sexta-feira, 15 de abril de 2011

Dia do café

Já foi!!! O dia do café é comemorado em 14 de abril.
Nunca soube disto, porém quando vi no jornal a data, logo me lembrei de um episódio relacionado ao café e achei que seria cabível postá-lo justamente nesta data. Mas, passou sem eu passar um cafezinho e fazer a postagem.
Comentei hoje com certa tristeza de quem esquece as coisas que teria que esperar o próximo ano, o próximo dia do café, ao que ouço em resposta:
você quer coisa mais diária que o café? O café é todo dia!
Quanta verdade nestas palavras que me encorajaram a vir aqui, no dia seguinte ao da comemoração para poder descrever o meu fato relacionado ao doce/amargo café.
De café, sei quase nada. Lembro-me da minha avó fazendo papinha de pão dormido com café com leite para vovô, que esperava sua tigelinha confortavelmente todas as manhãs ser servida na cama.
Mas o episódio que me marcou foi quando eu enveredava pelos afazeres domésticos e me deparei com o coador de pano que meu pai usava e achei-o muito amarelado, sujinho. Quis testar a receita ensinada por uma adorável vizinha. Quer branquear? Quiboa... a nossa água sanitária. E foi assim que eu alvejei o coador de papai e as coisas ficaram pretas para o meu lado. Só consigo me lembrar de uma frase: Nunca mais faca isso; coador bom é coador velho, sujo, amarelado, amarronzado.
Nunca mais cheguei perto do coador de pano.
Aprecio moderadamente um café. Agrada-me pensar que já foi ouro verde, que ainda restam a raridade de algumas mansões dos barões do café espalhadas pela cidade, gosto também de lembrar das propagandas de café da minha infância: a gente se transportava naquela fumacinha e quando estava no mercado, a mão apanhava aquela determinada marca na prateleira.
A publicidade de hoje dos cafés já não me emocionam.
Aliás, aquela maquina que se assemelha a um robô e prepara o café em cápsulas... não sei. Não é o ideal que tenho para um assim chamado “ritual do café”, que agrega, puxa conversas, sela contratos, cura bebedeiras.
Fiquei sabendo que há uma espécie de clube virtual para os aficcionados em café em cápsulas, tomara que eles se lembrem que antes de se tornarem encapsulados, secaram um dia num terreiro, aqueles saborosos grãos.
Em se tratando de café, tem também a cafeomancia – tradição árabe de se ler a sorte na borra do café. Para isto o café árabe não é coado, espera-se a borra sentar no fundo para servir. Acho que isso vai é me trazer azar, porque para um paladar não acostumado, deve ser horrível bebericar café assim.
Bem e por falar em café, está dando o que falar o café dos monges.
Último domingo do mês, no mosteiro de São Bento, aqui em São Paulo. Servido em um refeitório eclesiástico, regado por atracões de música clássica, canto gregoriano e o magistral som do imponente órgão vindo da sala ao lado, na mesa de quase 10 metros de comprimento é possível apreciar a gastronomia dos monges e também de renomados chefes como por exemplo salmão marinado, ovas de capelin, compoteiras de todos os tipos e também tem sucos e café, claro.
Na verdade não é um café, e sim um brunch, que arranca muitas frases como esta: Santa gula, que delícia”
O valor também é um pecado (mas não seja avarento) – R$99,00 por pessoa.
Ah! Esses monges querem mesmo que cometamos o pecado da gula. Deve ser possível se confessar ao final...
Mas eu fiz as contas para ir a família toda mais o cachorro e o estacionamento... em torno de um salário mínimo.
Achei melhor por enquanto não cometer o pecado da gula, da avareza e do endividamento.
Vou ali mesmo na padaria do Marcílio. Também tem café e dos bons!

4 comentários:

Patricia disse...

Não gosto do sabor do café, mas adoro o cheirinho dele num final de tarde!!
Mas como boa esposa, faço o café do maridão todos os dias. rs

Ivani disse...

Sinceramente não sabia que ontem foi o dia do café. Não ia alterar grande coisa minha rotina, já que tomo café diariamente. Gosto apenas de manhã, quente e não muito forte. Confesso que adoro reunir as pessoas em volta da mesa para um café. Acho que ele tem essa propriedade, de reunir pessoas.
Quanto aos monges...caro em? Pode ser que seja ótimo, mas é caro em?
Adorei a postagem, e aprendi coisas que não sabia sobre essa bebida realmente deliciosa.
beijo querida

✿ chica disse...

Também não iria nesse café abusivo dos monges.rsrs Na padaria ou em casa tá de bom tamanho...beijos,chica

Claudia disse...

Oi Aninha querida
Tbe nao sabia e adorei o post.
Assim como as queridas aí em cima, achei beeem caro este café dos monges...
Bjks mil e uma otima semana

http://blogdaclauo.blogspot.com/