segunda-feira, 4 de julho de 2011

Scrapbook

Eu estava grávida do Bernardo quando uma vizinha me falou que tinha visto um álbum de fotografia muito diferente e lindo num programa de tv, chamado de scrapbook, mas não soube me falar detalhes, apenas que era diferente e lindo.
Guardei aquele nome, até então estranho para mim, e lá pelo oitavo mês de gestação eu encontro numa revista uma pequena nota falando dos tais álbuns e divulgando um curso.
Liguei para me informar da data e era bem próxima à data do parto. Resolvi arriscar e me matriculei. Quase que não me deixam ir! Pegar metrô sozinha aos 9 menses?
Sim peguei sem problemas e me apaixonei pelo curso. Cheguei lá sabendo apenas que era uma maneira de organizar fotos.
Era muito mais do que isso. Passei uma tarde agradável aprendendo técnicas bem simples e básicas que me encantaram pelo que significavam.
São álbuns de memórias”dizia com paixão a professora!
Nessa época de internet e fotos digitais (eu ainda era totalmente analógica), as fotos tem perdido o sentido, ficando apenas armazenadas no computador, dizia ela.
Esses álbuns são muito antigos, talvez nossas avós ou mães fizessem de maneira intuitiva, ou seja tentavam registrar com fotos e palavras aqueles momentos, podiam até mesmo anexar um cartão recebido, uma carta. O problema é que tudo amarelava, até mesmo se apagava. A promessa dos materiais específicos é que isto não ocorra.

E esta parte da memória escrita foi o que mais me tocou.
Depois da morte da minha mãe, lembro-me que pegava os álbuns que ela fizera para mim e abaixo das fotos ela marcava”6 meses”. Apenas isto.
E olhar a letra dela me transmitia um sentimento muito agradável. Lembro-me também de ter procurado entre suas coisas algo escrito para mim. Não havia. Encontrei num pedaço de cartão recortado um pensamento escrito por ela e o tinha bem perto justamente pela letra dela.

Então a professora dizia: registrem, com sua letra, não importa se é bonita ou não, importa que é sua marca. Escrevam o que se passou naquele momento, porque muitas vezes esquecemos o motivo de uma risada e ficará somente uma imagem; se você escrever, a imagem fica mais bela!
Fiz muitas páginas de scrapbook, e em muitas delas imprimi a minha letra mesmo, escrevi cartinhas que ficam “secretamente”guardadas em envelopinhos, às vezes uso as letras do computador, às vezes coloco somente imagens.
Fiquei bastante tempo sem fazer nada, quando vi uma postagem num blog querido de uma mamãe querendo por a mão na massa. E não é que eu me animei!
Revelei fotos, comprei novos papéis e fiz uma bagunça criativa!
Não tenho muitas ferramentas, são bem caras, então faço um estilo bem simples, caseiro e com todo o carinho. Admiro muito essas artistas do papel e tem muita coisa linda aqui pela internet.
Quem vai se animar também?!




7 comentários:

Angi disse...

Lindo,Ana!
Vontade de fazer um...com certeza farei até o final do ano um bem lindo!
Adoro scrap, e o seu ficou lindão!
Que carinh,né? E bem grávida, com 9 meses, pegar metro e tudo mais, valeu a pena o esforço!
Beijos
BOA SEMANA!

Aretusa disse...

Minha cunhada trabalha com scrapbook, ela faz cada coisa linda, eu acho o máximo. Já fiz uma aula na FNAC e adorei, mas confesso que nunca coloquei a mão na massa. Pior, preciso inclusive imprimir fotos da Sophia, tá tudo no computador!!
Beijocas,
Aretusa, mamãe da oce Sophia

Ivani disse...

que lindo Ana! eu não sei fazer isso, mas vou me interessar pelo assunto.
É muito interessante.
Interessante também é notar como você é ligada em seus filhos de uma maneira leve e divertida.
Essas lembranças que você vem acumulando com tanto carinho vão ser importantíssimas quando forem adultos. Os filhos valorizam muito essas recordações. Sua emoção ao ver a letra de sua mãe mostra isso.
Não tenho como escanear minhas fotos, que pena, mas vou providenciar isso também, porque não?
beijos, parabéns pelos filhos lindos!

Patricia disse...

Ai que lindo!!!!
eu tb adoro scrap, faço tudo com muito amor e carinho.
Com certeza essas lembranças passarão de geração a geraçãoo.
bjs

✿ chica disse...

Que coisa linda isso e em cada uma, um toquezinho teu.Isso ninguém tira e é maravilhoso!

Ver a letra, seja como for, palavras escritas em momentos, ficam marcados, registradinhos pra sempre! Lindo!beijos,chica

Rafaela disse...

Ai que demais!! Que emoção! Estão lindos os teus álbuns.
Pena que tenha toda uma técnica e aqui na minha cidade não tem curso... Vou ter que bancar a autodidata mesmo! Mas não vou desistir!
É muito bom saber que te influenciei positivamente!
Beijos e boa semana,
Rafa
www.blognostres.blogspot.com

Paula disse...

Ana,

Sempre quis fazer scrapbook. E fui deixando o tempo passar. Mas lendo o seu texto vi que ao adiá-lo vou deixando os pequenos detalhes da vida pra trás. Minha vontade era tanta que passei a fazer um scrapbook digital, mas não é a mesma coisa. Vc me inspirou!