quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

8/52


Não coube na fotografia as quatro grandes avenidas que circundam o pequeno canteiro.
Não coube as pessoas, em sua maioria, solitárias em seus carros.
A poluição no ar, a sonora, a irritação no trânsito, os poucos sorrisos dos que passam a pé, o lixo que está nas ruas... Tudo isso não coube.
Coube a insistência da Natureza em se transbordar em delicadezas para amaciar o viver.

8 comentários:

✿ chica disse...

E que bom que pelo menos ela coube e nos dá essa deliciosa sensação de leveza!

LINDA!! bjs, chica

Tina Bau Couto disse...

Sempre cabe!
Que ela siga insistindo e nós ajudando, agradecendo, curtindo as flores no asfalto, matinhos nas calçadas, passarinhos nos postes , janelas, borboletas passantes, lagartas nos troncos, cães e gatos...
Lindo retrato e lindo recado :)

Selma Helena. disse...

Ô Ana...
coisa linda o seu olhar sobre o simples, sobre a beleza do que é natural, do que é natureza.
Assim como linda é a lição que podemos tirar da sua mensagem de delicadeza e otimismo.
A esperança nunca deixa de tentar acontecer.
Cada vez mais apaixonada pelo seu projeto.
Beijos!

Cristiane Marino disse...

Quanta poesia em seu olhar e suas palavras!
Bom final de semana
Bjs

Calu B. disse...

Que dádiva que "ela" coube, a resiliente e sempre pujante Natureza, oferecendo dadivosa suas inigualáveis criações; somente olhos ternos e atenciosos serão capazes de se encantar...como "os teus olhos castanhos,de encantos tamanhos", Ana(lembrando o fado que minha avó adorava cantar pela casa).

Bjos,
Calu

Rovênia disse...

Olá! Um dia desses estava lendo um texto que falava sobre observação. Detalhes do mundo, da natureza, só existem porque há pessoas capazes de percebê-las. Não fosse a sensibilidade, a realidade descrita por vc e magicamente revelada na foto não existiria. Um ótimo fim de semana, Ana! :)

Pandora disse...

A Natureza ou seu olhar, não sei... mas de repente me sentir tocada...

manofernandes disse...

Ana Paula, isso mesmo...uma salva de palmas pela beleza da postagem.
Beijo!
Manoel - Blog do Óbvio