quinta-feira, 30 de abril de 2015

Dom de Ensinar

Esse texto não é meu.

Dom de Ensinar


Quando se visualiza o poder massacrando aqueles que ensinam, as cenas são chocantes, não só pelas cenas de violência física que se apresenta, mas pela história que se repete da mesma maneira e com intensidade.
O dom de ensinar, dom difícil e peculiar, sempre foi tratado com desinteresse pela sociedade, nunca teve o valor que precisava e precisa, tamanha sua importância dentro da sociedade.
Está no dom daqueles que ensinam toda a transformação de uma dimensão, é graças a eles que a vida foi transformando-se, mesmo com todas as dificuldades que sempre tiveram os "ensinadores" da dimensão.
O poder sempre vai coibir os ensinamentos, porque eles libertam as pessoas, mostram novos caminhos, as deficiências das pessoas e do sistema. Cada um de nós temos nossa importância na manutenção desse dom na dimensão.
As pessoas com o dom de ensinar não serão pessoas de grandes passos, não serão pessoas que terão uma vida tão próspera, mas serão pessoas que por onde passam, ensinam o caminho da transformação.
Por isso, nos dias atuais quando ainda assistimos nos meios de comunicação o poder massacrando os "ensinadores", nos faz refletir que mesmo esses com o poder, passaram um dia nos bancos desses hoje massacrados, e infelizmente não conseguiram absorver o que lhes foi ensinado.
Essas pessoas usaram todo o ensinamento recebido e acabaram se transformando de maneira destrutiva levando por onde passaram, sempre o desequilíbrio e a desordem, que é isso que o poder provoca, a diferença.
O dom de ensinar é o mais antigo do planeta, e é nele que reside todo o futuro da dimensão e a preservação dela, porque se caso não aprendermos que viver é um ato de amar, ser fervorosos e justos, não há dimensão ou civilização que resista a ganância e as fantasias do poder,
O que nos liberta do poder é a sabedoria, o que nos liberta do sofrimento é a igualdade, o que nos liberta da limitação é o aprendizado.
Só conseguiremos aprender graças a entrega que todas as pessoas com esse dom de ensinar faz todos os dias na sua vida. Entrega essa, que ninguém que tenha o poder, consegue ou conseguirá fazer.
De que lado estaremos da história, do poder ou do ensinar?
Estaremos do lado das pessoas com dom de ensinar quando colocarmos em prática o que nos é repassado. Estaremos do lado do poder, quando procuramos condicionar os ensinamentos, as regras e leis, tirando ou dificultando a liberdade daqueles que ensinam.
Uma dimensão se transforma não pelos números de pessoas no poder, mas uma dimensão se transforma pelo número de pessoas livres que podem caminhar pelas ruas levando ensinamento a todos aqueles que precisam.
As pessoas com poder deveriam voltar aos bancos da aprendizagem e dar oportunidade aos "ensinadores" a direcionar, pois a vida não é direcionada por aqueles que mandam, mas sim por aqueles que ensinam.

Ensinamentos do Pai/Facebook

4 comentários:

✿ chica disse...

Muito bom esse texto e diante do que estamos vendo nos faz pensar e acreditar que as lições da escola não foram aprendidas.Uma pena!

Lindo feriado,bjs, chica

Santa Cruz disse...

Ana Paula: muito belo este texto amei ler. Bom dia do trabalhador e bom fim de Semana.
Beijos
Santa Cruz

Luma Rosa disse...

Oi, Ana Paula!
Lembrei de Abraham Lincoln: "Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser pôr à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder."
Não é o poder que corrompe, mas é o mau-caráter que emerge a má-índole camuflada e que dissimuladamente lhe permite não ser considerado mau-caráter pelos ingênuos.
Essa matrix que estamos vivendo, está em todo canto, não somente nas relações entre governo e povo, mas dentro de lugares inesperados. Para enxergá-la basta observar o comportamento das pessoas.
Observe aquela pessoa na fila do banco que impacientemente reclama da demora no atendimento do caixa. Quando chega a sua vez, ao invés dela ser rápida e pensar nas pessoas que estão atrás de si, age como se o seu atendimento fosse com hora marcada e demora-se até em ser simpático com o caixa - Veja bem, anteriormente ela estava insatisfeita com o caixa - os outros que esperem. Essas pessoas não se dão conta, afinal, ela esperou e que se dane a fila atrás dela. As pessoas não veem que seu comportamento replicante deforma o campo social. Ela não percebe o que faz.
Imagina isso em um âmbito maior. As pessoas não percebem, elas simplesmente imaginam que é o certo o modo como se comportam.
Então é típico o comportamento e somente quando uma autoridade ou uma pessoa admirada socialmente sai da matrix, surpreendendo dentro de sua hierarquia, que o ser humano para para refletir. A educação e consequente conhecimento, faz da pessoa um ser que pensa sem precisar de um modelo de conduta.
"Saia da Matrix"!!
:)
Beijus,

Tina Bau Couto disse...

Distante do poder
Dos holofotes
Na prática
Na coxia
Ensinando e sempre em busca de aprender sem me perder