sábado, 2 de abril de 2011

A grande fábrica de palavras


Ready to Fill, a photo by StarrGazr on Flickr.


A grande fábrica de palavras


Comprei este livro de presente para a minha filha Júlia e todos aqui em casa adoramos, até o cachorro!
Fizemos uma brincadeira divertida, que rendeu boas gargalhadas e eu quero fazê-la aqui no blog.
O livro narra a história de pessoas que vivem num país onde as pessoas não falam. Elas precisam comprar as palavras e engolí-las para poder falar.
Por isso a grande fábrica trabalha 24Hs.
O problema é que as palavras são caras. Bem, algumas palavras são mais caras que outras e por isso quase ninguém as fala.
É possível encontrar algumas palavras na lata do lixo, mas são palavras sem graça, como cocozinho de cabrito e pum de coelho.
Também há liquidações neste país, na primavera, mas são palavras que não servem para quase nada, como ventríloquo e filodendro (parece até liquidação daqui, quando a gente compra e depois se arrepende porque não sabe o que fazer com aquilo!).
A história tem sua continuidade numa belo romance pueril com um sensível desfecho.
Entrem numa livraria, e numa rápida folheada é possível se deliciar com a história.
Então a brincadeira é: qual palavra você compraria na grande fábrica de palavras?
Bernardo gastaria todo o seu dinheiro comprando uma frase – eu gosto de trens.
Então imaginamos ele seguindo para um encontro romântico e quando encontrasse o seu afeto soltaria o seu “eu gosto de trens”. Provavelmente o seu afeto lhe daria as costas sem gastar qualquer palavra. Rimos muito!
A Júlia pensou bastante e sai-se com esta – eu te amo. Imaginamos que ela encontrasse um garoto que não gostasse, que nunca namoraria com ele e só poderia dizer “eu te amo”. É uma linda frase, mas há momentos que pode causar confusão...
Eu elegi duas. A primeira palavra, que eu compraria custasse o que custasse, cara ou não, seria inefável.
Adoro esta palavra. Inefável; inefável...é sonora, é poética e tem um lindo e amplo significado: inebriante, encantador, que não se pode explicar com palavras. Acho que me sairia bem com esta!
A outra seria balde. Como eu gosto de balde. Para lavar roupa, colocar tinta pra pintar a casa, já fiz mudança lotando o balde com quinquilharias, já brinquei na areia, já poetizei o balde no seu silêncio vazio ou na sua completude. Ah! E agora está na moda colocar bebês a banhar-se dentro do balde e, fotógrafos de plantão, resultam em belas fotos.
E quando para nada disso serve, dá para chutar o balde ou levar um balde de água de fria!
Ready to Fill by StarrGazr
.Ready to Fill, a photo by StarrGazr on Flickr.
Já ia me esquecendo do cachorro.
Théo é condicionado com a palavra lixo. De tanto que eu o chamo para reciclar o lixo, viciou-se nesta palavra. E quando eu estava lendo o livro com as crianças, na parte que diz “é possível encontrar algumas palavras na lata do lixo”, o cachorro começou a pular desesperadamente por cima de nós, do livro... achou que fosse hora de reciclar!
Porém tenho certeza que esta não seria a palavra do Théo, porque ele adora mamar o dedo das crianças antes de dormir!


E agora, já pensaram qual palavra vocês comprariam?

8 comentários:

Ivani disse...

Ai que lindo texto! eu com certeza não compraria a palavra "fronha". Acho a palavra mais feia da nossa lingua.
Mas existem tantas lindas! já sei, eu compraria uma que uso muito, assim faria economia.
Aliás é uma frase: Oi querido (a)!
Pra quem tem tantos netos e filhos e irmãos essa palavra é bem últil, não acha?
Adoro também a palavra coragem. Ela é forte, como seu significado.
Se me lembrar de mais, eu volto em?
beijo querida (olha eu gastando!)

Ana Paula disse...

Volta sim! A fábrica funciona 24hs!!!

Aleska disse...

Jogo interessante, mas acho que se as palavras não existissem eu ficaria com os meus desenhos mesmo, pq inefável nao te complica com um garoto que vc nao gosta, nem diz algo embaraçoso, mas simplesmente não alcança muitos significados, apesar de ser uma palavra linda. É sempre bom vir aqui e descobrir coisas diferentes^_^ beijos e bom final de semana.

Ivani disse...

vim aqui comprar mais uma palavra.
"celebrar"...eu adoro!
E como hoje é aniversario da Julia, precisamos muito dela.
Celebrar essa menininha linda e fofa.
Dificil encontrar uma finalidade melhor para uma palavra tão linda.
beijo

Claudia disse...

Oi querida
Eu compraria varias:comemorar, vida, alegria, amor, leveza...
Outras deixaria...rs.
Ontem fui na Saraiva e nao achei o livro, nem na loja, nem no site...:(
Onde vc comprou?!
Bjks e um otimo domingo

Nega disse...

Adorei o livro,realmente da uma ótima brincadeira hahah..a parte do Théo foi muito engraçada!Então eu compraria a palavra "obrigada",assim quando não pudesse responder uma pergunta ou fazer uma frase,ou até mesmo responder um gesto...eu agradeceria.Mesmo que ñ tenha sido de acordo cm o ocorrido,faria a pessoa refletir sobre o que fez!

Juliana disse...

Olá. Achei seu texto ótimo! Dei boas risadas com as situações citadas...É mesmo ótimo!
Eu sou um tanto faladeira, então teria duas opções: ou teria que ser muito rica para poder dizer um montão de coisas (mas isso me parece um pouco fútil) ou eu aprenderia na marra a ser mais comedida...
A palavra que eu compraria hoje seria férias. Ah que delícia hein...já tem embutida muitas outras palavras (paz, descanso, diversão, fim de tarde na rede etc...).
Mas uma palavra que eu jamais compraria seria solidão...deixa essa lá no arquivo empoeirado das palavras encalhadas...
Um beijo Ana Paula, o seu blog é muito bom! Serei visita constante!

Tina Bau Couto disse...

Sou sua fã!
Suspiro!
Comprarei o livro, sem nenhum pensar ou ponderar.

Balde...kkkkkkkkkk
Eu percebi só agora como essa palavra é sonora.
Igual a pia, pia é muito legal de falar e ouvir, não acha?

Eu outro dia no grupo de escoteiros de meu filho fiz uma narrativa quase que sentimental dos diversos usos de um balde.
Sugeri que eles fizessem uma lista de material para pedir que os gartos circulassem em casa e no prédio, bairro etc para incrementar o local. Sugeri vários ítens de utilidades diversas e chamei de Chá enxoval de casa, cozinha e quintal do Cardeal
*Cardeal é o nome do grupo.
Resumiram para Chá de panelas.
Acharam meu nome mto grande e confuso
Oh God!
Achei o máximo!
Enfim...Comentei que pedissem muitos baldes pois servem para colocar coisas dentro, para levar e trazer coisas, para uso em atividades, para limpeza e desatei a falar como se fosse uma representante de uma empresa de baldes :)

Eu acho que a frase de Bernardo (puxa saco) é ótima, repetir ela não ia trazer tantos problemas quanto o eu te amo da Julia, que foi uma escolha Júlia demais de ser.

Eu pensei, pensei
E de cara assim, como sou péssima para escolher e comprar coisas, tenho que pensar muito sabe e ver e experimentar e ponderar o uso e combinar
Escolhi só uma por enquanto,: talvez.