quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Jovens e alcoolizados


imagens Google

Estas imagens estavam salvas no meu computador desde o final do ano passado. Eu tinha idealizado fazer uma postagem próximo ao Natal; acabei desanimando pela baixa interação da época e até mesmo pela falta de tempo que deve ter me envolvido.
A ideia era escrever exatamente de acordo com as imagens - espumante para crianças, o que você acha.
Hoje não quero escrever sobre crianças e espumantes, mas sobre jovens e o álcool ( ou, no fundo, é a mesma coisa? ).

Motivada pela triste notícia de um jovem de 20 anos encontrado morto em uma festa dentro do campus da Universidade de São Paulo. Especificamente, motivada pelas lágrimas do pai do garoto, antes de saber do ocorrido, com aquela esperança que intimamente já não se encontrava com ele.

Não se sabe ainda sobre a causa da morte e nem é momento para especulações.
Quero falar de números. Cinco mil jovens estavam no local da festa, que mediante pagamento de convite, tinham direito a bebida à vontade. 
e foi este dado que me chamou a atenção: 40% desses jovens tiveram que ser atendidos na enfermaria do local; estavam passando mal de tanta bebida.

Não é preciso citar uma festa para ilustrar. Basta ver um grupo de jovens num mercado e observar o que eles compram. É clássico: um litro de vodca, energético e refrigerante. E sim, a funcionária do caixa segue rigorosamente a lei solicitando um documento de identificação, afinal é proibido vender bebida alcoólica para memores. E sim, é claro que num grupo de cinco ou seis, sempre há o habilitado a efetuar a compra.

Da onde vem o incentivo a beber tão cedo? Por que? O que se busca? O grupo, ser bacana, uma sensação?

Enquanto as perguntas se multiplicam, leio notícia de hoje ( 24/09 ) que o governo adia para 2015 o aumento de imposto para cervejas e refrigerantes. Não seria nada bom uma notícia dessas chegando a caminho da eleição. Não desceria redondo.

Você já viu uma propaganda mostrando um ( a ) jovem bêbado? No sentido literal, ou seja, vomitando, com baba na cara, no nariz, talvez as calças urinadas ou evacuadas, caído pelas ruas imundas?
Não, você não viu. O que você vê é idílico, é maravilhoso.
O dia é ensolarado e quente, piscina ou praia, garotos musculosos com um magricelas para fazer o papel do idiota que não bebe, e em abundância, garotas, muitas garotas com trajes diminutos.
É só alegria; é sinônimo de amigos, de festa, juventude.

Não se trata de não beber. Trata-se dos excessos.




13 comentários:

Anne Lieri disse...

Ana,um texto excelente que todos os pais e os jovens deveriam ler. Não entendo essa graça em beber até passar mal! Acham bonito beber e até tem musicas que falam sobre isso, incentivando...é triste demais! bjs,

Sonia Tolfo disse...

Em contrapartida,Ana Paula, há pais que se preocupam em não facilitar o consumo, explico: minha neta mais velha comemora seus 15 anos no próximo sábado. a maioria dos convidados é formada por coleguinhas e amigos dela, portanto na mesma faixa etária. Não haverá bebida alcoólica para eles, sómente drinques sem álcool.pode ser que as próximas gerações tenham mais consciência e que se façam mais ações para desestimular os jovens a beber. lamentável mais esse acontecimento.
Abraço!
Sonia

✿ chica disse...

Ana, a iniciar pelas fotos. Não sabia da existência desses espumantes para crianças. Um horror.

Passando ao tema, assustadores os números trazidos: 40% atendidos na enfermaria?

Aqui o que vemos é que antes das festas que iniciam depois da meia noite, vão na casa de um deles e fazem o que chamam de "aquecimento"...Ou seja, já saem de lá meio, meio...

E não vemos os pais presentes, impedindo isso! Ficamos de queixo caído ao ver essas coisas,não? Uma pena! Eles estragam seus melhores anos e levarão asa consequências ao futuro... bjs, chica

Tina Bau Couto disse...

Eu fico chocada como cada dia mais cedo se bebe e quanto mais e bebidas mais fortes se bebe e como para a maioria dos adultos os programas tem que incluir bebida.
Vejo adolescentes bebendo na saída dos colégios em pleno horário de meio dia, jovens universitários aos montes na hora do almoço e no final da tarde e de madruga e em casa.
Lamentável! Nocivo!
Encontro pais levando seus filhos pequenos ao cinema com latinhas de cerveja na mão. Pais que bebem e dirigem com seus filhos no carro em perigo e ouvindo declarações de que é normal.
Pais que dão bebida para os filhos provar, serem "batizados", antenados.
Álcool é uma droga e essa categoria o faria ñ ser tão popular, ñ ser símbolo de jovialidade como cigarro já foi, ñ ser ponte p acidentes de trânsito e uso de drogas pq a bebida já ñ entorpece, ñ alucina mais com o uso continuado.
Para que se entorpecer e alucinar?
Fuga, falta de valores, de fé, de amor. Pressão social e comercial que se encaradas com lucidez fará essa realidade mudar. Oxalá que mude!

Beth/Lilás disse...

Excelente postagem, amiga!
Há tempos observo isto e sinto que nossos governantes não se importam veradeiramente com nossa juventude.
Fingem que não vêem e as próprias universidades também, pois deixam alunos novos, recém chegados à universidade, nas ruas, pedindo dinheiro e com a cara pintada, tudo para a bebedeira que irão fazer mais tarde. Eu não dou e já disse a eles por aqui, os alunos da UFF que sempre me pedem no início e meio de ano, que deveriam fazer trabalhos comunitários, como ir em asilos, limpar a praia da cidade, ajudar pessoas nos sinais de trânsito e não esta idiotice de pedir dinheiro para gastarem em festas com bebidas.
Lamentável mais esta morte de um jovem e cadê as autoridades? Como você bem lembrou, não podem fazer nada agora, iriam perder o eleitorado em votos. uns nojentos estes políticos!
um beijo carioca

Trícia disse...

Concordo com vc. Não trata-se de ñ beber, mas do excesso. É triste ver adolescentea bebendo cada vez mais novoa. Bebida ñ dá diversão alguma e eles ñ compreendem.isso! Tem pais que ainda eatimulam: bebe aí filho! Aff...nojo!

Qto a imagem, do espumante pra crianças, acho nojento! Estimular uma CRIANÇA a beber? Absurdo total! Parabéns pelo post.

Moro em um Kinder Ovo disse...

Já conhecia este espumante e também fiquei horrorizada com o uso de imagens do mundo infantil para que a mãe ouça o pedido "compra para mim?". E lendo o seu texto a gente pode ir anotando todos os erros: a realização de uma festa em uma instituição de ensino, a liberação de bebidas para menores, etc.etc. e a morte do estudante é a consequência final.

Nadine Pinto | Fotografia disse...

Aqui também está assim. O meu pai trabalha no ramo do espetáculo e nas festas vê jovens que chegam ao coma alcoólico. E ficam orgulhosos disso. O meu pai diz que elas ainda bebem mais do que eles. Para mim é juventude frustrada e não vão dar em nada de bom. Quem precisa de bebida para se divertir? Gente pobre de espírito, gente influenciável, gente frustrada. Lamentável. Muito.
Beijinhos

Bia Hain disse...

Oi, Ana, como vai? Muito pertinente suas divagações sobre o alcool e a bebida. Sua comparação em termos comerciais me lembra os motivos que fizeram as propagandas de cigarro serem banidas da tv. Parece ter funcionado, visto que o consumo caiu bastante. Entre os jovens acho que acontece muito aquela questão do grupo, "se você não beber é um babaca"... jovens precisam ter a autoconfiança sólida para não ultrapassar suas próprias barreiras, colocando-se em risco. Gosto de um vinho, mas sei meus limites e nunca cheguei perto de ultrapassá-los. Um abraço!

Vania Lucia disse...

Olha Ana Paula, nunca estive tão de acordo com alguém como estou com vc agora.
Acho que esta juventude esta se acabando na bebida, começam cedo demais e a gente sabe que não vão parar fácil. E vejo que as meninas hoje bebem tanto ou mais que os meninos e não pensam nem um pouco no futuro e do quanto seus corpos vão precisar estar bem para terem seus filhos um dia...
Sinto muito por esta situação sem controle...
Bjs

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Ana Paula
Ontem, quando comecei a caminhar, passaram por mim, por volta de 8h da matina (sou aposentada, rs), 4 jovenzinhos adolescentes com copos de cerveja na mão ainda... da noitada boa (?)...
Fiquei triste com a cena, confesso!!! Eram tão novinhos e se achando... (?)
Não demorou mais do que 5 min, num quiosque perto, um início de briga fez a mim e outra senhora voltar e aguardar 3 rapazes iniciando uma briga por causa da bebida da noite... começaram a se bater mas, felizmente, tudo acabou bem... outros interferiram...
Até em cidades pacatas como a minha, a violência causada pelo álcool, se insinua... um horror!!!
Meu genro tem ojeriza por bebidas sem nunca ter provado um gole por seu pai que bebia e falava asneiras...
Tive um tio que começou a beber na noite de núpcias e foi até minha tia (ela era tia mesmo, ele porque casado com ela) falecer (35 anos de casados).
Meu irmão começou a beber quando minha cunhada morreu de parto, uísque e cerveja... até hoje, com alta diabete... Coitado!!!
Bebida, pra mim, não tem sentido algum quando não é na dose normal... de um brinde saudável nas grandes datas de confraternização e, assim mesmo, dispensável...
Ontem vendo um comercial sobre cerveja sem álcool que levará a pessoa a fazer tudo em termos de direção... duvidei um pouco...
Estava tão boa a Lei seca!!!
Tanta morte diminuída...
Bjm florido e ótima nova semana!

Luma Rosa disse...

Oi, Ana Paula!
Gosto de beber um vinho de vez em quando e lembro da primeira vez que provei uma cerveja - eu tinha mais de 20 anos.
Acho que os pais acabam sendo os incentivadores no uso dessa droga lícita! Vejo casas com "bares" fazendo parte da decoração. Lembro de uma amiga psicóloga dizendo que as bebidas nunca deveriam ficar à vista de uma criança. Se alguém quer um bar em casa, que faça em um móvel alto que a criança não veja. As pessoas associam a bebida com alegria e o que vemos na prática é a bebida ligada à violência doméstica, acidentes de trânsito... O que não acontece com a maconha. Você já viu um maconheiro envolvido em brigas? Não estou fazendo apologia ao uso da droga, apenas fazendo uma comparação e mostrando que a bebida é a pior de todas as drogas. Quem se torna um alcoólicos, será por toda a vida, pois é a droga de mais difícil tratamento. Veja o caso do ator Robin Willians que ficou 20 anos sem beber, frequentando o AA e numa crise de depressão por ter perdido o amigo, bebeu novamente, o que o levou a cometer suicídio. O alcool vence toda a força de vontade que um ser possa ter, ela corrói o caráter, o físico e a mente. Por isso quem bebe tem de estar ciente e beber com moderação, para festejar mesmo!
Eu fico besta com esses produtos que incentivam o consumo e não entendo como um pai não possa enxergar o mal que está nesses produtos.
Enfim, as minhas esperanças na humanidade ficam corroídas quando vejo tamanha discrepância. Me desculpe o comentário tão extenso, mas fico indignada!!
Beijus,

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Eu que tenho filhas em idade critica me preocupo muito com esses excessos e onde eles podem levar, graças a Deus até o momento está tudo ok por aqui no entanto percebo já uma certa curiosidade por parte da mais nova qto a bebida, tipo, que gosto tem isso, que gosto tem aquilo etc, a gente orienta orienta, mas só Deus para cuidar viu! Bjossss