quinta-feira, 28 de abril de 2011

Casulos

Enclausurada
um casulo de mim mesma
entre adormecida
e vigilante na espera

condizente
que assim é
entre a coragem e a covardia
de um parto que aproxima

ofegante, exausta
extasiada
habitando um lugar
ermo
de mim mesma

indiferente a um raio
luminoso do sol
insensível ao brilho do luar
mas inalando o sopro da vida


Nenhum comentário: