sexta-feira, 24 de abril de 2015

Um livro

Minha participação está tardia, mas vamos lá!
A proposta dessa partilha veio lá da Sissi e eu soube através da participação da Chica.
Em comemoração ao dia mundial do livro, a Sissi propôs que escolhêssemos um livro que tenha nos marcado para fazermos a postagem.

Eu escolhi o livro Da minha terra à Terra, do Sebastião Salgado.


Diferente dos seus livros de fotografia, que tem um custo elevado, esse livro traz a história do grande fotógrafo brasileiro ( custo médio de 25 reais ).
A frase inicial já é arrebatadora "Quem não gosta de esperar não pode ser fotógrafo".
A leitura vai nos fazendo compreender como se dá o trabalho dele, projetos que levam cinco, seis anos ou mais. 
Faz-nos confrontar a virtude da paciência nestes tempos tão imediatos.

Eu que conhecia somente umas fotos, não imaginava o homem por trás delas e a mulher também! Sua esposa Lélia tem papel fundamental na sua trajetória.
E acompanhando essa trajetória vamos entendendo a trama pessoal, política, ética, sua generosidade, que o levou a retratar de forma incômoda aos olhos, as mazelas da África, os grandes deslocamentos em Êxodos, as destruições ambientais. Não é apenas um trabalho de fotógrafo. O envolvimento de Sebastião é uma emocionante lição de humanismo.

Vou destacar dois trechos do livro que nos fazem perceber a grandeza e humildade que há nesse homem:

"Como em todos os meus relatos fotográficos, fui apresentado àquelas pessoas e comunidades por instituições e organizações que trabalham com elas. Dediquei meu tempo a conhecê-las, a conversar com elas. Sempre fico de frente para as pessoas que fotografo.

Nenhuma foto, sozinha, pode mudar o que quer que seja na pobreza do mundo. No entanto, somada a textos, filmes e toda a ação das organizações humanitárias e ambientais, minhas imagens fazem parte de um movimento mais amplo de denúncia da violência, da exclusão ou da problemática ecológica. Esses meios de informação contribuem para sensibilizar aqueles que a  contemplam a respeito da capacidade que temos de mudar o destino da humanidade.

A fotografia é uma escrita tão forte porque pode ser lida em todo o mundo sem tradução."

Para participar clique aqui.

6 comentários:

✿ chica disse...

Ana Paula, não estás atrasada! o Desafio da Sissi iniciou ontem!

E adorei o livro que trouxeste. O olhar não só da obra, mas perceber o apoio da família, a virtude da paciência tão essencial em nossas vidas é poder olhar para o fotógrafo,escritos, com olhos de ver e muito aprender! ADOREI! beijos, belíssima participação! chica

Sissi Ino disse...

Olá Ana Paula, como diz a Chica não está atrasada o desafio dura 1 semana :)
Sabe o que é engraçado, ainda no outro dia vi uma entrevista deste fotografo num canal português e fiquei encantada com as suas fotografias, principalmente as de África. Não fazia ideia de que tinha um livro, estamos sempre aprender e a descobrir coisas novas. Valeu a participação. Obrigado. Bjs e bom fim de semana

Jack Lins disse...

Olá menina,
Eu estou de olho no livro Genesis, e não sabia que tinha outro sobre ele. Vou procurar por aqui, achei muito interessante tudo que você escreveu sobre ele.
Tenha um lindo final de semana,
beijos
www.meucantinhos.blogspot.com.br

Poesia do Bem disse...

Adorei o livro e já me deduro: eu não tinha paciência para nada, queria tudo na hora, aprendi tanto já com as coisas que a vida me trouxe. bjs e tem linda oração no blog

Hilsa Camargo disse...

Engraçado, sempre folheio livros de fotografias, muitos acho lindos, mas não tenho nenhum... risos :P

Beijocas

www.vidabonita.com.br

Dra. Cristiane Marino - Mulheres em Círculo disse...

Oi Ana Paula,

Acompanho a trajetória do Sebastião e da Lélia há alguns anos, tenho uma admiração profunda por eles.

Tem um Roda Viva da TV cultura com o Sebastião Salgado que é maravilhoso, já vi várias vezes. Vale à pena conferir, vá no site da TV cultura e busque, se não me engano é do final de 2013. Uma preciosidade.

Vou dar uma conferida nesse livro, valeu a dica.
Bjs e bom final de semana