quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Ah! Os pássaros

Como são diferentes os pássaros da cidade
quando a primeira luz
desperta os ninhos
sono ainda úmido pelo orvalho
põem-se agilmente a cantar

Canto alto forte
trinados retumbantes
para que eu não ouça
a dor do pai que vela
o filho atropelado
para que eu não ouça
a lágrima escorrendo
na Somália
filhos definhando

Como são diferentes os pássaros da cidade
gorjeiam agitados incessantes
para que eu não perceba
a loucura da cracolândia
Inebriam-me com tal afinação
que não sinto o cheiro do sangue
carmim projétil
caído na rua

Como são diferentes os pássaros da cidade
movimentam com fulgor
os pequeninos bicos ao sol
onda doce
ao meu viver
e penso que são poetas emplumados
e que estarão a declamar
espetáculo único
para que eu continue a ver beleza
no meu ninho


Ana Paula

8 comentários:

✿ chica disse...

Profundo e lindíssimo...Eles cantam e com seu canto encobrem tanto que não gostaríamos de ver...beijos,chica

Débora disse...

Muito tocante Ana!
Parabéns pelo texto!
Bjo no coração

Imac by Artes disse...

Paralelo perfeito entre os passáros.
Lindo e profundo!!!
Abraços e uma boa tarde!

MÃE DO GUI disse...

Lindo o texto Ana,

bjo Jana

Telma disse...

Que lindo!! Parabéns !! Adorei te conhecer através da Angi!! Eu já vinha aqui mesmo para te conhecer. Seus textos são ótimos! Adorei o do dia dos pais! Beijos

Camila disse...

Lindo o texto Ana.
Adorei sua visitinha no nosso cantinho, passando para retribuir o carinho!
É sempre bom e adoro fazer amizades, trocar sempre, aprender e dividir constantemente.
Quando fiz o blog para minha princesa jamais tive idéia dessa dimensão de conhecimento e de amizade que o blog nos trás.
Fiz a princípio para registrar momentos importantes do desenvolvimento da minha gestação e da Marina depois que nascesse e de toda a sua infância.
Mas sempre fui super tímida para escrever até porque sabia que as pessoas poderiam ler e ver o que eu escrevia, de uns tempos para cá, depois que encontrei uma amiga virtual mesmo ai no blog (inclusive ela deve ter ganhado bebê, está sumidinha) isso mudou.
Quero fazer muitas amizades, quero participar das novidades, quero partilhar com todos essa minha alegria, essa magia que é ser mãe.
Obrigada mais uma vez por procurar nosso cantinho e a nossa amizade, que vocêseja super bem vinda e que apareça sempre. Adoramos visitas..

Beijos

Ivani disse...

Puxa Ana, você pegou pesado nesse poema.
Realmente, às vezes sinto-me muito mal quando penso em tantos dramas que existem por esse mundo afora.
Esse nosso conforto, essa comida quente, essa cama limpa. Melhor nem pensar em quanta tristeza e dor existem lá fora.
Mundo cruel esse em que vivemos. Tantas diferenças, tantas injustiças.
Existe esperança? sei lá...
beijos, boa noite.

Micheli disse...

Que lindo, adorei!
Beijos.