domingo, 10 de abril de 2011

A face do tempo

Andei brigada com uma face do tempo.
Não aquela que nos marca a face! Com esta, nossa convivência é harmoniosa.
Falo da face rotineira do tempo, aquela onde temos compromissos a cumprir. E o problema era o horário da escola das crianças.
Eles, desde que começaram a escola, frequentaram-na no período da manhã. Todos nos adaptamos muito bem. Podia ser inverno, mas sempre levantaram dispostos e a engrenagem do tempo tinha um encaixe excelente com a nossa rotina.
Desde o início do ano, a engrenagem começou a ranger e até beliscou meu dedo, quando fui lá reclamar e tentar mudá-la.
Foi necessário mudar as crianças de escola e não havia aulas para a turma deles no período da manhã. Só poderiam estudar nesta escola à tarde.
E já nas férias de verão, antes mesmo das aulas começarem, fui eu quem começou a resmungar e estremecer as relações com o tempo: já tinha ficado repetitivo eu dizer: “vão estudar de tarde, acho horrível este horário, não dá para fazer nada”.
E não é que não dava mesmo? Foi isto que constatei quando as aulas iniciaram. A engrenagem definitivamente estava contra a minha rotina.
E claro que estava ficando difícil e claro que eu queria fazer algo para melhorar.
Comecei pensando muito que aquele tempo da manhã não podia ser diferente dos minutos, das horas da tarde. Fiz sim algumas adaptações como acordar mais cedo, organizei tarefas que podiam ser feitas a tarde e também encontrei um twitter que me chacoalhou:

Enquanto ficamos lamentando o tempo perdido, ele continua a correr sem olhar nossos lamentos. Então precisamos vivê-lo e não lamentá-lo”


Mexeu muito, mas ainda a minha engrenagem não tinha encaixado com a do tempo.
Numa manhã desta semana, minha filha ao acordar, ainda antes de deixar a cama me disse com aquela voz deliciosa de quem está acordando – mãe eu tenho um poema que acordou junto comigo; pega um papel para você escrever.
Não esbravejei que o tempo iria correr, simplesmente me entreguei àquele momento me deliciando com um lindo poema. Depois ela me pediu que postasse no seu blog. Liguei o computador, o café ficou tranquilamente esperando para ser passado e naquela manhã, tudo se encaixou. Houve tempo para todos os compromissos, sem atrasos, sem correrias.
A matemática dos segundos é a mesma para a manhã ou para a tarde, é só girar suave com a engrenagem faceira do tempo.

Um comentário:

Ivani disse...

Sábias palavras Ana Paula.
É claro que não é fácil readaptar-se, mas não é impossivel.
E o próprio tempo se encarregou de mostrar isso a você.
Aprendeu que nada é fácil e que tudo passa, se encaixa, se ajeita.
Basta dar tempo ao tempo, como você fez.
E essa é uma regra para muitas outras oportunidades que surgirão.
Parabéns, beijo.