quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A menina e a matemática


Quando ainda estava muito longe de ser mãe, assisti a uma entrevista sobre meninas e matemática.
Foi dito, que para as meninas, os estímulos eram menores. Que era algo inconsciente, porém que refletia no desempenho escolar. Os brinquedos, as brincadeiras, favoreciam mais aos público masculino.
Muita coisa mudou desde a tal entrevista. Mas é fato que, nas estatísticas educacionais, aparecemos como um dos piores países em matemática.
Eu fui uma criança/adolescente com muita dificuldade não só em matemática, como também em física e química. E claro que passo longe da área chamada “exata”.
Não queria isso para meus filhos e especialmente se tivesse uma menina, empenharia-me ao máximo para que não incorresse o mesmo. Estava determinada a estimular a minha menina.
Caí no erro, no tal “algo inconsciente”.
Bernardo, mais velho e nitidamente voltado para o raciocínio matemático. Senso espacial, de localização impecáveis.
Onde começaram os erros.
Sempre que saíamos, eu que achava bonitinho aquele pequenino falando sobre caminhos, possibilidades, deixava-o escolher. Lembro-me que nos 'embrenhávamos'no centro da cidade e ele mostrava o caminho até chegarmos ao destino. Adorava fazer cálculos, e o levamos a fazer o método kumon de matemática.
E quando a Júlia me disse: só o Bernardo faz kumon, eu também quero, coloquei-a também para fazer português.
Até que em uma aula, logo no começo, ela se pôs a chorar, aparentemente sem motivo. A orientadora pediu que eu ficasse com ela, acalmasse enquanto o Bernardo terminava.
Com jeito fui preguntando o que se passava e ela me disse com aqueles imensos olhos pretos chorando: eu não quero fazer português, quero matemática. Troquei na mesma hora.
E num outro momento recente, eu precisa ir a uma loja de uniformes escolares e não sabia onde ficava. Foi a Júlia que me levou, com estas palavras – você pensa que só o Bernardo sabe os caminhos? Eu também sei, passo com o tio Gil ( transporte escolar) e sei todos aqueles caminhos. E fomos, e a menina passando entre vielas, ruazinhas, rua principal e lá chegamos.
As avaliações que foram feitas por conta de todos os problemas escolares, lá em Curitiba, também apontou desempenho acima da média em matemática. Foi o meu chacoalhar final. Definitivamente, ela gosta, sabe e tem raciocínio matemático!
E eu que me achei determinada a não deixar acontecer o que aconteceu comigo, lá estava indo pelo mesmo caminho...
Ainda bem que sempre temos a oportunidade de aprender e mudar.

Minha menina - medalha de bronze em matemática

11 comentários:

Angi disse...

Amiga!
ah, tb amo matemática, e sei todos os caminhos de ônibus e lotação,tá?minha mãe é desse pensamento, que mulheres são mais perdidas, mas eu sou tri achada nos caminhos e números!rs
E será que vem uma menina mais prá frente, eu confesso que um menino seria ótimo,mas uma menina também!aiii
beijãooo

✿ chica disse...

Que legal e que bom que te deste conta.Poderia ter causados problemas,não é? Ela é linda e ainda sabe se orientar e matemática.Além disso, escreve poesias e muito bem! Querem mais? rs beijos,chica

Angi disse...

E parabéns para essa atleta de matemática, linda!
MAS BAH, QUE GURIA TRI INTELIGENTE!

Su disse...

Ana Paula... sua pequena é um encanto, olhos de jabuticaba, linda menina e inteligente! A matématica é um "monstrinho" danado de fácil, rsrs... mas que pelos métodos tão tradicionais (professores), causaram alguns traumas em alguns de nós... mas que bom que para toda regra exitem as exceções... Parabéns para a pequena!

Beijos.

Su.

Aretusa disse...

Que bonequinha linda, parabéns pela medalha, pra filha e pra mamãe que deve está se sentindo!!
Sobre matemática, nunca foi meu forte, não morro de amores. Já meu marido tem paixão. Sophia por enquanto está na dela, e espero sinceramente que puxe o pai.
Beijocas,
Aretusa, mamãe da Doce Sophia
P.S. Vou me mudar esse sábado, devo ficar longe do computador por uns bons dias, tá, mas assim que der, volto pra dar notícias!

Ivani disse...

Ah! que linda a nossa Julia, de olhos enormes e escuros, mostrando sua medalha. Parabéns querida, sei que não será a última. Muitas virão.
Sempre odiei matemática mas nunca me perco. Sou super ligada, tenho um mapa na "cachola".
Agora...Ana Paula você fez aniversário e não contou pra gente? Dia 10 de agosto, fazem apenas 8 dias.
Que pena que não soube no dia, mas, deixo aqui meu abraço bem apertado, e meus sinceros desejos de saúde e paz.
Saiba que te quero muito bem. Adoro seus comentários e sinto-me muito confortável em falar com você.
Como se fosse com uma filha. Verdade!
Você é muito amorosa e eu adoro vir aqui no seu delicioso blog.
Vamos comemorar com cerveja, geladinha: tim-tim!
Beijos querida, seja muito feliz!

LUCONI disse...

Excelente amiga, no meu tempo também achavam que os meninos eram melhores para cálculos, mas eu fui a excessão, adoro lógica, ainda bem que percebeu a tempo,beijos Luconi

Paula disse...

Parabéns para a medalhista brasileira de Matemática. Muito fofa!

Patricia disse...

Parabéns para a pequena Julia!!!!!
Ana, sou como vc...passo bem longe de exatas!! hahah
bjs

Telma disse...

Que legal! Parabéns ! Como a vida faz mudar nossos pré - conceitos né! Muito interessante seu texto! Adorei tb o texto de cães da Débora! Obrigada pela indicação! Beijos

Débora disse...

Ai Ana! Que orgulho hem!
Olha, o "problema" no aprendizado de matemática acredito não ser de meninas. Fiz minha monografia sobre isso, meu tema foi O lúdico no aprendizado da matemática...aí está a questão. Todos temos capacidade de aprendizado em qualquer área, claro que cada um com sua limitação, o que falta é realmente a ludicidade no ensino. Se usada desde cedo no ensino da matemática certamente as crianças teriam mais facilidade, entusiasmo e consequentemente seu aprendizado fluiria melhor. Nada mais prazeroso que aprender brincando. Eu cresci detestando matemática, quando volto no tempo, me recordo que não tive professores dessa disciplina que me estimulasse, as aulas eram monótonas e me fazia vê-la como um bicho de sete cabeças, e quando não conseguimos aprender, deixamos de gostar, é natural.
Fico feliz em ver sua pequena assim, estimulada, participando de campeonatos e conseguindo um excelente desempenho.
Parabéns!
Bjo no coração