quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Esqisito

Está achando esqisito? Melhor ir refletindo porque a ortografia pode ficar ainda mais esqizita.
Vem aí a Reforma da Reforma.

Essa notícia, tomei conhecimento, assistindo a um telejornal e confesso que nem dei-lhe importância e achei-a até simpática ao ouvir o entrevisado dizendo que "estavam trabalhando em ajustes para facilitar a alfabetização e o domínio da escrita". Num país ainda com tantos analfabetos, soou-me bonito.

Porém, nesta semana eu li sobre esta reforma no jornal e aí...

Omem, aqilo, ezersísio, xave e caxorro - são apenas alguns exemplos.

Na internet as informações são desencontradas, é um tal de não é bem assim, não foi falado isso, que mais parece algo a estar sendo feito às escondidas.

O Professor titular de língua portuguesa da Universidade Federal da Bahia, Dante Lucchesi, num excelente artigo que pode ser lido aqui e do qual eu coloco alguns recortes, faz-nos refletir e a partir de nomes e sobrenomes buscarmos estar atentos para o que estar porvir.

"Em 2012, no entanto, a presidente Dilma prorrogou a transição para 1 de janeiro de 2016. Faltou a ela a devida avalizção. A sociedade já havia atacado e assimilado o acordo. Os livros didáticos, as editoras, a imprensa, todos já haviam adotado o novo sistema ortográfico. A decisão do governo não foi ao encontro do que a sociedade já havia ratificado e criou um vácuo em torno da ortografia vigente no país.
Esse vácuo talvez possa explicar a infeliz iniciativa do senador Cyro Miranda (PSDB-GO), presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, ao criar um grupo de trabalho com Ernani Pimentel e Pasquale Cipro Neto, propondo uma simplificação do sistema ortográfico brasileiro".
Dante Lucchesi

O artigo segue questionando o prejuízo que as gerações que forem alfabetizadas neste "novo"sistema ortográfico terão pois haverá grande dificuldade na leitura de obras do século 19.

Será que estamos exagerando e na verdade seria mesmo um facilitador essa reforma? Como se sentiram quando tiraram o ph da pharmacia para transformá-lo em farmácia?
Eu, reconheço a dificuldade da nossa ortografia, mas confesso que não quero essa simplificação. Gostaria sim de muitas formas de cultura acessíveis e que mostrasse a beleza e a riqueza da nossa língua.
Já está havendo uma simplificação em massa, por exemplo nas músicas, especialmente no funk.
"Nois vai e nois fica"e tantos outros "bagulho" com os quais muitos estão se expressando.

Eu sou contra essa reforma da reforma. Gostaria de saber a tua opinião.
Beijo!

16 comentários:

✿ chica disse...

Totalmente contra! Credo! Já anda uma barafunda nossa língua, mais essa? Por que não se preocupam, com algo de substância, que possa ACRESCENTAR à educação, por exemplo? É "dosi" pra "mamuti",rs

bjs,chica

Tina Bau Couto disse...

Sou veemente contra
Uma língua, escrita e falada é muito mais que um veículo de comunicação
Preguiça para argumentar contra essas aberrações, tristeza por serem consideradas, perplexidade por serem levadas a baila

Sonia Tolfo disse...

Não posso acreditar! Ao invés de procurarem fazer com que se aprenda a lingua culta cada vez mais agridem o nosso idioma e emburrecem os alunos.
Tomara que não consigam efetivar isso.
Abraço!
Sonia

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Acho um absurdo tudo isso!
Um grande abraço de
Verena e Bichinhos

Anne Lieri disse...

Ana, eu tb não gostei! Pra mim parece que é levar o analfabeto a acertar e não o certo ao analfabeto,não sei me expliquei bem...querem facilitar,mas vamos sair perdendo em minha opinião. Ótimo seu texto! bjs,

Rafaella disse...

Totalmente contra...
A língua portuguesa já não é das mais fáceis, isso ai só complicaria ainda mais tudo!
Que horror... as pessoas querem mexer em tudo né?!
Bjs

Roselia Bezerra disse...

Olá, queria Ana Paula
Ainda bem que me aposentei... santo Deus!!!
Ensinar errado???
Aprovar o absurdo?
O salário dos professores não mexem e a língua, tão linda, ficam a remexer...
Bjm fraterno

Sonia Tolfo disse...

Ana, voltei para dizer que adoro teus comentários e, de fato, procuro fazer da minha casa um ambiente acolhedor, alegre e divertido. Acho que estou conseguindo.
Abraço!
Sonia

Beth/Lilás disse...

Oi, Ana!
Menina, que é isso?
Sou totalmente contra, algo assim estarrecedor. Pelo que percebo ultimamente é que o governo ao invés de oferecer melhores condições para os professores e alunos, preferem diluir a coisa, oferecendo coisas reles, ensinando a coisa pelo modo errado.
E nós, ficaremos diante deles, como dinossauros idiotas, falando e escrevendo o português correto, mas chamados de manés por termos estudado e se esforçado mais?!
É só absurdo neste país!
um abraço carioca


Gracita disse...

Oi Ana Paula
Mais uma aberração! O que esses políticos querem? Acabar de vez com a nossa Língua Portuguesa. Será que a pretensão desses analfabetos é engrossar o cordão? Porque temos assistido uma gama elevada de analfabetos escolarizados. Não seria melhor FECHAR O SENADO? Assim podemos impedir que pessoas despreparadas usem do poder lhes cabe para fazer semelhante proposta e acabar de vez com a educação nesse nosso país.
Sou veemente CONTRA.
Beijos e um lindo final de semana

A Menina das Ideias disse...

Ana,estou chocada, tinham me dito que isso era notícia falsa e me parecia muito trash para ser verdade. Acho que já falei muito isso, mas acho uma vergonha cortar todas essas regras gramaticais para facilitar a alfabetização. É mais uma desculpa para não investir na educação. Espero que essa reforma não entre em vigor, aliais imagino que não deva entrar porque acabamos de fazer um acordo internacional para padronizar a língua. Vou cruzar os dedos aqui.

Luís Fellipe Alves disse...

Não concordo com essa reforma tão absurda sobre simplificação da língua. Mesmo que seja um caminho para facilitar, etc etc etc, seria uma verdadeira desconstrução da cultura linguística do país. Como você mesmo disse, Ana, já acontecem algumas mudanças naturais na língua, que são adaptações cotidianas. Não cabe a nós julgar o certo e errado da língua, mas por outro lado, cabe a nós proteger a formação, a história que há por trás disso tudo. Não existe a delimitação de certo ou errado, mas existe normal padrão e formas coloquiais. Já esse projeto descaracteriza cada palavra do vocabulário, tira qualquer beleza da língua. Não imaginaria Pasquale por trás disso. Até porque numa palestra sua que assisti há alguns anos, ele menosprezava, de certa forma, a reforma ortográfica.

Luma Rosa disse...

Oi, Ana Paula!
Já era contra a reforma ortográfica, agora estou contra a tal reforma da reforma. Deveriam deixar a língua evoluir naturalmente. Que esforço será a comunicação!
Beijus,

Clara Lucia disse...

Sou contra e espero não estar viva qdo isso realmente acontecer.
O que estão fazendo é obedecendo os que estão aprendendo agora. Tá difícil,aluno? Pera que vamos facilitar pra vc. Teria que ser o contrário, que o aluno tivesse o bom senso de aprender, de se esforçar, de estudar, enfim, como nos bons tempos.
Nem me fale nisso, Ana, me dá arrepios só de pensar.
Coisa de gente-sem-ter-o-que-fazer.
Beijos!!!

Moro em um Kinder Ovo disse...

Um absurdo e acredito que vai se tornar realidade porque os "omi" do governo não costumam dar atenção ao que o povo quer.

Anne Lieri disse...

Ana,voltei pra perguntar se me empresta essa cronica pra eu postar no meu blog? Coloco os creditos direitinho. bjs,