segunda-feira, 11 de julho de 2011

Liberdade

Estrada vazia e bela
estendendo-se a frente
convite a deslizar
Bicicleta
braços erguidos
no instante
em que o vento
toca o rosto
esvoaça o cabelo
Pensava assim ser a liberdade...

Senti -a
delimitada nos teus braços
aconchegada num abraço
ali, sem movimento
senti-me livre
sem importar a cor do céu
a estação do ano
ou a estação da vida
ali, estreitada pelo teu abraço
explodi em liberdade.


Ana Paula

5 comentários:

Poesia do Bem disse...

Lindooooooooooooooo saudades. Estou de férias em GO, mas sempre atualizando as novidades no blog, depois passa lá. saudades

Ivani disse...

Muito linda sua poesia. Você coloca a alma nos versos, isso é muito bom de ler.
Beijos, boa noite.

Carla Mãe da Maria Clara disse...

Lembrei de um tombo meu gostoso de bicicleta... o vento estava forte (eu corria demais)..ehehe.
Beijos saudosos!!!

✿ chica disse...

linda liberdade em poesia@!beijos,chica

Bicho-mãe disse...

Que lindo... Dá até para sentir a leveza, só de ler...

Beijoss

Flavi