim através daquelas linha e entrelinhas.

Cantos de sabiás, resmungos de periquitos, chamados de bem te vis, gritos de gaviões (5 circulam por minha varanda e as vezes pousa um ou outro na cx do ar condicionado....loucos chamariam a defesa civil...rararara)....canto de um ou sinfonia de bandos, pintospiando, gatos miando, até cães latindo (que para mim são um incomodo maior) não me fariam praguejar, somos tão mais barulhentos para eles, se razoavelmente formos pensar.

Sobre um dos comentários, a história do camaleão assassinado, me chocou.
Meu programa de domingo da infância era ir a Praça da Piedade no centro da cidade ver camaleões, aos montes, com seu encanto e poder de se adaptar, transformam, desfilando charmosos, camuflados e para nós uma busca como a de onde está Wally.

Perigoso, é esse homem e tantos outros.
Vaias as 5 da matina com Chica batendo tampas em panelas para quem reclama de canto de passarinhos e acha camaleões perigosos.

Tina Bau Couto disse...

Voltei para mais um gorjeio :)

"Sentado sobre uma pedra no mais alto do rochedo aquele gavião se achava principal:
mais principal do que todos. Tem gente assim"
Manoel de Barros

Moro em um Kinder Ovo disse...

Ao lado do meu apartamento tenho uma área de preservação ambiental para chamar de minha. E eles vêm me visitar todos os dias. Quero muito uma chuva para a área ficar mais verdinha.

thalento arnônimo disse...

Sou Higienopolitano desde criança e amo os sabiás-laranjeira, desde que piem longe da minha janela.
Beijos.

Rita disse...

Querida como morei em sitios e fazendas, la vc já sabe, o canto dos pássaros até hj eu adoro ouvir, adoro acordar com o canto deles, mesmo na cidade hj, quando um famoso bem-te-vi canta perto da minha janela eu adoro pq acho que ele quer me ver já cedinho é curioso isso, mas quando alguém reclama nem sei o que pensar dessa gente...ruim né.....

Abraços
└──●► ¸.·*´¨) ¸.·*Rita!!

Luma Rosa disse...

Oi, Ana Paula!
Fechou o post com chave de ouro!
O povo anda estressado, heim?
Aqui também percebi que a primavera estava aproximando por causa dos passarinhos que debaixo da minha janela estão sugando as jabuticabas logo bem cedinho quando o dia começa a clarear, isso por volta das 5hs. Eles fazem a maior festa na mini árvore que tenho em vaso. Sei que não terei jabuticabas, pois as que estavam inchando, eles murcharam todas! Para mim, soa como música. Acordo com o cantar, mas durmo um pouquinho mais até as 6hs.
Feliz primavera!!
Beijus,