segunda-feira, 4 de abril de 2011

Aos amigos

Tempestade chegou intrépida
tendo como alvo os meus olhos
bramiu, riscou-os com seu fogo elétrico
e derramou-se deixando-os inturgescidos


Passou; sempre passa
o dia porém 
não alvoreceu em mim


Travei batalha com aquele breu
e tudo o que consegui 
foi jogar-lhe tinta branca.
Aclarei a escuridão
deixei-a plúmbea


E então consegui enxergar
e me vi vazia de vontades
fui buscar vontades alheias
me fez bem


Fui então participar de uma celebração 
de um amor que se foi e sempre estará presente
Ainda faltava-me.
Lembrei dos pirilampos
Encontrei-os sim pela manhã
brincamos e o resto do meu dia
amanheceu cheio de luz.


Aos amigos virtuais, que tantas vezes tornam meus dias melhores com um comentário, com uma postagem que me toca. Há os amigos poetas, os seguidores, os que compartilham sentimentos, os que me fazem refletir sobre educação, os que me encantam com as lentes de máquinas fotográficas, os que me acolhem em seus blogs aconchegantes, os de moda, os que ensinam a deixar a casa mais bonita, os mais tímidos... Vocês são queridos.

3 comentários:

✿ chica disse...

Que maravilhosa tua poesia,sentimento puro! Linda e carinhosa dedicatória! Que bom quando podemos nos ajudar, ainda que seja sem saber,não? beijos,chica e tudo de bom!

Ivani disse...

Voce é querida. Obrigada pela homenagem, afinal, sinto-me incluida em sua lista de amigos.
É uma delicia passar por aqui. E tanto a poesia como o texto estão impecáveis.
beijo

Maristela Mafort disse...

Ai que gostoso!!! Eu amo um carinho! Obrigada viu!!!
Bjks