segunda-feira, 4 de julho de 2011

Caligrafia

Focal Point by tompagenet

Focal Point, a photo by tompagenet on Flickr



Depois que li e reli os comentários carinhosos do post anterior, referente ao scrapbook, no final da tarde fui a uma livraria, sem a intenção de comprar, mas somente olhar e folhear e quando dei por mim eu estava na parte infantil (fórmula encontrada para amenizar a ausência dos pequenos!).
E encontrei um livro delicioso, que li ali mesmo em pé que falava da caligrafia.

A história da mão que queria ter uma letra bonita”, claro que imediatamente eu fiz a associação com o post do blog. E a definição da minha própria letra mudou depois desta leitura.
Uma mãozinha está triste por achar que a letra que produz não é bonita. Então o papel, no qual ela está escrevendo, com sua sabedoria milenar de árvore lhe diz que a beleza é relativa, que o diferente é bonito. Não convencida, a mão diz que a letra do João é mais bonita que a dela. O papel pede para ser levado até o João para que ele escreva nele. Muito atento, depois revela que a letra do João não é mais bonita apenas diferente. A mão então questiona o papel do por quê que a professora sempre escreve 'precisa melhorar a letra'. O papel se oferece como detetive para descobrir o que a professora pensa. E vai parar na casa dela ( professores sempre levando trabalho para casa!). No seu retorno, diz para a mão que desvendou o mistério. A professora não acha a letra feia, apenas quer que capriche mais porque no futuro as pessoas irão ler o que ela escreve e precisarão entender o que está escrito. E a mão passa a treinar todos os dias, agora alegre porque sabe da sua importância para o futuro e vai melhorando a cada dia!

Lição linda para incentivar filhos e netos, especialmente os meninos (será que estou enganada?!) para capricharem mais na letra e para nós adultos que não há letra feia, apenas diferentes.
A facilidade que a vida virtual nos trouxe é inegável, mas também acho que corremos o risco de nos distanciarmos de uma marca nossa: a nossa letra.
Está lá num comentário anterior – ver a letra, seja como for, palavras escritas em momentos, ficam marcados, registradinhos para sempre.
E a sua letra, tem se mostrado bastante ou você terá que contar uma historinha para ela voltar a aparecer?!


7 comentários:

Angi disse...

Adorei,Ana!
Eu adoro escrever, e amo a minha letra...rs
Mas com certeza, com esse mundo virtual digitamos mto mais do que escrevemos!
Beijo querida
BOA NOITE PARA VCS!

Angi disse...

Aiii e tb não tenho carteira...somos duas!!rs
bj bj

✿ chica disse...

Cada vez escrevemos menos,não? Mas temos que escrever ainda mais que a mão vai ficando trêmula e por si só muda tudo...beijos,chica

Patricia disse...

Ana, vc não acredita que estou agora fazendo lição com a minha filha e ela tem uma letra horrível, ela não tem capricho nenhum e isso me deixa chateadíssima pq sou toda caprichosa desde pequena.
Mostrei a ela um caderno meu de quando estava no pré com 6 anos (mesma idade que ela hj) e meu caderno é todo caprichado, letra bonita, limpo, sem orelhas nas pontas. Mostrei a ela que basta ela querer fazer as coisas mais bonitas, se esforçar um pouquinho, enfim...vou agora atrás desse livro para voltar a esse assunto com ela! rs
bjs

Patricia disse...

Já achei o livro na internet mas meu marido vai tentar comprar hora do almoço.
Assim ela se inspira e treina durante as férias. rs
Obrigada pela dica e pelas visitas!
bjs

Ivani disse...

Muito interessante isso Ana Paula.
E eu concordo com você, os meninos são mais relapsos com a letra.
Apesar de que eu sempre achei minha letra feia.
Sou canhota e quando aprendi a escrever usava-se caneta tinteiro.
Escrevo passando a mão em cima e então virava uma "esbornia"!
Fui muito criticada por isso e nunca gostei de escrever à mão.
Adoro digitar ou datilografar. Algumas pessoas dizem que minha letra não é de todo ruim, mas eu não gosto.
Fui salva pelo teclado, e eu amo!
Boa noite querida, tá frio aí?

Nega disse...

Ah sempre sofri muito preconceito em relação a minha letra rs,falavam q eu tinha "letra de garoto",mas hj(embora seja uma desculpa vaga e sem fundamento)eu posso falar q se depender da letra eu escolhi a profissão certa.
PS:Pobres mãozinhas,nunca souberam o q eh ter uma letra "bonitinha".