segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Cartas manuais



Escrevo diários digitais
e também cartas manuais
como nos filmes,
quero deixar um pacote de cartas
amarrados com laço de fita
não vermelho, como nos filmes
Um largo laço azul
um azul da cor do céu de inverno

Embora não tenha religião
acho o céu um bom lugar para se estar
e você poderá olhar as nuvens
e pensar que em algum lugar
daquela vastidão celeste eu estou a assoprar
algodão branquinho só para lhe alegrar

Em cada carta colocarei uma gota
do meu perfume
talvez só restará mesmo o cheiro de papel
amarelado pelo tempo
mesmo assim levarei o meu dedo ao frasco
do frasco à borda do papel

Também deixarei borrada
alguma letra, alguma palavra
porque não mais me envergonha
chorar enquanto escrevo

Quanto papel amassei na juventude
por não querer deixar
a marca líquida dos meus sentimentos
Talvez hoje as lágrimas sejam poucas
porque o viver me ensinou a chorar

10 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo,Ana Paula!!!Simplesmente maravilhoso! beijos,tudo de bom,chica

Imac by Artes disse...

Minha querida!
Que lindo!!! Fiquei encantada.
Emocionou-me.
Abraços! Uma noite abençoada pra ti.

Marcílio Godoi disse...

Gostei da marca líquida. Dor ou prazer, nem o futuro vai dizer...
bj,
m.

Débora disse...

Oi Ana querida!
Nossa, lendo seus escritos maravilhosos vejo como me fez falta esses dias que estive fora de ler...
Muito sentimento...amei!
Bjão

roupa de festa infantil disse...

Lindo lindo o texto. Parabéns

Bjs

Tina disse...

A-do-rei!...me li, me vi.

Tenho cartas escritas para meu filho, tenho cartas da escola que recebi de colegas e amigas, de trabalhos (sempre pratico esse hábito por onde passo, bilhetes, cartas, letras, papéis, adesivos, envelopes...). Tenho postais e cartas de parentes distantes, cartas de amor, coisas escritas por mim, guradados que são para mim tesouros em caixas e com laços de fita, sempre olho, leio, ponho pra tomar sol, revivo.

O livro que estou lendo no momento, como mtos que venho vendo e desejando, são trocas de cartas.

Queria ter com quem trocar cartas, ir ao correio, ver e ter selos, reler e reviver cada uma delas...Topa um correio a partir do Natal, até quando, quanto e onde nossa emoção nos levar?

Camila Gomes disse...

Maravilhoso Ana!
Quero deixar cartas amarradas.

Coisas da Vida disse...

Olá Ana!
Maravilhoso!!! Simplismente amei!
Beijos!

mfc disse...

Um poema intimista muito lindo!!
A vida sempre nos faz chorar, mas hoje é dia de sorrir!
Vamos por o nosso melhor sorriso e sair sorrindo por aí fora.
Beijinhos.

Laiz disse...

Que lindo Ana! Adoro cartas, adoro escrever, adoro recebê-las, fazia muito isso quando era criança, agora ficou tão distante.
E sabe de uma coisa? Adoro chorar pra desabafar, que bom que a vida nos ensina a chorar...as vezes é necessário.
Bjooo enorme!